Se Bolsonaro sofrer impeachment, Lula não se elege e estará politicamente morto

Charge do Amarildo (Arquivo Google)

Carlos Marchi
No Facebook

Há dois partidos que hoje são vigorosamente contra o impeachment de Bolsonaro. Um é o PFB (o Partido da Família Bolsonaro). O outro é o PT.

Se o impeachment vier e Bolsonaro ficar fora da eleição, Lula está morto politicamente.

Para continuar existindo, Lula precisa desesperadamente manter Jair Bolsonaro como presidente e candidato à reeleição.

Os dois campeões de rejeição só sobrevivem um contra o outro, um alimentando o outro, um emulando o outro. Só sobrevivem no quadro da polarização entre os extremos.

Isoladamente, um ou outro perdem para qualquer candidato.

###
OBS:
Depois de publicar este post dei-me conta de que meu amigo Edilson Martins escreveu muito parecido. E Chico Caruso e Amarildo publicaram charges maravilhosas. (C.M.)

(artigo enviado por José Carlos Werneck)

19 thoughts on “Se Bolsonaro sofrer impeachment, Lula não se elege e estará politicamente morto

  1. Análise pueril.
    Acredito que o PT realmente não está empenhado em promover o impeachment porque não vê crime real, fato objetivo no desastrado governo Bolsonaro.
    Parece brincadeira. Dezena de pedidos, todos baseados em suposições, opiniões, rancores políticos. Não gosto nenhum pouco deste governo e bora não tenha votado nele, respeito o mandato feito pela maioria dos brasileiros.
    Qto à Lula, ele já provou diversas vezes que tem luz própria. Tanto dentro do partido como perante a população em geral.

    • Luladrão já era, o tempo dele passou,
      Essa desgraça cachaceira maldita tem de deixar o Páis seguir em frente.
      Perdeu a grande chance que teve na vida e fez o mesmo que todos fazem.”roubar, roubar” e deixar o povo na miséria..

  2. Gostei.
    Mal comparando, Lula e Bolsonaro formam uma simbiose.
    Um vive na dependência do outro.
    Bolsonaro fora da disputa eleitoral, Lula vai criticar quem?
    Vai tentar se pavonear para quem?
    Vai mentir para quem?

    Logo, penso que muito mais útil e proveitoso para o bem do país e nosso, é pressionarmos o congresso para o atual presidente receber o impeachment.
    “Matamos” dois coelhos numa só cajadada.

  3. Na física clássica, a terceira lei de Isaac Newton preconiza: “Toda ação corresponde a uma reação de igual intensidade, mas que atua no sentido contrário”. E este dito da filosofia caipira também retrata bem a indução que extrema dois rivais em polos diametralmente opostos: “Sugerido o deus, o diabo nascerá pelo instinto de autodefesa”
    Pode ser isso mesmo: Bolsonaro cassado, Lula perde o seu polo antagônico e, por conseguinte, a sua “rampa de salto”
    Não é à toa que, quando solicitado um apoio do PT, em ações doutros partidos contra Bolsonaro, Gleisi Hofmann responde: Sim, desde que não seja impeachment”.
    -O raciocínio é este: “Vamos deixar o que já está fedendo, apodrecer total; para aquilo que também já foi carniça, mais tarde, quando desidratar e virar couro seco, parecer cheiroso ou inodoro, se comparado ao atual que ainda exala”. Isso sim, é brasilidade: o remédio (PT) acaba sendo tão pernicioso quanto a doença (Bozo).
    Aos olhos da geração vigente, uma personalidade anômala, identificando-se como Direitista, na mais alta função da República. Como será a reação da juventude? Muito provavelmente esta: moças e rapazes, converter-se-ão em multiplicadores, na destruição do conceito e modus vivendi de tudo que sugerir Direita.
    Desse modo, o Capetão, nos dias atuais, oferece-se como sparring, para fortalecer músculos e convicções dos seus oponentes de agora e da posteridade. Equivale a dizer: quando muito exacerbado, o negacionismo acaba-se transformando em autossabotagem

      • Foi a fórmula que ele encontrou para se autoproclamar como tal, e assim atrair pra si essa parcela radical que se identifica como aversa ao discurso esquerdista!
        Então, quem aderiu a ele, pegou um barco furado!

    • Amigos Paulo e Armando, se existem duas verdades, aqui vão: nem Lula é de esquerda e nem Bolsonaro é de direita! O PT está travestido de esquerda e o Minto é centrão.
      Abraços
      Fallavena

  4. “A Diva cabeça do Brasil, Bruna Lombardi, tem razão, está certa, ela já sinalizou qual é o novo caminho a seguirmos, desarmar os espíritos, começando por tomar a arma temerária da mão do Bolsonaro, transforma-la num L, emprestar o L do Lula, e com os dois LL cravarmos nas urnas Loriaga Leão, por dias de fato melhores e cada vez mais alvissareiros para o no Brasilzão e o nosso povão, sem embromação, e vamos nessa que vai ficar bom a beça, minha irmã e meu irmão.”

  5. Análise sem argumentos e sem fundamento.
    O bolsonarismo existia mesmo antes de seu Jair. Chegou ao poder montado na garupa do capitão e não vai querer deixar o poder.. Se Jair estiver fora, o bolsonarismo vai se apegar a qualquer candidato, para se manter no poder. O bolsonarismo pode ser muitas coisas, mas é uma mistura de contraliberal com antiesquerda.

    É puro retrocesso.

  6. O autor só “esqueceu” um pequeno detalhe: não existe Bolsonaro contra Lula. A única coisa que existe é Bolsonaro contra o Crime Organizado (PT + PSDB + STF + PCC + CV) e seus puxadinhos.

      • A sociedade séria pode:
        1 – fazer vista grossa para as bobagens ditas pelo PR e pelos pecadilhos de todos os políticos (rachadinhas), votando no Bolsonaro para manter o crime organizado (PT + PSDB) longe do poder;
        2 – anular o voto, omitindo-se na luta contra o crime organizado;
        3 – votar no representante do crime organizado.

        Não há outras alternativas. O Dr Sérgio Moro, a única opção decente entre Lula e Bolsonaro, foi liquidado politicamente. Caso, por um milagre, venha a tornar-se uma alternativa real, o escritório do crime organizado (STF) arrumará um impedimento qualquer para anular a sua candidatura (lembra-se do Sílvio Santos?)

        Ou Bolsonaro ou a cubanização, com uma tirania político e social movida a dinheiro do narcotráfico.

  7. Um amigo meu, que não revelo o nome porque não lhe pedi autorização para citá-lo, me enviou a uma das questões mais intrigantes e lógicas que li nos últimos tempos.

    Assim, ele se manifestou:
    – Chico, chego a pensar que, pelo Laudo psicológico do assassino Lázaro Barbosa que afirma: ele é uma pessoa agressiva, impulsiva, com instabilidade emocional e preocupações sexuais, se não tinha tudo para ser presidente do Brasil?

    E segue na sua argumentação:
    – Um dos maiores problemas é o sistema eleitoral que permite despreparados, corruptos e toda sorte de bandidos serem candidatos a todos os cargos eletivos.

    Preciso aplaudi-lo publicamente pela extraordinária e indiscutível questão formalizada!!

    Lula e Bolsonaro seriam um Lázaro dissimulados, pois seus objetivos e intenções são idênticas ao assassino:
    roubar, aterrorizar, torturar!

    • Amigo Bendl
      Teu amigo parte de uma premissa equivocada:
      “– Um dos maiores problemas é o sistema eleitoral que permite despreparados, corruptos e toda sorte de bandidos serem candidatos a todos os cargos eletivos.”

