“Sassaricando”, sucesso de Virgnia Lane, citado pela Polcia Federal

Pedro do Coutto

Para no dizer que no falei de flores – ttulo de uma coluna do grande Carlos Castelo Branco no antigo Jornal do Brasil, poca da ditadura militar – hoje escrevo sobre um episdio do carnaval carioca, so milhares que ficam na histria da cidade, citado pelo reprter Mrvio dos Santos edio de O Globo de quinta-feira, a propsito de suposto nome usado pelo ex-governador Srgio Cabral Filho para conversas secretas com empresrios.

O assunto primeiro foi levantado por Jos Casado em seu espao semanal no mesmo Globo. O codinome era Nelma de S Saraca. Para desvendar o cdigo, a Polcia Federal e Mrvio dos Anjos recorreram ao Google. Partiram de Saraca como palavra chave. O Google devolveu sassaricando. Mrvio dos Anjos, ento, atribuiu a origem do mistrio, envolvendo compra de joias, ao musical Sassaricando, de 2006, mas provavelmente por ser jovem, no sabia - natural – que a pea escrita por Srgio Cabral pai e Rosa Maria, uma reedio do musical Eu Quero Sassaricar, de 1952, no Teatro Recreio, que no existe mais, assinado por Freire Jnior e Luiz Eglezias.

Virgnia Lane era a grande estrela das chamadas revistas musicais. O Recreio ficava no entorno da Praa Tiradentes, junto com o Carlos Gomes e o Joo Caetano, que resistiram ao tempo. Com base no texto de Freire Jnior e Eglezias, os compositores Luiz Antnio, Z Maria, Oldemar Magalhes fizeram a marchinha Sassaricando, gravada por Virgnia Lane, um dos grandes sucessos do carnaval de 52. Portanto, 54 anos antes do musical de 2006.

DONA NELMA – De outro lado, a Polcia Federal e Mrvio dos Anjos percorreram trilha na busca de Nelma de S Saraca. Concluram que Nelma S era uma verso inspirada em Nelma Quadros, secretria do Pasquim, jornal satrico lanado em 1969 que reuniu Millr Fernandes, Ziraldo, Henfil, Paulo Francis, Srgio Cabral pai e Tarso de Castro, entre outros. A procura de uma ponte se perde assim no espao do tempo. O Pasquim desapareceu em 91, portanto quinze anos antes do espetculo musical de 2006. A viagem ao passado no resolveu o enigma. S uma coincidncia quanto a palavra Saraca talvez possa decifrar. Afinal de contas, coincidncias acontecem.

Mas eu falei de viagem ao passado. At, como lembrei ttulo de uma coluna do maior cronista poltico brasileiro, sobre quem o jornalista Carlos Marchi escreveu um livro. O Rio de 1952 era muito diferente da cidade de hoje. Podia-se andar pelas ruas e praas sem a atual atmosfera da possibilidade de algo ameaador. Os teatros de revista exibiam musicais, cheios de canes sambas, marchinhas, valsas. Era uma outra poca. Cartazes luminosos de grande porte exibiam as peas.

O RIO MUDOU – Nos palcos, de revistas, destacavam-se Virgnia Lane, Nlia Paula, Joana D’Arc, Zaquia Jorge, fundadora do teatro de Madureira, cuja morte inspirou a bela interpretao de Joel de Almeida do samba Madureira chorou, tocado at hoje.

Mas o segredo das joias foi devassado pela Polcia Federal. Ela descobriu o hot line, nome de uma tcnica de comunicao do presente depois de tentar o sassaricando do passado.

O Rio mudou de face e de estilo. Mas a tradicional Confeitaria Colombo, citada na msica, atravessa a nuvem do tempo. Contudo, os velhos que sassaricavam sua porta de cristal, um dos versos dos autores, se foram com o vento. No foram substitudos nem na Colombo, nem no verso.

2 thoughts on ““Sassaricando”, sucesso de Virgnia Lane, citado pela Polcia Federal

  1. Grande legado para os anais da TI, jornalista Pedro do Coutto, esse precioso texto.
    .
    Uma volta a um passado, conhecido como os anos dourados nessa terra chamada Brasil. e principalmente, por retratar to bem o rinco carioca, em busca de um mistrio.
    Parabns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.