Se a eleição fosse hoje, Jair Bolsonaro seria eleito novamente. Acredite se quiser…

Resultado de imagem para bolsonaro em live

Bolsonaro vive eternamente em campanha e o povo gosta dele

Carlos Newton

Não há a menor dúvida de que, no momento, o Brasil está dividido entre os apoiam Jair Bolsonaro ou o abominam. O meio termo até existe, mas ainda é numericamente inexpressivo. Reina o radicalismo na pátria amada. Infelizmente. Esta é a nossa realidade atual, a bordo de um quadro político inteiramente atípico e que merece reflexões de quem se interessa pelo país.

Digam o que quiserem, Bolsonaro pode ter todos os defeitos que se sabe que possui, mas grande parte dos brasileiros o admiram por várias outras razões que a própria razão desconhece, como diziam os geniais compositores Marino Pinto e Zé da Zilda, aos pés da santa cruz.

SEM CORRUPÇÃO – O argumento mais importante esgrimido pelos adeptos de Bolsonaro é de que não existem denúncias concretas de corrupção que atinjam o governo. Realmente, trata-se de um fato concreto. Até agora, há o laranjal do ministro do Turismo, que foi plantado antes da eleição, as rachadinhas dos filhos presidenciais, a inconsistência da renda do ministro do Meio Ambiente, a falta de ética do secretário de Comunicação  e outros acontecimentos pré ou pós-eleitorais que não atingem Bolsonaro diretamente.

Caramba! Um ano inteiro sem escândalo de corrupção do governo. Não deixa de ser uma façanha. Até parece a gestão de Itamar Franco. Nessa linha, os bolsonaristas acham que , se o presidente nada fizer, mas evitar a corrupção, já será um avanço, o que não deixa de ser verdade.

Alguns argumentam também que Bolsonaro não tem a menor condição de reduzir e sanear o Estado, porque a maior parte das decisões dependem de aprovação do Congresso e do Supremo, como a extinção dos improfícuos e custosos “conselhos”, que só servem para dar emprego a cabos eleitorais e apaniguados, sem qualquer benefício ao contribuinte.

DE MÃOS ATADAS – Na verdade, Bolsonaro está de mãos amarradas. Só pode intervir no Executivo. O Legislativo e o Judiciário vivem num mundo em separado, totalmente estanque, são verdadeiras ilhas da fantasia, onde tudo é festa e se aproveita o melhor dos mundo, não existe crise, seja financeira ou ética.

Os destaques do governo, sem a menor dúvida, são o ministro da Justiça, Sérgio Moro, que brilhantemente faz seu vestibular na política, lutando por avanços na legislação criminal, e o ministro da Infraestrutura, Tarcisio de Freitas, uma verdadeira vocação de homem público, que colocou a Engenharia do Exército para trabalhar em nome do povo. Quando ao ministro Paulo Guedes. até agora não mostrou a que veio, parece totalmente perdido. A paralisia mórbida do INSS faz parte de seu ministério, ele ainda nem admitiu o trêfego secretário da Previdência Social, Rogério Marinho.

Os outros ministros, nem merecem ser citados, à exceção do general Augusto Heleno, que parece enfim estar se encontrando, digamos assim. Sua colocação cirúrgica no caso do plágio a Goebbels mostra um avanço. E o mais interessante é que os eleitores não misturam as coisas. Pouco estão ligando para o que diz um imbecil como Roberto Alvim ou outros assessores e ministros classe C. As pessoas acham que Bolsonaro é uma coisa e o governo, outra.

###
P.S. 1
Outro detalhe. Os bolsonaristas odeiam a classe política, especialmente do PT. Aliás, não consideram Bolsonaro como político. Acham que ele é justamente o contrário – um apolítico.

P.S.2É intrigante notar que os institutos de pesquisa, nesta altura do campeonato, somente fazem levantamento sobre a aprovação ou rejeição do governo. Jamais promovem pesquisa para saber em quem o brasileiro votaria, se a eleição fosse hoje, incluindo todos os possíveis candidatos, como Wilson Witzel, João Dória e Sérgio Moro. Podem incluir até Lula, que não tem direito a ser candidato, por causa de ficha suja. Tenho certeza de que daria Bolsonaro na cabeça. Posso estar errado, porém… (C.N.)