      Quando as pessoas que pensam que pensam, entenderão que, a democracia nasce do voto e o voto é que qualifica as escolhas!
      O mundo e a humanidade mudaram nos últimos tres milênios.
      Pergunto: alguém já se dedicou a verificar os nomes dos candidatos, nos tres níveis? Não tem candidatos bons, honestos e que poderiam, em sendo eleitos, realizarem a política com mais qualidade e respeito? Te garanto que tem! E não são eleitos por que?
      Mais de 85% dos eleitores não sabem o que fazem quando votam; não sabem nada de política; não sabem diferenciar o que sejam estado/governo/governantes/legisladores, etc.
      Pergunto: por que temos de “doar” títulos de eleitores para que nada sabe?
      A maneira mais fácil de justificar erros de quem os comete é apontar para o outro lado!
      Cada democracia tem resultado cm base nos eleitores. Os eleitos são a cara e o cheiro dos que os elegem!
      Ah, tem gente esperando pela “educação” para melhorar o desempenho e conhecimento do povo. Só esquecem de combinar com ele!
      Imagina, o que faremos num segundo turno com Bolsonaro x Lula!
      Estou pensando em doar meu título para o “asilo da democracia”!
      Abraço e saude.
      Fallavena

  8. LULA VENCIDO, por si mesmo, pelo seu próprio prazo de validade, à moda peixe que morre pela própria boca. E o sistema escorpião da ditadura partidária do continuísmo da mesmice dos me$mo$, cheio de factoides enganosos tb está com o seu prazo de validade vencido, há muito tempo, diga-se en passant, a bem da verdade. Partido Único, totalitário, é o fim do mundo, é o adeus aos direitos e garantias individuais, ao estado democrático de direito, à Democracia, é a sucumbência do sonho e da esperança, é a negação da evolução da ordem natural das coisas. Estado totalitário, com Partido Único, nem pensar, Lula, Bolsonaro, Tucanos e afins, “vade de retro satanás”, até porque a Democracia Direta, com Meritocracia, a evolução da Democracia ao seu grau máximo, pela abundância e não pela escassez de democracia, há mais de 20 anos na pista pregando exatamente o contrário, ou seja, a abertura democrática total para a participação do conjunto da sociedade na vida política do país, jamais permitirá isso, Partido Único, nem pensar, nem aqui e nem nos EUA, nem que tenhamos que invadir os EUA para impedir que isso ocorra por lá tb. A China tem as suas próprias peculiaridades, condições e circunstâncias. O Brasil não pode ter a China como exemplo político a ser seguido apenas porque, no tempo e no espaço, enquanto ditadura política comunista, por ora, a China se deu bem na sua própria, corajosa e ousada reinvenção, capturando o capitalismo e submetendo-o ao comando do Politburo Comunista, conduzindo-o em rédeas curtas à moda bicho que não pode mesmo ser criado solto senão devora tudo ao seu redor. A necessária reinvenção do Brasil não passa por ai, pelo Partido Único, muito pelo contrário, como propõe a Democracia Direta com Meritocracia, há mais de 20 anos na pista, ela passa pela reinvenção até mesmo da própria democracia e pela transformação de cada ente social num partido em condições de disputar todas as eleições em igualdade de condições entre os competidores e concorrentes, alicerçada no mérito dos pretendentes e não no dinheiro que eles conseguem arrebanhar às suas campanhas e muito menos nas safadezas eleitorais. Na qual, os mandatos serão de no máximo 5 anos, sem a praga da reeleição, eleições gerais e renovação total dos quadros políticos, de 5 em 5 anos, sem perder o tesão pela política, sem perder o padrão de qualidade e sem sofrer solução de continuidade, garantindo a alternância no poder enquanto afrodisíaco da democracia, instalando na porta de entrada do comando da Administração Pública, uma espécie de mata-burros, larápios, corruptos e afin$… https://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/2021/06/lula-nao-deveria-ter-exagerado-ao-citar-governo-forte-da-china-no-combate-a-pandemia.shtml?fbclid=IwAR3HOkzkSj91ncsMekf_EIPhEA-oEeWdcc9t2D24O3iZVWDIdP5bmPIadN8

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *