Sachsida nem tomou posse e na Câmara já há pedido de convocação para se explicar

Ministro entrega estudos de privatização da PPSA e da Petrobras | Agência  Brasil

Sachsida defendeu a privatização e Guedes ficou emocionado

Gustavo Zucchi
Metrópoles

A cerimônia de posse de Adolfo Sachsida ainda nem ocorreu e já tem deputado querendo convocar o novo ministro de Minas e Energia na Câmara para dar explicações sobre sua pressa para privatizar e Petrobras e a Eletrobrás.

O deputado Elias Vaz (PSB-GO) foi o primeiro e protocolou nesta quinta-feira (12/5) um pedido para que o sucessor de Bento Albuquerque seja obrigado a ir à comissão de Minas e Energia da Câmara.

IDEIA DE GUEDES – O parlamentar quer que Sachsida dê explicações sobre suas declarações de que planeja começar estudos imediatos visando à privatização da Petrobras.

“A privatização da Petrobras e da PPSA é um desejo antigo do ministro Paulo Guedes, antigo chefe de Adolfo Sachsida. Porém encontrava oposição na gestão do então ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque”, explica Vaz.

Sachsida realmente entregou nesta quinta-feira ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um pedido para que a pasta inicie estudos sobre a privatização da Petrobras e da Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA), estatal responsável por comercializar os estratos do pré-sal.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É inacreditável ver um governo paramilitar a defender a privatização de uma empresa estratégica como a Petrobras, quando se sabe que a maioria das grandes petroleiras é estatal. A conclusão é de que já houve tempo em que os militares eram mais nacionalistas. (C.N.)

8 thoughts on “Sachsida nem tomou posse e na Câmara já há pedido de convocação para se explicar

  1. Ainda bem que não temos vizinhos hostis, depender desses militares entreguistas, borracha fraca, instagrameiros calçando sapatênis e fazendo pose pra selfies pra garantir nossa segurança definitivamente é uma péssima ideia.

  2. Esse cruzamento de Salsicha com Suicida é piada pronta , não dura um inverno. A unica coisa boa disso tudo é que suja mais o poleiro do bozo. Cirão e Simone vem aí

  3. Um governo diferente dos outros, e pior do que quase todos os outros!
    E a gadolânia vibra pelo Mito ter tirado mais um traidor!
    Não me arrependo de ter votado em Bolsonaro: foi por uma causa urgente e necessidade. Tirar o quadrilhão era preciso!
    Agora, para que Lula não volte, ter de sujar as mãos, novamente, nem pensar!

    Fallavena

  4. Roberto Nascimento13 de maio de 2022 at 05:53
    Esse novo ministro com nome parecido com salsicha, nomeado por Bolsonaro para Minas e Energia, em uma série de vídeos que circulam nas redes sociais, Adolfo Sachsida, aparece criticando a licença maternidade de 6 meses, que seria algo “criminoso” contra a mulher e afirmando que mulheres faltam mais ao trabalho para ir ao médico.
    Ora, isso é um absurdo total e mais uma evidência de que o governo Bolsonaro discrimina as mulheres.
    Machismo exacerbado nas alturas. Por essa e outras razões, o eleitorado feminino está contra o presidente, a ponto de escalarem a primeira dama para reduzir o estrago. Mas, agora não dá mais tempo e o quadro se agravou com a subida desse homem, que trabalhou junto com Paulo Guedes contra os direitos adquiridos das mulheres brasileiras.

  5. O nomeado para Minas e Energia, o Sr. Adholfo é mais um cupincha de Paulo Guedes. Sei primeiro discurso raivoso a favor da privatização da Petrobrás e da Eletrobras, trata-se de manobra para desviar a atenção do verdadeiro foco da sua atuação para favorecer o Centrão, que deseja destravar o impasse da liberação de 100 bilhões do governo, para uma negociata do Gasoduto, que cortará os Estados do Norte e do Centro Oeste. Uma réplica da Farra do Boi, comandada pelo executivo Lavajista da OAS. O Almirante, ministro caiu, demitido pelo Bolsonaro, porque era contra esse absurdo.
    No capitalismo, qualquer negócio privado, deve ser bancado pela iniciativa privada. Agora, não se explica colocar dinheiro público nisso daí, nesse empreendimento particular.
    Mais uma, do Paulo Guedes e do Bolsonaro. O nomeado é de significância menor. Foi alçado ao posto para prestar serviço. O Brasil está caindo pelas tabelas e está rateando o espírito público.

  6. Não adianta nada essas convocações de Ministro. Víde as anteriores desse ministro Paulo Guedes, que aproveitava a ocasião para destilar seu discurso liberal e entrar em rota de colisão com os parlamentares, com apoio da bancada da bala e da bancada evangélica, deputados que votam contra as causas dos trabalhadores.
    O atual ministro vai se preparar e desmontar uma a uma, as perguntas dos senhores deputados, que não conhecem a fundo os problemas brasileiros. Os executivos, mentem, debocham de suas excelências e no final, saem fortalecidos por defenderem a retórica bolsonarista contra o interesse nacional.
    A mentira deslavada virou regra nos discursos de Paulo Guedes e seus chicagoboys. O Brasil sob o comando econômico desse parasita, vem cada dia mais, descendo a ladeira.

  7. Bolsonaro sabe que não se reelege e no final de seu mandato querer vender a toque de caixa as duas principais empresas brasileiras de economia mista, está cheirando mal. O governo Bolsonaro, é um governo de perdulários não cria, não constrói nada, e para conseguir dinheiro fácil. vendem o que Getúlio Vargas construiu.
    A base industrial deixada por Vargas, possibilitou Juscelino em 5 anos adiantar o Brasil em 50 anos e a ditadura de 64 fazer do Brasil a oitava economia do mundo;

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.