32 thoughts on “Se a eleição fosse hoje, Jair Bolsonaro seria eleito novamente. Acredite se quiser…

  1. Se fosse hoje a eleição, ganharia mesmo.

    Imagina em 2022 com inúmeras obras estruturais finalizadas, inflação baixa, juros ainda mais baixos, dívida pública diminuindo, outras reformas essenciais concluídas, crime caindo, desemprego caindo, educação melhorando, o PIB crescendo o dobro do ano anterior, o custo Brasil diminuindo, OCDE, base de Alcantara em funcionamento, comércio exterior crescendo, não perde a eleição nunca!

    Só não ganha se contratarem outro Adélio para mata-lo ou se morrer.

    • OCDE? (Já fomos aceitos?); base de Alcantara em funcionamento? (ja recomeçamos o lançamento de Sonda IV por lá?). Perai, seu Eliel.
      Quanto ao argumento do redator de que o Bolsonaro não pode fazer nada no que diz respeito ao congresso e ao judiciário só demonstra que Bolsonaro é um fantoche e não um verdadeiro líder – ele se conforma em puxar carroça, que só anda pra frente quando o burro não anda pra trás!
      Compare Bolsonaro com um Juan Guaidó. O venezuelano, rapaz novo, sem poder nenhum, mas demonstra ser um líder fenomenal e desconhecer o medo – ele enfrenta um Maduro com exército corrupto e tudo. Mas o Bozo não pode se meter no congresso… Ai, ai.

  2. É por essas e outras que ganhará a eleição…

    Fundos têm R$ 46,3 bilhões para Norte, Nordeste e Centro-Oeste
    https://diariodopoder.com.br/fundos-tem-r-463-bilhoes-para-norte-nordeste-e-centro-oeste/

    Produtores rurais e pequenos empresários das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste vão ter acesso a R$ 46,3 bilhões oriundos dos Fundos Constitucionais este ano, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) divulgados hoje (20)…

  3. Bolsonaro está manietado pelo legislativo, pelo judiciário e bombardeado pela mídia desmamada e outrora freguesa.
    O pouco que pode fazer está fazendo, o ministro da Infraestrutura é fera e está em campo trabalhando.
    Quanto ao destempero verbal que as vezes usa, acho é pouco, eu não suportaria tantas provocações dos velhacos que se dizem jornalistas e militantes de esquerda.
    O mapa da mina é, não deixar o cara governar senão se elege de carroçada.
    Eu vou votar nele novamente.

  4. Boa parte do eleitor brasileiro tem tendência ao fanatismo, criam ídolos. Hoje o ídolo para esse tipo de eleitor é Bolsonaro, mas já foi o Lula o grande ídolo.
    Depois da ditadura, o eleitor brasileiro elegeu os piores candidatos.. O problema do Brasil não é o candidato, é o eleitor.
    Witzel é um inexperiente, em política, embora não seja bobo.
    Com a provável venda da CEDAE, para enriquecer a iniciativa privada a custa da exploração da população, não vejo o governador como forte candidato.
    Entre os prováveis candidatos estão o Ciro Gomes e Álvaro Dias, que raramente são citados mas, dessa turma de candidatos, os dois são os mais experientes, com uma longa história política.

  5. Vou mandar a realidade: converso com muitas pessoas no trabalho, na minha rua, etc e tal, e e cada vez mais visivel o descontentamento e descontentamento das pessoas em relacao ao Bolsonaro. A maioria dessas pessoas me garante que nao votara outra vez no Bolsonaro.

  6. Sai da bolha C.N. , vem viver no mundo real e vc vai ter certeza que ele seria eleito e com mais folga do que em 2018 e se bobear em 1º turno, acredite se quiser, e esqueça tudo que vc aprendeu sobre politica e analise conjuntural.

Deixe uma resposta para Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *