Se a reforma da Previdência fosse contra os pobres, seria aprovada rapidamente

Resultado de imagem para reforma da previdencia charge

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

José Roberto Guzzo
Revista Veja

E então: depois de ouvir durante meses, ou anos, toda essa discussão sobre a “reforma da Previdência”, você está achando que ela é “contra os pobres”? Ou acha que é exatamente o contrário? Ou, ainda, não acha nem uma coisa nem outra, porque não tem mais paciência para continuar ouvindo essa conversa que não acaba mais? Anime-se. O professor gaúcho Fernando Schüler, conferencista e consultor de empresas, tem a solução definitiva para o seu problema.

Se a reforma da previdência fosse contra os pobres, explicou Schüler dias atrás, já teria sido aprovada há muito tempo, e sem a menor dificuldade. Pela mais simples de todas as razões: tudo aquilo que prejudica o pobre diabo que está tentando não morrer de fome, e não tem tempo para fazer “articulação política”, passa como um foguete da NASA pelas duas casas do Congresso deste país.

CONTRA OS RICOS – Passa tão depressa, na verdade, e com tanto silêncio, que ninguém nem fica sabendo que passou. A reforma proposta pelo governo só está encontrando essa resistência desesperada do PT, dos seus satélites e da massa da politicalha safada porque é, justamente, a favor dos pobres e contra os ricos.

Cem por cento contra os ricos ─ no caso, algumas dezenas de milhares de funcionários públicos com salário-teto na casa dos 40.000 reais por mês, sobretudo nas camadas mais altas do Judiciário e do Legislativo. São esses os únicos que vão perder, e vão perder em favor dos que têm menos ou não têm nada.

Não parece possível, humanamente, eliminar de maneira mais clara as dúvidas sobre a reforma da previdência. Alguém já viu, em cerca de 200 anos de existência do Congresso Nacional, alguma coisa a favor de rico dar trabalho para ser aprovada?

UM BOM EXEMPLO – Ainda há pouco, só para ficar num dos exemplos mais degenerados do estilo de vida dessa gente, deputados e senadores aprovaram o pagamento de 1,7 bilhão de reais para a “campanha eleitoral de 2018” ─ dinheiro vivo, saído diretamente dos seus impostos e entregue diretamente no bolso dos congressistas. São os mesmos, em grande parte, que agora viram um bando de tigres para “salvar os pobres” da reforma.

Poderiam ser mencionados, aí, uns outros mil casos iguais, em benefício exclusivo da manada que tem força para arrancar dinheiro do Erário público. No caso da previdência a briga é para conservar os privilégios de ministros, desembargadores, procuradores, auditores, ouvidores, marajás da Câmara dos Deputados, sultões do Senado e toda a turma de magnatas que conseguem ganhar ainda mais que o teto e exigem, ao se aposentar, os mesmos salários que ganham na ativa ─ algo que nenhum outro brasileiro tem.

E OS NÚMEROS? – Não adianta nada, com certeza, apresentar números, fatos e provas materiais que liquidam qualquer dúvida sobre a injustiça rasteira de um sistema que se utiliza da lei para violar o princípio mais elementar das democracias ─ o de que todos os cidadãos são iguais em seus direitos e em seus deveres.

A previdência brasileira determina, expressamente, que os cidadãos são desiguais; quem trabalha no setor privado, segundo as regras que se pretende mudar, vale menos que os funcionários do setor público e, portanto, tem de receber aposentadoria menor.

Quando se demonstra essa aberração com a aritmética, a esquerda diz que as contas não valem, pois se baseiam em “números ilegais”. Não há, realmente, como continuar uma conversa a partir de um argumento desses ─ e nem há mesmo qualquer utilidade prática em conversar sobre o assunto.

PRIVILÉGIOS – Os defensores dos privilégios não estão interessados em discutir número nenhum; estão interessados, apenas, em defender privilégios. Por que raios, então, iriam perder seu tempo se aborrecendo com fatos?

O que existe, no fundo, é uma questão que vai muito além da previdência social. É a guerra enfurecida que se trava no Brasil para manter exatamente como estão todas as desigualdades materiais em favor das castas que mandam no Estado ─ todas as desigualdades, sem exceção, e não apenas a aposentadoria com salário integral.

Sua marca registrada é um prodigioso esforço de propaganda para fazer as pessoas acreditarem que o agressor está do lado dos agredidos ─ e que qualquer tentativa séria de defender o pobre é uma monstruosidade que precisa ser queimada em praça pública.

