Sarney oferece trégua, pede armistício, mas exige liberdade total para Fernando

“Meu filho, meu tesouro” fez a fama e a fortuna do doutor Benjamin Spock, pediatra dos EUA que cuidou e se destacou numa geração. O presidente do Senado trata os filhos da mesma forma, chegou a dizer: “Roseana é a melhor coisa que fiz na vida”.

Agora, diante da montanha de irregularidades que derrubaram em cima do Fernando (no passado, foi a própria governadora), fica mais preocupado com ele até mesmo do que consigo. Isolado, esquecido, sem qualquer amigo, o presidente do Senado fez a proposta de uma interrupção da luta, para que possam conversar.

A proposta está redigida, começará a ser mostrada no fim de semana. Será tratada rigorosamente em sigilo (como manter essa condição?), até chegarem ou não chegarem a acordo. Mais do que o “conteúdo”, o surpreendente é o nome do intermediário. Como é que Sarney foi se lembrar dele?

De qualquer maneira, haja o que houver, a oposição (e até mesmo o Planalto-Alvorada), não poderão absolver Fernando Sarney, como se nada tivesse acontecido. Virá então a fase da retaliação (exibição de dossiê) do qual falou o próprio presidente do Senado ao viajar para o recesso. (Exclusiva)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *