Rose, a companheira de viagens de Lula, tem que comparecer hoje à 5ª Vara Federal

Carlos Newton

Desde a Operação Porto Seguro, no final de novembro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está fugindo da imprensa. Na Europa, chegou ao cúmulo de fugir pela lavanderia do hotel de luxo, para se livrar dos jornalistas. Semana passada, a cena se repetiu, Lula escapou pela saída dos fundos na Prefeitura de São Paulo, para não ter de prestar declarações à imprensa. O máximo que se conseguiu foi fotografá-lo na reunião com o Secretariado do prefeito Fernando Haddad.

Não é para menos. Lula não tem como explicar seu relacionamento com Rosemary Nóvoa Noronha. Logo que  assumiu a presidência, em 2003,  Lula transformou Rose numa mulher poderosa e influente. Além de torná-la chefe do Gabinete da Presidência em São Paulo e de nomear os parentes e amigos dela, Lula levou-a em visitas internacionais a 32 países, justamente nas viagens em que a primeira-dama Marisa Letícia não estava presente. Como explicar esse favorecimento?

Até hoje, apesar de indiciada em inquérito da Polícia Federal e com seus crimes devassados pela Operação Porto Seguro, tendo perdido o emprego de chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo, mesmo assim Rosemary continua a ser tão importante que vem sendo defendida por três advogados, sob coordenação do ex-ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos.

FAVORECIDA NA VARA FEDERAL

Já dissemos aqui que um dos advogados de Rose, o criminalista Celso Vilardi, realmente é um fenômeno e há duas semanas conseguiu que a companheira de Lula simulasse ter ido à 5ª Vara Federal em São Paulo e até assinasse um termo de comparecimento, sem que ninguém a visse, filmasse ou fotografasse.

Hoje, o advogado da companheira de viagens do ex-presidente Lula vai enfrentar outro desafio. Terá de driblar de novo a imprensa para impedir que Rose seja entrevistada, filmada e fotografada ao comparecer obrigatoriamente à 5ª Vara Federal de São Paulo. Se ela faltar, pode ter a prisão decretada, por desobediência à ordem judicial.

Mas como Rose pôde entrar na Vara, sem que os jornalistas e funcionários do cartório a vissem? Não é possível que tenha ido lá, sem que ninguém tivesse notado. Para conseguir burlar a imprensa e evitar que os funcionários e jornalistas sequer vissem Rosemary, com toda a certeza o advogado Vilardi está contando com a cumplicidade da 5ª Vara Federal. É impossível que alguém consiga entrar ou sair das dependências deste juizado sem ser notado. Não há explicação.

Na verdade, o comparecimento de Rose à 5ª Vara Federal está sendo fraudado. Ela não está se apresentando ao juízo. Algum serventuário, cooptado pelo defensor dela, tem levado o termo de comparecimento para que Rose o assine, em sistema “delivery”.

E o que a juíza Adriana Freisleben de Zanetti está achando disso tudo? Será que ela sabe que Rose está sendo favorecida para não precisar comparecer? Bem, hoje a companheira de viagens de Lula terá de se apresentar novamente em juízo e então poderemos confirmar se está havendo favorecimento ou não.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *