Se instalar a embaixada em Jerusalém, Brasil pode entrar na rota do terrorismo

Resultado de imagem para Israel Hayom

Jornal Israel Hayom é publicado em hebraico e tem site

Carlos Newton

Alô, generais!!! Pensei que vocês fossem agir como conselheiros do presidente eleito Jair Bolsonaro para evitar que dissesse ou fizesse asneiras, mas estou vendo que me enganei. O tal mito parece incontrolável e acaba de confirmar ao jornal “Israel Hayom” que transferirá a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém. E também adotou uma postura dura com a Palestina, dizendo que não a reconhece como um país. Diz a entrevista que Bolsonaro ressalvou que sua ideia de mudar o endereço da embaixada brasileira em Israel- seguindo os passos dos Estados Unidos e da Guatemala – não era só promessa de campanha.

“Israel é um Estado soberano. Se os senhores decidirem qual é a sua capital, nós os seguiremos. Quando me perguntaram durante a campanha se transferiria a embaixada se fosse eleito presidente, respondi sim. Vocês decidem sobre a capital de Israel, não outros povos”, declarou em entrevista telefônica concedida ao jornal conservador.

QUAL É A VANTAGEM? – Cá entre nós, o Brasil não ganha nada com essa postura de Bolsonaro. Pelo contrário, vai contrariar o mundo árabe (leia: islamita). A melhor posição seria seguir na neutralidade, pois nada temos com a briga deles por lá e aqui no Brasil judeus e muçulmanos ainda vivem em concórdia, dão um exemplo de civilidade.

O Brasil reconhece o Estado Palestino como país desde dezembro de 2010, após carta enviada pelo então presidente Lula da Silva ao presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas. E a ONU também reconheceu a Palestina como um “Estado observador” após aprovação em Assembleia Geral em 2012, cuja capital seria em Jerusalém Oriental.

A transferência da embaixada brasileira para Jerusalém, como capital de Israel, é uma medida polêmica. A comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense de Jerusalém como sua capital indivisível Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado.

DIREITO HISTÓRICO – Os palestinos querem se estabelecer como um Estado soberano que ocupe a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental. É um direito histórico deles, a ser negociado quando houver paz, pois os territórios foram ocupados por Israel após a Guerra dos Seis Dias, em 1967.

Outra bobagem de Bolsonaro é insistir em determinar a mudança da Embaixada da Palestina em Brasília, sob o argumento de que ela fica muito próximo ao palácio do Planalto. Nenhuma embaixada pode estar tão perto do palácio presidencial, então pretendemos mudar. Não há outro caminho, na minha opinião. Fora isso, Palestina primeiro precisa ser um estado para ter o direito de uma embaixada”.

NEUTRALIDADE – De repente, Bolsonaro está se sentindo como o dono do Brasil, não percebe que é apenas o representante dos cidadãos. A neutralidade é a melhor posição diplomática para o Brasil, que é um país respeitado internacionalmente por sua importância estratégica no Hemisfério Sul.

Se insistir em provocar os árabes e palestinos, o novo governo se arrisca em colocar o Brasil na rota do terrorismo islâmico. A quem isso interessa? Se os generais não colocarem um freio em Bolsonaro, o que ele vai fazer de asneiras não está no gibi.

52 thoughts on “Se instalar a embaixada em Jerusalém, Brasil pode entrar na rota do terrorismo

  1. CN o Brasil ganha respeito. Ganha visibilidade no mundo. Israel é uma nação de primeiro mundo. Podemos estabelecer parcerias em muitas áreas do conhecimento. Pesquise sobre a Universidade Hebráica de lá. Vc vai ficar surpreso com o desenvolvimento tecnológico de lá. Aproximaremos ainda mais dos EUA. Com certeza teremos vantagens.

      • EUA E ISRAEL LEVARAM PAU NA ONU, 189 votos X 2 (EUA e Israel). A paixão e submissão do ignorante pelo EUA o torna cega, não consegue ler nem para onde o mundo esta indo. “De repente, Bolsonaro está se sentindo como o dono do Brasil, não percebe que é apenas o representante dos cidadãos. A neutralidade é a melhor posição diplomática para o Brasil, que é um país respeitado internacionalmente por sua importância estratégica no Hemisfério Sul. Se insistir em provocar os árabes e palestinos, o novo governo se arrisca em colocar o Brasil na rota do terrorismo islâmico. A quem isso interessa? Se os generais não colocarem um freio em Bolsonaro, o que ele vai fazer de asneiras não está no gibi.” Não foi à toa que seus superiores hierárquicos há muito tempo tocaram o pé na bunda dele para fora do exército, sabiam que esse “idiota” como diz Carlos Newton, ia fazer muita merda. Mas daí, o sistema político podre o acolheu e deu no que deu, taí forjado pelo sistema podre um possível novo Calígula, o monstro que a sociedade romana forjou. A tendência dos EUA, enquanto bola da vez do mundo, é virar pó. China já tem o mundo inteiro a seu lado.

          • Bolsonaro, ao que parece, sofre da síndrome do ignorante que acha que sabe tudo, e nessa condição sem dar ouvidos à sabedoria real se sente no direito de se impor a tudo e todos, ao Brasil e a Deus ( isso, aliás, perfaz uma sintonia, dai a razão do seu sucesso eleitoral). Até parece praga. É a profecia do General Mourão Filho (aquele que precipitou a estupidez militarista na política) prestes a se realizar, um primário convertido em estadista pela horda de aduladores e aproveitadores, usada por eles durante 20 anos contra o tb ignorante Lula, porém não violento e nem raivoso, contra o qual não colou. Vem aí tragédia anunciada, a esta altura do campeonato que a gente já não aguenta mais nem um peito. O Brasil não merece isso, nós estamos sofridos demais, tb não merecemos isso, pelo amor de Deus.

    • Ganha respeito se no discurso se apresentasse como mediador firme, imparcial. Nesse sentido ambas as partes encontrariam a quem médias de sem servir a interesses da outra.
      Você com seu discurso de que seja melhor porque um é de primeiro mundo e o outro arrasado representa o pensamento fiel do racista. Você é racista?

    • Além disso, se o presidente diz respeito a Constituição, deixa de atender ao comando do art. 4, segundo o qual o Brasil se regerá nas relações internacionais pelos princípios do reconhecimento da autodeterminação dos povos, defesa da paz, solução pacífica dos conflitos, cooperação entre os povos para progresso da humanidade.

      Espero que o ministério público da união não fique olhando e passe a adotar nova orientação nas ações do governo no plano internacional.

      • Que mané Constituição, será que vocês ainda não perceberam que o país foi entregue a um insano mental ? E se é verdade o que disse aquele maluco do Adelino Bispo que foi Deus que mandou ele fazer aquela insanidade de estocá-lo com a peixeira então estamos todos fodidos porque ele deve estar protegido pelo Diabo. Aliás, ele que de garantia de vida ao Adelino Bispo, até porque se o infeliz desaparecer do mapa poderá caracterizar queima de arquivo.

    • Sim Marcelo, concordo com você. São países com altíssimas tecnologias e que podemos aproveitar. E Somos amigos. A questão da mudança de embaixada tem um significado político. Não acredito que devemos entrar nessa questão. Tanto o povo de Israel como o povo Palestino querem a tão sonhada paz. Mas esse conflito é mais político. Todas decisões para a paz devem ser apoiadas por nosso governo.

  2. Bom dia !!! A meu ver essa eventual mudança da embaixada brasileira certamente colocará o Brasil na rota do terrorismo internacional. Menos capitão, menos !!!!

  3. Concordo, Carlos Newton. O Brasil torna-se parceiro dos Estados Unidos no incondicional apoio a Israel e, consequentemente, adversário dos Palestinos. Bolsonaro precisa se civilizar.. Não, que a Madame Simpson estivesse com razão quando disse que “é mais fácil militarizar um civil do que civilizar um militar”. Nada disso. Mas Bolsonaro precisa ouvir os sábios, os civilistas e tem muita gente boa e competente para dar conselho a capitão-presidente.

    A declaração desta quinta-feira, de que ele não quer que a embaixada da Palestina continue tão próxima ao Palácio do Planalto é um insulto ao povo palestino. Ela está lá. Então, que fique onte está. A Palestina é uma Nação. Tem território, povo e governo, tanto quanto o Brasil. Um Chefe-de-Estado dar uma declaração dessa tem força de rompimento das relações diplomaticas entre Brasil e Palestina, reforçada com a prometida troca da Embaixada do Brasil, de Tel Aviv para Jerusalém, como fez o beligerante Trump. Devagar, presidente eleito. Devagar. Na pessoa de um presidente ficam reunidas muitos deveres, posturas e atitudes elevadas. Uma delas é a diplomacia.

    • Caro Béja! Desculpe o aparte, mas o Brasil de hoje é formatação dos civis desmilitarizados, não é? Ou será que estou enganado? De repente, esses caras que estão saindo são sábios civilistas e o país está nos píncaros da conceituação mundial, né?
      Abçs

  4. Quer ser grande enfrente com coragem os grandes problemas.

    Vamos nos acovardar e continuar também refém do PCC, CV, FARC (que já se uniram) e etc … e deixar o Brasil tomado de bandidos.

    Ficar escondido debaixo da cama é solução para fracos e covardes.

    Nada adianta acender uma vela pro Santo e outra para o Diabo.

    Política de neutralidade é vergonhosa e nos apequena, e não trara´protagonismo ao Brasil.

  5. Bom dia!

    Segue em link de acesso a uma meditação escrita aqui na TI.

    É sobre a situação na Síria; porém, se aplica a Israel também.

    É de três anos atrás … quando a Rússia entrou com a aviação … em defesa de Assad.

    Um aperto de mão.

  6. Quem sou eu – semianalfabeto, ignorante, estulto – para discordar respeitosamente, óbvio, com Newton e o dr.Béja?!

    Pois do alto da minha estupidez, discordo de ambos!

    Durante a sua longa história, Jerusalém foi destruída pelo menos duas vezes, sitiada 23 vezes, atacada 52 vezes e capturada e recapturada outras 44 vezes!

    A demarcação do Estado de Israel foi feita pelos britânicos em 1.917, com a Declaração Balfour.

    Declaração Balfour é uma carta de 2 de novembro de 1917 do então secretário britânico dos Assuntos Estrangeiros, Arthur James Balfour, dirigida ao Barão Rothschild, líder da comunidade judaica do Reino Unido, para ser transmitida à Federação Sionista da Grã-Bretanha.
    A carta se refere à intenção do governo britânico de facilitar o estabelecimento do Lar Nacional Judeu na Palestina, caso a Inglaterra conseguisse derrotar o Império Otomano, que, até então, dominava aquela região.

    O fim da Segunda Guerra Mundial, e a pressão dos judeus sobreviventes ao Holocausto, de modo que tivessem a sua pátria, ensejou que a ONU chancelasse o Estado de Israel em 1.948, inciando imediatamente as hostilidades entre os dois povos.

    A questão é tão complexa, que os próprios árabes deixaram de lado os palestinos!
    Mais interessados em vender petróleo, e manterem suas dinastias e regimes totalitários, os árabes pobres, como palestinos e iemenitas – que estão sendo dizimados pela fome, e sem que a comunidade internacional faça algo para evitar esta catástrofe no Yêmen -, pouco se interessam pela situação.

    Se Israel escolheu Jerusalém como sua capital, reconhecida pelos Estados Unidos e Guatemala, e o Brasil segue esses dois países concordando com esta mudança não vejo problemas, incluindo que poderemos com esta decisão, fazermos parte da rota internacional do terrorismo, conforme alerta Carlos Newton e ratificado pelo dr.Béja.

    Em princípio, o Brasil é um dos raríssimos países onde árabes e judeus convivem em paz.
    Uma espécie de oásis para os primos-irmãos.

    Não haveria espaço para os terroristas, haja vista que os árabes não permitiriam atentados, e até por fatores lógicos:
    dificuldade de se conseguir material adequado;
    dificuldade de se conseguir pessoas especializadas;
    rotas de fuga;
    depósitos;
    nossos serviços de inteligência somados aos de Israel e americanos, facilmente detectariam qualquer movimento neste sentido em nosso território.

    Agora, precisamos tratar dos nossos interesses e conveniências.
    Devemos continuar amigos dos árabes, evidentemente, mas temos de estreitar as nossas relações com os israelenses, que podem nos alcançar tecnologias e auxílio nas pesquisas de formas imprescindível e importantíssima!

    Jerusalém, na condição de ter sido na sua história uma cidade tomada por vários impérios, e que “pertencia” aos britânicos como colônia com a derrota do Império Otomano (turcos) na Primeira Guerra Mundial, não apresenta razões de que não possa ser capital do Estado de Israel, até porque os árabes possuem duas outras cidades consideradas sagradas:
    Meca e Medina, onde povo algum mete o bedelho, com exceção dos árabes, claro.

    Qualquer ato de terrorismo contra o Brasil pelos árabes ou grupos terroristas serão expulsos pelos próprios árabes!

    A quantidade que temos de palestinos no país, que vive em paz, que ganha seu dinheiro, que possui patrimônio, netos e filhos nascidos no Brasil é tão grande, que eles mesmos jamais permitiriam que fôssemos alvo de atentados, jamais!

    Precisamos ampliar nossas relações com países que podem nos dar algo em troca, que seja para nosso desenvolvimento e progresso.
    Israel e Estados Unidos seriam muito bem-vindos como parceiros comerciais, logo, se esta terra progride, ótimo também para os palestinos radicados no Brasil, que aumentarão seus negócios, enriquecerão, e poderão ajudar seus parentes e amigos que moram na Palestina!

    O meu abraço fraterno a ambos, Newton e dr.Béja.

    • Prezado conterrâneo Bendl,se me permitires.
      És um comentarista com viés ao contraditório,isso, é da sua essência,(genioso).
      Com essa postura e atitude,o amigo joga luzes para o bom debate. Portanto
      seus comentários são indispensáveis.
      Obs: todos nós,temos nossas limitações, não fique te desmerecendo.

      • Meu caro conterrâneo Souza,

        A gauchada se entende até por música!

        Conseguiste de forma muito hábil diagnosticar as minhas reações, pois serei sempre partidário do contraditório, da contestação, haja vista a moeda ter duas faces ou, a verdade ter sempre três aspectos:
        a minha verdade, a tua e a verdade, propriamente dita!

        Assim são os julgamentos, por sinal.
        No caso de eu ser o réu, apresentarei a minha defesa, a minha verdade; o Promotor de Justiças, as suas razões para me condenar, a verdade do Ministério Público; o Juiz, filtrará ambas alegações e dará o seu veredicto, a verdade verdadeira, pelo menos em tese.

        Busco neste espaço democrático a verdade verdadeira.

        No entanto, apresento minhas discordâncias quando pessoas que admiro e respeito – dr.Béja e Newton, que deles discordo neste assunto -, apresentam suas opiniões, seus pareceres, suas ideias, e não suas palavras no que diz respeito às suas profissões.

        Neste sentido, eu, burro, murcho minhas orelhas.

        No tocante a opinar, palpitar, eu expor as minhas razões a partir do momento que, nos meus parcos conhecimentos, discordo dessas alegações, e apresento as minhas, que as ofereço para debates, discussões ou que me mandem pastar!!!

        Parabéns pela tua argúcia, Souza.

        Forte abraço.

        • Conterrâneo Bendl,Eu tô ainda na ativa,escrevo na corrida via celular.CN pode constatar,perdoe-me,cometi uma gafe,Tu não és genioso,sim gênio, um visionário,cheio do talento que só os virgianos,gremianos,librianos,aquarianos.
          Independente mente da condição social,cultural etc.
          São qualidades inatas.
          GD.abraco

  7. Newton, você está certissímo. No Brasil existem mais árabes que judeus. Todos vivem em paz. Bolsonaro para imitar Trump quer provocar ira dos árabes. As conseqüencias virão sem nenhuma dúvida. Você está corretissímo. Vamos torcer para que Bolsonaro não jogue o Brasil em um abismo.

    • Antonio (nome de santo)
      Santos (sobrenome cristão)
      Aquino (sobrenome de S.Tomás)
      Pelas barbas do Profeta, meu! Você está na linha de tiro da turma barbuda! Já estão berrando lá do deserto: ‘Morte aos infiéis”! Hehehehe!

  8. Em 1948, quando foi criado o estado de Israel, deveria ter sido também criado o estado Palestino.
    Não o foi, porque os palestinos não aceitaram Israel e prometeram jogar os judeus no mar.
    Desde então, já tentaram em diversas guerras eliminar Israel, nunca conseguiram, e certamente jamais conseguirão.
    Israel prudentemente mantem os palestinos sob vigilância e boicotam qualquer iniciativa de formação de um estado palestino.
    Os próprios árabes não são unânimes contra Israel, e os palestinos só tem a solidariedade dos
    muçulmanos pobres, então fica muito difícil combater Israel, que alem de ser super organizado, conta com a subvenção monetária dos judeus ricos do mundo, e são muitos, alem do apoio incondicional dos americanos.
    Quem determina a capital do pais, é o próprio estado soberano, não reconhecer a decisão de seu governo, parece-me ingerência indevida em assuntos internos deste pais e também a era do “nanismo diplomático”, precisa chegar ao fim urgentemente.
    Quanto ao terrorismo islâmico, não tenham receio, eles não costumam mexer com quem não fede e também não cheira.

  9. Quer dizer que o “nazista e reencarnação do Hitler”, é totalmente favorável a Israel? Então aquelas faixas nas universidades, contrarias ao “FASCISMO”, seriam contra quem? Contra o “fascismo canhoto”?
    Passo a achar que era contra o “totalitarismo comunista”, só pode ser, porque é o único que ainda sobrevive no mundo.

  10. Está certíssimo o presidente Bolsonaro. Cisjordânia, Jerusalém e toda essa região não pertence ao mundo árabe, pertence aos judeus desde a migração dos hebreus do Egito guiados por Moisés.

    Outra coisa, é o povo mais culto e desenvolvido do planeta. É o povo com maior número de cientistas com prêmio nobel.

    Só por aí justifica a busca do estreitamento de relações com Israel!

    É uma questão de lógica! De inteligência!

    Israel já se comprometeu em ceder um estação de dessalinização da água do mar para o nosso Nordeste.

    O Primeiro ministro de Israel – Benjamin Netanyahu – disse que pretende vir para a posse de Bolsonaro.

    Isso tudo seria um sonha se não fosse a verdade.

    Bolsonaro terá todas as condições de transferir para o Brasil a tecnologia de dessalinização da água do mar e acabar com a indústria da seca no Nordeste. Acabar com a farra desses desgraçados desses coronéis que construíram clãs que se perenizam naquela região miserável.

    Bolsonaro tem plena condição de transformar aquela região seca mas eternamente ensolarada na maior região exportadora de frutas, como já ocorre com a atual região ribeirinha do Vale do São Francisco.

    Em contraponto, o que ganhou o Brasil com um povo que não tem nada a oferecer em termos de conhecimento como o povo árabe?

    Pelo amor de Deus, uma pessoa que não enxerga isso e é formador de opinião, é um perigo para o Brasil.

    • “Cisjordânia, Jerusalém e toda essa região não pertence ao mundo árabe, pertence aos judeus desde a migração dos hebreus do Egito guiados por Moisés.”

      O que mais me impressiona é que pessoas se deixam capturar por histórias da bíblia com tanta facilidade. Não se interpreta os fatos sob novos ângulos. Querer a História contata no livro “sagrado” numa época reafirmada e aplicada a todo custo.

      • Minha preocupação é com o Brasil é a acertada atitude de estreitar nossas relações internacionais com países que têm algo a nos oferecer, a nos acrescentar. Aproximação ideológica imbecil é coisa de comunista. E Bolsonaro nào é comunista. E é por esse motivo que ele foi eleito, para afastar os comunistas do poder.

  11. Não temos nada contra o mundo árabe, a não contra os seus sectários xiitas. Não temos nada a ganhar com aproximação de criadores de camelo e atiradores de pedra.

    Sou descendente árabe, meu bisavô saiu do Líbano e veio para o Brasil em busca de oportunidade. Respeito-os como respeito qualquer um, mas, não tem nada que esse povo possa nos oferecer.

    A discrepância entre o que o povo árabe e o povo judeu representa em termos de conhecimento e tecnologia é berrante!

    Temos que buscar quem nos acrescente algo de bom e não quem se aproxima da ideologia de pequenas frações da nossa população.

    Deixar de buscar aproximação com Israel por aproximação ideológica com a palestina é de uma estupidez sesquipedal.

  12. Abunnaki, você quer meter medo a medroso. Aos 87 anos vou ter medo de que? E meus dedos não estão enferrujados. Só para que todos saibam: Não ando com segurança. Se baterem em minha porta para arranjar encrenca: Bateram na porta certa. Eu tenho certeza que vou ficar em pé.

    • Tudo bem, meu! Mas pelo visto, mundo afora, não tenho toda essa certeza que você proclama! Quanto à segurança, desculpe a pergunta: Você é presidente de alguma coisa? Organização, Clube, Turma do Chope ou é igual ao Bolsonaro? Ele já é eleito “presidente do Brasil”, né? Dá para comparar? Ah!Já ia esquecendo! Parabéns pela idade! Eu também sou oitentão! É nóis na fita! Hehehehehe!

  13. Sr.Pires,a controvérsias em relação ao expolio das escrituras.
    Bíblia X Alcorão.
    Moisés X Maomé.

    Mas,o cerne da discussão se é conviniente”politicamente” ao Brasil a troca cidade Tel Aviv por Jerusalém.
    Pela ONU, Jordânia administra a cidade. Problema,como sempre ,é o dinheiro.

    Jerusalém,virou a meca do faturamento alto.
    Resto, é balela.

    Outra banda,sem dúvida, devemos intensificar relações comerciais com Israel, Rússia,China,e demais nações,(glória deuss-Ala).

  14. Os que te abençoarem serão abençoados ……
    Salmos 122
    1 ALEGREI-ME quando me disseram: Vamos à casa do Senhor.

    2 Os nossos pés estão dentro das tuas portas, ó Jerusalém.

    3 Jerusalém está edificada como uma cidade que é compacta.

    4 Onde sobem as tribos, as tribos do Senhor, até ao testemunho de Israel, para darem graças ao nome do Senhor.

    5 Pois ali estão os tronos do juízo, os tronos da casa de Davi.

    6 Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam.

    7 Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios.

    8 Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Paz esteja em ti.

    9 Por causa da casa do Senhor nosso Deus, buscarei o teu bem………………
    Gênesis 18
    …17Então o SENHOR falou consigo mesmo: “Ocultarei de Abraão o que planejo realizar? 18Abraão será o pai de uma nação grande e poderosa, e por intermédio dele todas as nações da terra serão abençoadas.
    Gênesis 12:3
    Abençoarei os que te abençoarem, amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar. Por teu intermédio abençoarei todos os povos sobre a face da terra!”………………….Nossa nação é cristã só está querem agradar a Deus !!

  15. Como toda pessoa, cada País tem direito em fazer suas escolhas. Por que deveríamos ficar submissos a um grupo de desequilibrados como são estes terroristas.

  16. Procuraram chifre em cabeça de cavalo e encontraram. A hora é de deixar o passado para trás, sair deste faz-de-contas pestista, abandonar este pensamento antigo e retrógrado que hoje domina o Itamaraty. Não podemos ficar presos a estereótipos antigos, é para frente e andando para frente é aceitar Israel como ele é, com sua capital e tudo mais.

  17. Um jornalista americano fez uma breve visita para Israel e descobriu que evangélicos apoiam e financiam o estado de Israel porque acreditam numa profecia-dispensação que prega que Israel precisa controlar todo o território da Palestina histórica para acionar o Armagedom-Apocalipse-Fim do Mundo-Arrebatamento, onde Jesus voltará. Os judeus morrerão ou serão convertidos. Os únicos que se salvarão serão aqueles cristãos que forem “nascidos de novo” – ou seja, evangélicos. Os cristãos da palestina, que fazem parte da população nativa daquela terra, também estão sendo lentamente cerceados e expulsos de suas terras pelo estado israelense, mas os evangélicos recomendam que eles aceitem tudo e se resignem a se preparar para o Fim do Mundo. Os evangélicos são a maior base de apoio político de Israel nos Estados Unidos e no mundo, assim como de forte apoio financeiro.

    https://www.youtube.com/watch?v=KCg6aJGyeoA

  18. Parabenizo o Sr. Francisco Bendl pelo contraditório equilibrado e respeitoso ao artigo em questão, pois penso que para isso é que o Sr. Carlos Newton procura manter essa Tribuna viva com a finalidade de que cada participante desta Tribuna possa expor sua ideia sem constrangimento. Penso que cada nação possui a soberania assim como autonomia necessária para tomar as decisões que melhor lhe convierem e, s.m.j., foi isso que Israel fez, as demais nações podem aceitar ou não, e como historicamente Jerusalém sempre foi sua capital, não vejo mal algum em o futuro Presidente assim reconhecer, penso que apesar da Palestina ainda não ser reconhecida como nação, ele poderia sim deixar a embaixada da mesma onde se encontra, assim como se alinhar com aqueles que procuram uma solução para que eles encontrem espaço para se estabelecerem como nação. Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *