Se Leonel Brizola soubesse a falta que faz ao Brasil, jamais teria ido embora…

Movimento Trabalhista Leonel Brizola - Home | Facebook

Com a Lei da Anistia Brizola voltou ao Brasil em 1979

Carlos Newton

No último domingo, dia 21, foram completados 16 anos da morte de Leonel Brizola, um dos maiores líderes políticos da História Republicana. Embora tenha sido perseguido implacavelmente pelo regime militar, Brizola nunca foi um esquerdista radical. Classificá-lo de comunista não tem o menor cabimento, até porque o engenheiro gaúcho jamais se interessou em se aprofundar nas teorias de Karl Marx e Friedrich Engels. Mas é claro que estava próximo às ideias do marxismo, devido à sua permanente preocupação com a população carente.

Ainda muito jovem, fez uma carreira extraordinária no Rio Grande do Sul, como deputado estadual, depois federal, prefeito de Porto Alegre e governador, notabilizando-se com um dos maiores construtores de escolas do mundo.

MUTIRÕES EDUCACIONAIS – Como prefeito e governador, sua prioridade sempre foi a educação. Utilizando mutirões nas comunidades, implantou uma rede de ensino primário e médio que atingiu os municípios mais distantes, inclusive nas zonas do pampa, de baixa densidade populacional, onde construiu escolas de madeira.

Foi recordista mundial, pois em quatro anos criou 5.902 escolas primárias, 278 escolas técnicas e 131 ginásios, colégios e escolas normais, num total de 6.302 novos estabelecimentos de ensino. Com isso. abriu 688.209 novas matrículas e admitiu 42.153 novos professores.

Cerca vez, assisti a um emocionado relato do grande jornalista Caco Barcellos, que narrou as dificuldades de sua infância pobre, dizendo que somente venceu na vida porque conseguiu estudar numa daqueles escolinhas de Brizola no interior gaúcho.

HERDEIRO DO TRABALHISMO -Brizola foi o legítimo herdeiro do trabalhismo do Alberto Pasqualini, genial sociólogo, advogado e político gaúcho, que tanto influenciou o governo de Getúlio Vargas, ao defender a tese de que o “capitalismo individualista precisa se transformar em capitalismo solidário, com uma socialização parcial do lucro”.

Pasqualini também se aproximava de Marx, por sustentar o princípio do Trabalhismo, de que “nenhum ganho é justo desde que não corresponda a uma atividade socialmente útil”. Além disso, ensinava que nem sempre o que constitui um ganho legal é um ganho justo, porque todo ganho deve estar sempre em função do valor social do trabalho de cada um. “Onde há ganhos sem trabalho, há parasitismo e usura social”, sintetizava Pasqualini.

Num país sem memória, Pasqualini é o gênio desprezado pelos brasileiros, criador de uma versão inovadora e brasileiríssima do Capitalismo, que encantou Brizola e os gaúchos em geral, mas acabou no esquecimento.

AS DESGRAÇAS DA SORTE – Como diziam Cacaso e Sueli Costa, “são as desgraças da sorte, são as traças da paixão”… e assim Brizola não conseguiu chegar à Presidência da República, atropelado por Lula da Silva, o “líder trabalhista” criado nos laboratórios do bruxo Golbery do Coutto e Silva e que desgraçadamente acabou tendo vida própria e levou o Brasil a essa situação que estamos.

Aliás, os militares estão nos devendo essa. Foram eles que conseguiram evitar que Brizola chegasse ao poder, em 1989. Será que estão satisfeitos? À exceção do corretíssimo Itamar Franco, que ameaçou colocar a PM de Minas na represa, para evitar a privatização de Furnas, que Paulo Guedes agora quer concretizar, tivemos de aturar Collor, FHC, Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro, seis perdidos numa noite suja, diria Plínio Marcos.

Será que valeu a pena os militares terem evitado que Brizola assumisse a Presidência? Claro que não. E o pior é que Brizola se foi, não deixou herdeiros e hoje ninguém nem sabe o que significa o Trabalhismo à brasileira, a melhor opção política já criada desde que o homem aprender a votar.

###
P.S. 1 –
País sem memória, hoje ninguém sabe quem foi Alberto Pasqualini. Da mesma forma, nem os militares sabem que o maior herói brasileiro foi o major Plácido de Castro, que derrotou os Estados Unidos e o Império Britânico, ao conquistar o Estado do Acre para os brasileiros. Mas isso é outra história, que eu conto sempre no dia 6 de agosto, como faço todo ano.