NA CÂMARA –  Acabamos de viver, justo agora, um dos grandes momentos na história dessa mentira que faz do Brasil um dos países mais injustos do mundo ─ quando o ministro Paulo Guedes foi à Câmara para explicar, com paciência de monge beneditino e fatos da lógica elementar, a reforma da previdência. O PT fez o possível para impedir o ministro de falar.

Ao fim, tentou ganhar pelo insulto. Um deputado de segunda linha faturou seus 15 minutos de fama dizendo que Guedes era bravo com “os aposentados”, mas “tchutchuca quando mexe com a turma mais privilegiada do nosso país”.

A grosseria serviu para três coisas. Em primeiro lugar, fez o deputado ouvir que “tchutchuca é a mãe”. Em segundo lugar, levou o ex-presidente Lula a dizer, da cadeia, que estava “orgulhoso” com a agressão ─ mais um sinal, entre tantos, do bem que ele fará pelo Brasil se for solto ou premiado com a “prisão domiciliar”.  Em terceiro lugar, enfim, abriu mais uma avenida-gigante para se dizer quem é quem, mesmo, em matéria de “tchutchuca” com os ricos, parasitas e piratas neste país ─ “tchutchuca” na vida real, como ela é vivida na crueza do seu dia a dia, e não na conversa de deputado petista.

O PAI DOS RICOS – Aí não tem jeito: os fatos, e puramente os fatos, mostram que Lula, guiando o bonde geral da esquerda verde-amarela, foi o maior “tchutchuca” de rico que o Brasil já teve em seus 500 anos de história; ninguém chegou perto dele, e nem de forma tão exposta à luz do sol do meio dia.

Pior: o ex-presidente não foi só a grande mãe gentil dos ricos. Foi também a fada protetora dos empreiteiros de obras bandidos, dos empresários escroques e dos variados tipos de ladrão que tanto prosperam em países subdesenvolvidos ─ as “criaturas do pântano”, como se diz.

O desagradável desta afirmação é que ela tem teores mínimos de opinião; só incomoda, ao contrário, porque sua base é uma lista sem fim de realidades que há muito tempo estão acima de discussão. Vamos lá, então, coisa por coisa.

RÉUS CONFESSOS – Não há dúvida nenhuma, já que é preciso começar por algum lugar, que o maior corruptor da história do Brasil, o empreiteiro Marcelo Odebrecht, passou de mãos dadas com Lula os oito anos de seu governo ─ noves fora o paraíso que viveu com Dilma Rousseff. Quem diz que Odebrecht é um delinquente em modo extremo não é este artigo; é ele mesmo, que confessou seus crimes, delatou Deus e o mundo e por conta disso está preso até hoje ─ em prisão domiciliar, certo, mas preso.

Também não foi o seu filho, nem qualquer cidadão que você conheça, quem conseguiu receber 10 milhões de reais da empreiteira Andrade Gutierrez como investimento numa empresa de vídeo games. Foi o filho de Lula. Os 10 milhões sumiram; a empresa faliu. A Andrade Gutierrez lamenta: o negócio não deu certo, dizem eles, e a gente perdeu todo o dinheiro que deu para o Lulinha. Uma pena, não é? Mas acontece com as melhores empresas do mundo.

 O empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, réu confesso, delator e hoje presidiário, foi o grande protetor e protegido de quem? De Lula ─ a quem, por sinal, denunciou no fatal triplex do Guarujá. Querem mais? É só chamar o Google.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Como o importante artigo está muito extenso, vamos publicar amanhã a segunda parte: Nas gestões de Lula e Dilma, o governo trabalhou exclusivamente para os ricos. (C.N.)

30 thoughts on “Se a reforma da Previdência fosse contra os pobres, seria aprovada rapidamente

  1. Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) indica os seguintes percentuais de avaliação sobre o governo Jair Bolsonaro (PSL):

    Ótimo/bom: 35%
    Regular: 31%
    Ruim/péssimo: 27%
    Não sabe/não respondeu: 7%

    Nem o Ibope consegue mais manipular tanto os dados!!! Apenas 27% reprovam o governo Bolsonaro. Imagine se a pesquisa fosse feita com verdadeira isenção!!!!!!!!!!!!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, para os BolsoGayters, digo, Bolsohaters!!! Pirem!

    • Ah, apesar de tudo, eu mesmo me incluo nos 31% que consideram o governo Bolsonaro regular. Afinal ele ainda não fez (não deu tempo ainda) de fazer tudo que prometeu, mas com certeza lá na frente vai chegar ao Ótimo/BOm. É só esperar!!! E os Bolsohaters piiiiiraammm!!kkkkkkkkkkkk

  2. Um dos maiores prejudicados no projeto são os professores, não vejo professores ricos no Brasil. Os bancos regozijam, podem ter investido muito dinheiro no projeto. A mídia massifica esta reforma quase tanto quanto massificou a campanha anti-petista. Não que o PT não merecesse, mas a pressão foi total. A mais de dois anos estão lutando arduamente para que saia. Não fosse a defesa da permanência de Temer, tamanha a gana que os levou a um verdadeiro frenesi econômico, a coisa teria fluido até sem maiores atropelos, apesar das verdadeiras aberrações que usaram para emprenhar os ouvidos dos incautos. Ainda sim a lista dos nomes que votaram e como votaram, será exposta em detalhes e que cada eleitor os julgue no momento e hora certa. Tenho absoluta certeza de que na solidão das urnas, votarão com consciência.

  3. Até hoje não sei as regras do funcionário público, principalmente Legislativo e Judiciário. Se alguém puder explicar, ficaria grato! Falam mal da reforma, mas ninguém explica as regras de forma simples e objetiva.

    • Ninguém falou em prejudicar ricos mesmo porque é impossível prejudicar quem já é rico.

      O que está proposto é que os carentes não serão prejudicados e isso está exposto nos dispositivos do projeto.

      Vc tá precisando de óculos.
      Aliás, como bom esquerdinha,seus comentários não se fundamenta em dados concretos . Só está aqui em causa própria.

  4. EMENDAS PARLAMENTARES: Mais de R$ 50 bilhões serão “investidos” via emendas parlamentares durante o mandato de Jair Bolsonaro entre 2019 e 2022, em troca da aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, caso se confirmem essa notícia e o roteiro proposto pelo governo. E a conta ainda não fechou, pois o que vai para deputados federais segue depois nas emendas dos senadores. Como resultado prático dessa negociação, em 10 anos, deixará de girar R$ 1 trilhão na base social da pirâmide. https://catracalivre.com.br/colunas/dimenstein/folha-revela-bolsonaro-ofereceu-dinheiro-para-parlamentares

    FACTOIDE RENTISTA: O líder do PDT na Câmara Federal, deputado André Figueiredo (CE), denunciou, em suas redes sociais, que a afirmação do governo de que sua proposta de mudanças na Previdência é para combater privilégios é uma mentira. “Essa proposta não combate privilégios, só aumenta desigualdades! O PDT será contra qualquer reforma que prejudique o trabalhador brasileiro!”, disse o deputado. https://horadopovo.org.br/a-reforma-de-bolsonaro-nao-combate-privilegios-so-aumenta-desigualdades-diz-lider-do-pdt/

    CÓPIA NEFASTA: As privatizações dos sistemas previdenciários fracassaram. Essa é a conclusão do estudo “Reversão da Privatização de Previdência: Questões chaves”, publicado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em dezembro do ano passado. O documento traz um levantamento acerca da privatização dos sistemas de previdência no mundo e sobre a reversão das privatizações. De 30 países que privatizaram a previdência, 18 estão em processo de reversão. https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/economia/58121/capitalizacao-e-privatizacao-da-previdencia-fracassaram-em-todo-o-mundo-aponta-oit

  5. Você, faça um curso de interpretação de texto, tome um rivotril para poder se concentrar e entender um texto e leia a PEC da previdência.

    Fatos concretos na parte do INSS.

    1- Viúva ou viúvo só receberá 60% da aposentadoria do cônjuge (não é conge).

    2- Se a viúva ou viúvo for aposentado, em alguns casos não receberá nada de pensão.

    3- Já para os militares não tem nada disso.

    4- Para se aposentar com teto do INSS tem de contribuir pelo teto durante 40 anos.

    5- Militar e alta cúpula da justiça, legislativo, etc…não tem isso também.

    6- Acaba a vinculação dos benefícios previdenciários ao salário mínimo.

    etc… etc… etc….

    E chega, não vou dar luz a cego, vai ler a PEC,

    Ps. Você está tendo vantagem com essa reforma no tocante a desoneração total da folha de pagamento?

  6. “Nas gestões de Lula e Dilma, o governo trabalhou exclusivamente para os ricos. (C.N.)” Não parece justo dizer que trabalharam exclusivamente para os ricos, mas o próprio Lula disse publicamente que não sabia porque os ricos não gostavam dele, porque eles, os banqueiros, p.ex., nunca ganharam tanto dinheiro na vida como no governo dele. Item esse agora superado pelo governo Temer-Bolsonaro, à vista dos últimos balanços bancários, inclusive noticiados aqui na T.I. com matérias de suma importância para entendermos a que e para quem veio fato a república 171 do golpismo ditatorial, do partidarismo eleitoral e dos seus tentáculos, velhaco$.

  7. Assisti ontem à noite, a teatral CCJ do Congresso, mesclando ver ao mesmo tempo os jogos do Grêmio e do Atlético Mineiro na Libertadores, e não dei sorte nenhuma!
    O Grêmio venceu, mesmo eu secando e, o Atlético perdeu, mesmo eu torcendo para ele, em homenagem ao meu dileto amigo Wilson Baptista!

    Entretanto, a mulherada do PT e do Psol deveriam se unir também no carnaval, e participar de uma ala em qualquer Escola de Samba, intitulada As Frenéticas Inconsequentes.

    Mal educadas, avessas ao respeito pelos colegas que estavam falando, agressivas porque adoram ir à frente da direção da Mesa apontar o dedo para o presidente, chiliquentas, berronas, suas condutas são exatamente como se estivessem nas escolas onde estudaram.

    Definitivamente a oposição, incluindo o homaredo demagogo, incompetente, enganador, que também deveria ter a sua ala em qualquer Escola de Samba, teria como denominação Os Indignos e Desonrados.

    Apesar de eu ter sido veementemente contra esta Reforma inicialmente, aos poucos fui me informando a respeito, e hoje a vejo necessária e improrrogável.

    Não que eu esteja dando o braço a torcer, não, pois ainda me sinto agredido e ofendido porque Judiciário e Legislativo irão se manter incólumes, não participarão com um centavo para a Previdência, assim como a flagrante injustiça e deboche às demais mulheres desta País, que as filhas de militares das FFAA e de funcionários públicos, caso se mantiverem solteiras, receberão a pensão de seus pais, uma afronta aos dias de hoje!

    Sabemos que a a maioria dessas senhoras “solteiras” vive com seus companheiros, tem filhos, algumas já estão no seu terceiro ou quarto relacionamento, e seguem recebendo proventos milionários às custas do povo!

    Todavia, tais reparações podem ser feitas pelos deputados, sem a necessidade de vociferações, gritos escandalosos, protestos ridículos contra o governo!

    Como bem falou Guedes, no encontro com esses atores canastrões, quando convocado para explicar a Reforma, o ministro foi categórico ao dizer que caberia ao Congresso fazer as mudanças que quisesse ou, por acaso, faltaria coragem??!!

    Portanto, aplaudo o artigo em tela e parabenizo o seu autor, tanto porque trouxe mais informações sobre o projeto, quanto resgatou muito bem a verdadeira intenção da oposição, que não estaria na defesa do pobre e miserável a sua ridícula e idiota resistência à Reforma, mas na manutenção dos velhos privilégios aos apaniguados e seus partidários!

    • Quanto a pensão das filhas de militares que outras categorias também ganham, mas ao que parece não agridem tanto, cabe lembrar que quem entra hoje, ninguém tem mais direito. Basta ler a MP de 2001. Se isso não foi o bastante e ainda querem que devolvam ou que as prendam, vai da consciência de cada um, caso a tenha. Quanto a previdência, só existe um país, um povo, uma nação. Não cabe a defesa de interesses de corporações. Ideias erradas na origem, não se corrige com paliativos e neste caso, só se para na extinção pura e simples da Previdência Oficial e sua transformação em previdência privada.

      • Peçanha,

        Não foi isso que escrevi, que as beneficiárias de pensões de seus familiares nas FFAA e serviço público deveriam devolver dinheiro.

        Espia, só:
        Aproximadamente 180 mil filhas de militares recebem pensão vitalícia hoje no Brasil.
        Os gastos superam R$ 5 bilhões ao ano.
        O benefício foi extinto em 2000, mas quem já integrava o quadro das Forças Armadas pode pagar um adicional de 1,5% na contribuição previdenciária para manter o privilégio à sua descendente.
        (Notícia publicada pelo O Globo, em 30/05/2018).

        Convenhamos, 1,5% de contribuição, e a filha recebe integral o soldo do militar morto, trata-se de uma regalia, baita privilégio.

        Pois são essas diferenças que exigem do pobre e miserável, aquele que recebe um salário mínimo, que pague a conta, que seja o responsável pela manutenção dessas despesas!

        Se é para deixar os vencimentos integrais à filha, então que o desconto seja maior, 10/12% ou, então, que seja reduzido para 1/3, se o desconto permanecer em 1,5%.

        Considerando que os vencimentos dos militares são bem mais altos que o dos trabalhadores da iniciativa privada, podem ter descontos maiores para beneficiar suas filhas, indiscutivelmente.

        E, nada contra tal benefício, ainda mais com filha, mas deveria ter uma fiscalização muito mais rigorosa, além de índices nos descontos mais em conta à situação do País!

        • Sim, não discordo em relação a possíveis distorções. Mas não sei se o valor pago é integral ou dividido com outros dependentes, neste caso, o que é mais provável, ficaria elas por elas em relação ao desconto. O que pode estar havendo são informações desconexas. Defendo que não se ataque o beneficiado como se ele fosse o culpado, apenas por não ser justo.

          • Pensando melhor, se o total for dividido entre a filha e a esposa, por exemplo, o desconto seria injusto, visto que apenas daria direito a filha a entrar no bolo.

  8. Enquanto esteve no poder, o PT aprovou várias reformas da Previdência, sempre sob argumento de combater privilégios. Agora que foi obrigado a descer à condição de oposição, passou a ser contra, retomando os velhos slogans pré-2002. Para o PT qualquer coisa pode ser boa ou má, dependendo se é ele que faz quando está no governo, ou se é feita por alguém de outro partido.

  9. Ontem, na CCJ, enquanto ladravam acerca da constitucionali dade da Reforma Previdenciária, ou não. Deputadas indecorosas exibiam suas pelancas, trajando regatas, aquelas blusinhas de tira. Já que é de tira, por que não tira tudo? E olhem lá, a CCJ representa a instância máxima de uma Casa Legislativa. Cumpre ressaltar algumas exceções: aquela gostosa, filha de Garotinho, estava dentro da pro forma palaciana! Logo ela, né; que tem muito a mostrar?

  10. Certos privilégios terão que acabar, como exemplo dos viúvos.

    Outros serão impossíveis de mexer porque seus beneficiários como a malandragem dos militares do exército, que nunca arriscam a vida como os militares da polícia, têm muita força política, etc,etc,etc.

    Enfim, a reforma tem que ser feita como foi em muitos países e mesmo necessária não agradou a todos. Isto em países ricos.
    Aqui neste país , destruído pela esquerda a reforma é fundamental, para junto com outras sairmos dessa situação que se piorar será o caos total.

    Aqui é isso ou é a desgraça final.
    Pegou?

  11. A reforma é necessária, mas não dessa forma, que só é boa para os bancos e empresários. Eis um resumo das maldades:
    – Retira a previdência da CF, e passa a ser por lei complementar, gera insegurança e mudanças rapidas;
    – não existe déficit, na seguridade social ou na previdência social;
    – DRU retira 30% da seguridade social;
    – Regime de repartição, ativos pagam aposentados (3,5×1) tem superávit pois 3 pagam 1;
    – renúncia fiscal empresas – perda receitas da seguridade social – 60 bilhões;
    – dívida ativa, ineficácia da cobrança – 488 bilhões;
    – auditoria da dívida pública, taxa Selic paga aos bancos;
    – OIT capitalização no mundo em 2018 – pesquisem;
    – na capitalização chilena, aposentados ficam na penúria, há muitos suicídios de idosos por isso;
    – fracasso da capitalização, Brasil na contra-mao, países voltam atrás;
    – Um dos bancos que paga aposentados no Chile: BTG Paulo Guedes;
    NO BRASIL
    – capitalização individual, risco do trabalhador;
    – contribuição patronal facultativa;
    – espectativa de vida, se viver mais corre o risco de ficar sem aposentadoria;
    – sigilo dos dados;
    – contribuição extraordinária quando houver déficit, em lei complementar – governo, pela DRU retira 30% da seguridade social para outros fins, evidente que vai haver déficit sempre;
    – direito adquirido garantido;
    – bilhões da capitalização ficarão na posse dos bancos, em caso de crise esse dinheiro pode sumir, ou o banco quebrar.

  12. Na Suécia, um Juiz em final de carreira, ganha 1,7 vezes mais que um Operário de Fábrica.
    Nos EUA, esta diferença é de 2,5 vezes.
    De forma séria e gradual, teremos que tentar chegar em números parecidos por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *