Rosa Weber cobra Polcia Federal sobre a investigao de Bolsonaro no caso Covaxin

Charge do Z Dassilva: Vacina a 1000% | NSC Total

Charge do Z Dassilva (NSC Total)

Deu no Correio Braziliense
Agncia Estado

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, cobrou da Polcia Federal informaes sobre o andamento do inqurito que apura se o presidente Jair Bolsonaro cometeu crime de prevaricao por supostamente no ter comunicado aos rgos de investigao indcios de corrupo nas negociaes para compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministrio da Sade.

A deciso se d em razo de ter se esgotado, no ltimo dia 7, o prazo para que a corporao devolvesse os autos da investigao ao Supremo Tribunal Federal. A data marcou o final dos 45 dias de prorrogao que Rosa Weber concedeu para que os investigadores cumprissem diligncias em aberto.

AS DILIGNCIAS – A prorrogao foi deferida em 22 de novembro de 2021, aps a PF pedir que o Ministrio da Sade fosse instado a encaminhar cpia integral dos processos de importao e de contratao da vacina indiana.

Alm disso, a corporao solicitou que a Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) apresentasse os processos de autorizao de uso emergencial do imunizante. A PF justificou os pedidos ao Supremo com a indicao de que o Ministrio da Sade havia classificado os processos relacionados ao contrato da Covaxin como sigilosos.

Rosa atendeu aos pedidos da PF, chancelados pela Procuradoria-Geral da Repblica, por considerar que as diligncias eram pertinentes ao objeto da investigao, proporcionais sob o ngulo da adequao, razoveis sob a perspectiva dos bens jurdicos envolvidos e teis quanto possvel descoberta de novos elementos que permitam o avano das apuraes.

CRTICA AO SIGILO – A ministra ainda critIcou o sigilo imposto pelo governo federal os documentos ligados s negocIaes da vacina indiana: “Cabe registrar ser de todo inslita a ao governamental de subtrair do acesso pblico informaes alusivas celebrao de determinado contrato administrativo, cuja divulgao, a princpio, no parece capaz de pr em risco a segurana da sociedade e do Estado, de modo a excepcionar a regra geral da publicidade”

A investigao tem origem em uma notcia-crime oferecida pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (ento Rede-ES) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) a partir das suspeitas tornadas pblicas na CPI da Covid.

O caso foi levado ao STF depois que o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e o irmo do parlamentar, Lus Ricardo Fernandes Miranda, que chefe de importao do Departamento de Logstica do Ministrio da Sade, afirmaram em depoimento comisso parlamentar que o presidente ignorou alertas a respeito de suspeitas de corrupo no processo de aquisio do imunizante fabricado pelo laboratrio Bharat Biotech.

BOLSONARO SE OMITIU O que se sabe, com certeza, que no dia 24 de junho do ano passado, quase trs meses depois de ter sido informado pelo deputado Luis Miranda e seu irmo sobre as possveis irregularidades no processo de aquisio da vacina, o presidente ainda no havia acionado a Polcia Federal para investigar o caso, conforme apurou o Estado com fontes na instituio.

O inqurito para apurar as denncias apresentadas por Luis Miranda a Bolsonaro s foi instaurado no dia 30 de junho a mando de Anderson Torres, ministro da Justia e Segurana Pblica.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
Essa omisso de Bolsonaro tem expressa classificao no Cdigo Penal. chamada de prevaricao, um crime vexaminoso para um presidente da Repblica, mas no vai acontecer nada, apesar do flagrante delito. Tambm no adianta nada a ministra Rosa Weber cobrar a investigao, que no ir at o final e a relatora nada far. Alis, bom lembrar que foi o voto dela que aprovou o final da priso aps segunda instncia, que libertou Lula. Em Braslia, a poltica funciona como pea de teatro tudo combinado. (C.N.)

2 thoughts on “Rosa Weber cobra Polcia Federal sobre a investigao de Bolsonaro no caso Covaxin

  1. A suprema corte brasileira muito de riso, decises como esta todos ns sabemos que no passam de mais pura jogada poltica, incuas e sem a mnima consequncia prtica. A ministra em questo no varia em nada dos demais colegas, gente que trabalha para defender os interesses deste e daquele. O judicirio brasileiro risvel nas suas decises, e ns somos dignos de pena para aturar coisas deste tipo.

Deixe um comentário para Eliel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.