Se arrependimento matasse

Carlos Chagas

Se arrependimento matasse, nmero cada vez maior de companheiros j estaria no cu. No PT, aumentam a perplexidade e a indignao com o PMDB, ou melhor, com a direo nacional do partido, cujo chefe, Michel Temer, o recm-formalizado candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff. Porque a promessa era de que em troca da incmoda presena de Temer na candidatura petista, o PMDB inteiro se integraria na campanha, garantia no apenas de mais tempo na televiso para a candidata, mas de votos em profuso.

O quadro que se apresenta bem diferente. As sees estaduais do PMDB no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, So Paulo, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Acre esto fechadas com Jos Serra, alm de seus candidatos a governador baterem de frente com os candidatos do PT. Ponha-se em dvida, tambm, o diretrio do Paran.

Se era para isso, raciocinam companheiros de peso, melhor teria sido encontrar outro candidato a vice para Dilma, quem sabe at formando uma chapa pura, quer dizer, com algum do PT. Afinal, jamais constituiu segredo que o presidente Lula no morria nem morre de amores por Michel Temer. Se ele no consegue levar o PMDB inteiro para a candidatura governista, j comea a campanha devendo…

Os mesmos de sempre

J era esperada a blitz da grande imprensa contra a deciso do presidente Lula de no vetar lei que concedeu 7,7% de reajuste para os aposentados com mais de um salrio mnimo. Os editoriais, comentrios e simples reportagens refletem o sentimento das elites econmicas, infensas a quaisquer benefcios para os menos favorecidos.

Exultaram, essas elites, cada vez que o governo do socilogo suprimiu direitos sociais. Sustentaram, at, a revogao integral das leis trabalhistas, deixando a relao entre capital e trabalho entregue ao mercado.

O pretexto o mesmo de sempre: a Previdncia Social vai falir, no suporta encargos capazes de promover justia aos que vivem de salrios e aposentadorias. Sendo assim, vibram tacape e borduna no lombo do Lula, mesmo sabendo que o presidente da Repblica fez o dever de casa pela metade, ou seja, vetou a extino do famigerado fator previdencirio, outra criao de Fernando Henrique Cardoso.

Constrangida, a equipe econmica curvou-se deciso do primeiro-companheiro, mas em seguida o ministro Guido Mantega abriu o saco de maldades: vai tirar a diferena dos gastos com o reajuste cortando no oramento. Vejam bem, no vai cortar nos juros nem na remunerao do capital especulativo. Muito menos no dficit interno que j ultrapassou um trilho de reais. Atingir verbas destinadas sade, educao, segurana e infra-estrutura. Bem como, est ameaando, as emendas individuais dos parlamentares, coisa que ser preciso ver para crer.

Com todo o respeito

Dizia a sabedoria popular, dcadas atrs, que cada macaco deveria ficar em seu galho. Mesmo reconhecendo a preciso do ensinamento, vai um pedido de licena aos competentes jornalistas esportivos para uma incurso em sua seara. No d mais para agentar o polmico Galvo Bueno narrando os jogos da copa do mundo e derramando-se em comentrios que nada tem a ver com as partidas. Muito menos suas patriticas e ufanistas tiradas, em especial quando limita e humilha os verdadeiros comentaristas postados a seu lado. Suas indagaes constituem verdadeiros discursos, mas quando Falco, Casagrande ou Arnaldo Csar Coelho comeam a explicar o necessrio, so grosseiramente cortados pelo personagem referido. Convenhamos, no foram essas as lies de grandes narradores do passado, como Ary Barroso, Oduvaldo Cozzi, Waldir Amaral e tantos outros. Cala a boca, Galvo! pode ser um grito nacional de indignao.

Em busca do tempo perdido

As centenas de inseres de Jos Serra apresentadas na telinhas podem ter como objetivo recuperar o tempo perdido nas ltimas semanas, quando o candidato tucano perdeu terreno para Dilma Russeff. Mas, convenhamos, essa exposio explcita e exagerada acaba produzindo efeito contrrio. O homem fala de tudo sem falar de nada, isto , pela exigidade do tempo em cada apario, nada consegue acrescentar alm de que o pas necessita de mais hospitais, mdicos, escolas e estradas. Disso a populao j sabe. Seria preciso que Serra informasse como. A soma de pequenas mensagens no forma uma grande mensagem.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.