P.S. 2Dedico o artigo a essa legião de admiradores de Leonel Brizola que desde sempre frequentam a Tribuna da Internet e sabem que a memória do grande líder trabalhista jamais será esquecida por aqui. (C.N.)

44 thoughts on “Se Leonel Brizola soubesse a falta que faz ao Brasil, jamais teria ido embora…

    • Meu filho ontem me lembrou que estamos sem Ministro de Educação; sem Ministro de Saúde e com um garoto inexpressivo na Cultura e um moleque muito mal intencionado na Economia. Planejamento nem existe.

  1. 1) Por falar em heróis, lembro do Marechal Rondon, que cuidava dos índios e ele dizia: “Morrer se preciso for, matar nunca”.

    2) Grande Brizola… ele foi um grande Político e bom Administrador,

    3) O carma negativo do Brasil foi incompatível com as melhorias sociais que Brizola queria fazer.

    4) E assim, continuamos “Anão diplomático”, como profetizou uma autoridade israelense que nos visitou recentemente.

  2. Eu não gostava do Brizola, mas gostava de ouvir os discursos dele, o cara tinha o dom da oratória e o domínio da cena.
    CN, acho que o socialismo moreno dele não iria emplacar. Me lembro da briga Globo/Brizola e o direito de resposta no Jornal Nacional. Ele ganhou.

  3. E a lista de traidores é longa: Alcides da Fonseca, Cezar MaLa, Garotinho, Sebastião Nery. Ele foi um grande Maragato. Sentia cheiro de chimango de longe. E por isso era taxado de caixilho. Contra ele houveram mais de 90 IPMs. Foi sempre perseguido. Principalmente pela Globo. E hoje os que odeiam a Globo, são aqueles que lhe davam crédito no passado remoto E no passado recente.

  4. Sempre bom relembrar Leonel Brizola. No entanto, Carlos Newton, não dá pra concordar com sua afirmação: “Aliás, os militares estão nos devendo essa. Foram eles que conseguiram evitar que Brizola chegasse ao poder, em 1989.”
    Isso é contorcionismo com a verdade. Os militares permitiram que Brizola participasse do pleito eleitoral. Quem o impediu de disputar o segundo turno foi a rede Globo com intensas mentiras veiculadas diuturnamente contra o político gaúcho, juntamente com amplo apoio da MPB, onde Chico Buarque figurava como grande apoiador do Lula. Com isso, Collor teve o sonho de não enfrentar Brizola no segundo turno e pode assim passar o trator por cima do candidato das “estrelas”, aquele que estava preparado para perder.

    • Caro Rodrigo. Ouso discordar da sua afirmação e ombrear com a tese de Carlos Newton.
      Os militares não gostavam dos Trabalhistas: Vargas, Jango e Brizola. Repulsa antiga e que se agravou no governo de João Goulart. Seria enfadonho elencar as razões fáticas para tal. Mas, o medo da fantasiosa República sindicalista, comunismo,etc…era uma das razões.
      Por isso Golbery, a eminência parda do regime, criou a figura do Lula para dividir a oposição.
      Quanto ao sistema Globo, reflete o desejo dos empresários que anunciam nos jornais e na TV. Quando eles não querem o presidente, que prejudica os interesses da classe, o grupo derruba inexoravelmente. Seja da Direita (Collor), seja da esquerda ( Dilma).

  5. Digno CN,escrevo com emoção,os olhos lacrimejando.

    Patriarca da educação,(ciência tecnologia,cultura),tem nome, Leonel Brizola.

    Vc falou do Caco Barcellos,que foi taxista em Poa; Ana Amélia Lemos ex RBS.

    Mas,tudo iniciou com a influência do positivismo de Augusto Contte,no Brasil.Teve vários adpetos: Mal. Cândido Rondon, Roquete Pinto, e outros.
    Júlio Castilhos,foi que influenciou geração Vargas.

    Mas,sem dúvida Alberto Pasqualini,foi codificador, o ideólogo do Trabalhismo.

    Morreu o corpo do LEONEL DE MOURA BRIZOLA.

    Mas,sua ALMA, Espírito Público,Vive.
    Suas idéias, seu legado perdura na nossa mente,nossos corações,na história desse País..

    PS: Obrigado CN,vc engrandece a sua classe de verdadeiro jornalista.

    Forte Abraço…

  6. Não fossem outros méritos, só a idealização e construção dos Cieps, já o classificam como um grande brasileiro, realmente preocupado com o desenvolvimento do seu país.

  7. Meu pai foi um dos primeiros engenheiros do D.A.E.R., quando o Rio Grande ia atrás dos formados pela escola de engenharia para fazer parte do corpo técnico e o Estado iniciava forte sua infraestrutura rodoviária.

    Era um apaixonado por Brizola e eu, hoje me pergunto: como Brizola se adaptaria a estes tempos no qual seu discurso sobre as perdas internacionais já não mais faria qualquer sentido?! Mas a internet não lhe tiraria o dom da oratória, sua capacidade de transmitir com clareza uma idéia que fosse.

    Saudações lajeadenses a todos. Abração CN.

  8. Caro conterrâneo Ricardo Miguel, não sabia que é Gaúcho.

    Mas, rodovia BR 386,tem nome,
    Leonel Brizola,foi construído pelo um governador visionário para escoar a produção de soja e grãos,ao porto de Estrela,POA,Rio grande.

    A Fruk, refrigerantes aí de lageado,Varig, Mênfis sabonetes 4 estação,os frigoríficos,e várias indústrias,e famoso 4° distrito POA,tudo obras BRIZOLISTA,que incentivou os empresários empreendedor via BRDE..

    • Pois é, sou lajeadense, sai de lá aos 10 anos de idade rumo a Erechim e depois o portinho pra escola de engeharia da UFRGS.

      Formado meu destino foi Brasil, hoje moro em Goiania.

      Acompanhei – como piá – os trechos em construção da BR-386 quando estava em Lajeado e meu pai era o engenheiro residente do DAER.

      Poeira pra todo lado, mas era bom demais. Grande abraço!

  9. O Brasil é um país de homens fracos. O Zé do Planalto fala palavrão como bêbado de botequim, não tem classe para ser cafetão, tirou o Moro do Ministério para intervir na PF, mas um juiz do STF não tem culhões para determinar que ele responda á PF pessoalmente.(O Celso de Mello ainda está estudando se é possível convocá-lo!)

  10. Ah,as perdas internacionais, continua, oficial Macdonald,Burg king,e outros VC paga a franquia prós gringo.. lucros dos banqueiros,e outros.
    Sem falar do Faustão de repórter esportivo medíocre,virou milionário que vive EUA, Edir Macedo,Silvio Santos,Tuti Carvalho,e outros,todos com mansões e fortuna especulativo aplicado na Suiça,Reino Unido,e paraísos..

  11. A China reinventada, à sua maneira, conforme as suas próprias características e peculiaridades, para enfrentar as suas próprias dificuldades e demandas nacionais e internacionais, gigantescas, um país que consegue alimentar 1,5 bilhão de bocas e estômagos, satisfatoriamente, e que está prestes a se tornar a nação número 1 do planeta, e que vai dominar o mundo inteiro, por razões óbvias e ululantes, caso não surja nada de realmente novo em algum outro ponto do planeta para assumir a vanguarda civilizatória da humanidade, provando que a Democracia e o Estado Democrático de Direito, ainda é o melhor caminho a seguirmos, me parece o melhor exemplo posto na berlinda mundial a ser questionado com profundidade. No caso do Brasil, o passado não temos como resolvê-lo, imagino que, salvo os equivocados e os ladrões, todos fizeram ou tentaram fazer o melhor possível nas condições de quando tiveram o poder em suas mãos. Por outro lado, amaldiçoar a escuridão tb não adianta nada, como ensinou Confúcio. Aliás, a pergunta que está no ar desde Junho de 2013, e que não quer calar, é o que fazer com o Brasil, doravante, de modo a torná-lo melhor para todos. Pergunta essa que a direita, a esquerda e o centro, cada um de per si, infelizmente, não respondem, e não tem como responder, até porque , graças à Mãe Natureza, pela esquerda temos um braço e uma perna, pela direita idem, e pelo centro, entre duas orelhas, temos uma cabeça, imagino que para pensar e resolver as coisas, de modo que, na verdade, a nossa melhor performance só pode se dar como um todo, de direita, de esquerda e de centro, todos juntos e misturados, ainda que independentes porém unidos em irmandade, sendo essa a nossa melhor maneira de resolvermos a imensa problemática que nos rodeia, nacional e internacional. Daí, em homenagem a todos os heróis brasileiros, idealistas, que não são poucos, lembrando tb de Oswaldo Aranha que disse ser o Brasil um deserto de homens e ideias, que me remete a Teotônio Vilela pai, que, há 38 anos, num momento em que o homem não tem mais porque fugir de falar a verdade, disse, no Canal Livre da Band, comando pelo brizolista, Roberto D’ Ávila, com FHC ainda moço e projeto de político na bancada, que o Brasil ainda era, e continua sendo, apena um gurizão de calça curta, que necessita de um grande projeto nacional para eleva-lo à categoria de país adulto e quem sabe uma nação. E tendo em vista tais balizas, entre muitas outras, na condição de ex-vereador, e ex-candidato a deputado estadual, pelo PDT, na histórica chapa Lula-Brizola, em 1998, se não me falha a memória, terminei o mandato de vereador e me afastei da política-partidária-eleitoral, que, “data venia”, sempre me pareceu um lixão a céu aberto, do qual pulei fora, e tratei de elaborar o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, inserido na RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, no qual inseri todas as mudanças que eu gostaria de ver acontecer neste país, pela redenção da política, do país e da população, que, a meu ver, é a reinvenção do Brasil de modo a torná-lo melhor para todos.

  12. Caindo Na Real: ora, dada a essa proliferação de seitas evangélicas, a chance de Brizola lograr êxito, numa corrida à presidência, seria pouco provável. E pelo caráter que o revestia, ele não teria o cinismo do Bolsonaro, para se autopintar de camaleão ecumênico ou sincretista, objetivando a ludibriar o máximo de incautos,!

  13. Gzuis! Brizola! Um dos maiores imbecis da política brasileira, protótipo de ditador latino americano. Brizola é o pai da situação caótica em que o Rio de Janeiro se encontra até hoje. Ainda bem que essa porcaria nunca se elegeu presidente ou o Brasil teria o seu Peron e o Brasil todo seria um grande Rio de Janeiro. Foi tarde, que seja esquecido ou ao menos só seja lembrado pelo que foi de verdade um populista, com arroubos de ditador.

    • Esse seu comentário é hilário, exdruxulo e ignaro.
      O Rio de Janeiro sempre foi isso daí, que vemos hoje.
      Brizola tentou mudar criando 500 CIEPS. Nada se muda sem um investimento brutal na Educação. Ninguém fez mais do que Brizola.
      Por isso foi muito atacado com mentiras, como estás que tu elencas injustamente.
      Bizarro.

      • Dr° Roberto Nascimento, endosso plenamente suas palavras.

        Tens uns 4,5 robôs que só ficam desmerecendo,(debochando), dos comentários aqui externados.

        Pior tudo, não escreve uma lauda por exemplo:
        política externa do Itamaraty e as consequências das políticas mal formuladas etc..

        Sobre agronegócio.

        sobre hidrovias,portos, cabotagem etc..

        Turismo, saneamento básico,Luz, água,escoto.
        Gostaria que os Bolsonaristas relaciona se as coisas útil que esse governo fez até agora,para que possamos debater.

  14. O voto em si, em tese, como expressão da soberania popular seria o ideal, porém em países civilizados, com partidos e político de verdade, civilizados, mas no Brasil, ainda selvagem, na prática, revelou-se uma tragédia, aparelhou e destruiu todas as nossas instituições pretendidas democráticas, e as últimas que estão sendo desgraçadas são as forças armadas, que, se não mudarem o rumos das coisas, vão sair da era Bolsonaro, definitivamente, tb cobertas de titica dos pés à cabeça, ao que parece. Se o último bastião do conjunto da sociedade e da democracia, que é a polícia, as forças armadas, tb se arvorar em antros, ou feudos, de candidatos do sistema apodrecido, pode fechar o Brasil pra balanço. ” Acabou, porra.”

  15. “…atropelado por Lula da Silva, o “líder trabalhista” criado nos laboratórios do bruxo Golbery do Coutto e Silva e que desgraçadamente acabou tendo vida própria e levou o Brasil a essa situação que estamos.” Se é ou não criação do laboratório do Golbery não sei, mas posso te garantir, sem medo de errar, que a situação que ai está vem de longe, há pelo menos 130 anos, e que o Lula é apenas mais uma criatura fabricada pelo sistema político apodrecido, forjado, há 130 anos, pelo militarismo e o partidarismo, polítiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, que, na prática, são os donos da república, que protagonizam uma espécie de plutocracia putrefata como jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, ainda que fantasiada de democracia, dos quais somos todos vítimas, reféns, súditos e escravos, ainda que fantasiados de cidadãos e cidadãs. E o pior de tudo, é que não temos mais nem como chamar a polícia, com segurança, para nos proteger dos malfeitores, com a mesma tb metida na politicalha partidária-eleitoral ou golpista-ditatorial, até porque se vc chamar a polícia para prender um bandido cuja família seja eleitora do policial que atendeu a ocorrência, quem corre o risco de se dar mal é quem chamou a polícia para enquadrar o bandido.

  16. Eu defendo uma proposta para tentar mudar o destino deste país!

    PROCUREM, CAVEM E DESENTERREM UMA ENORME CAVEIRA DE BURRO ENTERRADA NA
    PRAÇA DOS 3 PODERES EM BRASÍLIA!
    Não é possivel! Temos uma tremenda falta de sorte, ou conforme queiram, um azar tremendo em momentos criticos de nossa história.

    Primeiro a eleição e a posterior renuncia de Janio Quadros! Se o povo tivesse escolhido o Marechal Lott, candidato do Presidente Juscelino, não teria existido renuncia, governo atribulado do vice Goulart(que nem era da mesma chapa do Janio), com certeza não haveria golpe em cima do Presidente Lott e provavelmente Juscelino voltaria em 1965. Mesmo que fosse eleito Carlos Lacerda, João Goulart/Brizola ou até um Adhemar de Barros eu diria que dificilmente haveria um golpe sobre um presidente eleito.
    Depois nos anos do regime militar, houve um notável progresso economico que não foi seguido por um bom desenvolvimento social, para ser justo, muito mais pelo enorme exodo rural do que por falta de empenho dos militares. Eles fizeram o que dava, até mesmo o MOBRAL tem que ser visto como uma tentativa valida.
    Depois já em 1985, o grande azar, a grande tragédia. O Presidente Tancredo Neves não poderia ter morrido em pior hora. Se tivesse morrido 1 ano antes, talvez tivesse sido possivel encontrar um outro lider, ou melhor ainda, tivesse morrido uns 5 anos depois, ele com certeza teria feito uma transição muito melhor para o regime plenamente democrático. A própria Constituição teria sido muito mais enxuta, sem muitos direitos para classes privilegiadas, que praticamente destruiram a capacidade de o país voltar a ter um crescimento sustentável. Não sou eu que defende isso, é o constituinte Delfim Netto! Na verdade, desde então, o país nunca mais voltou a ter um crescimento sustentável como no periodo de 1945 a 1980, só teve no máximo voos de galinha. O diagnostico claro é que o Estado ficou gigante demais e temos hoje nivel de tributação equivalente aos paises nórdicos com prestação de serviços públicos a nivel de países de 5º mundo.
    E depois o melhor governo dos tempos democráticos sem dúvida foi o do Presidente Itamar. Tal ridicularizado e tão eficiente, acabou com a inflação com o Plano Real e construiu um amplo apoio politico.
    Ainda dentro do governo Itamar, outro grande azar ou falta de sorte como queiram. Num plebiscito, previsto pela constituição de espirito parlamentarista, o povo foi convocado a decidir se manteria o presidencialismo ou escolheria o parlamentarismo ou até mesmo a volta da monarquia, nesse caso obrigatoriamente parlamentarista. Influenciado com certeza, pela falsa idéia de que era fácil destituir um presidente tal como tinha ocorrido com o Collor, o povo optou pela pior decisão mantendo esse presidencialismo , aonde o presidente pensa que manda e acaba sempre nas mãos de uma maioria parlamentar corrupta e fisiológica. Isso aconteceu com todos, FHC e Lulla tinham mais jogo de cintura politico e não correram risco de impeachment, apesar de terem que gastar muito dinheiro e capital politico para se manter no poder. Dilma aos trancos e barrancos se manteve até o fim do 1° mandato, para desgraça dela, do PT e do país conseguiu um 2° mandato já praticamente condenada a não terminá-lo. Deu no que deu. Michel Temer, com muita habilidade politica e sabendo comprar o Congresso conseguiu chegar até o fim do mandato.
    Nesses tempos acontece outra fatalidade. A morte de Eduardo Campos. Se fosse ele que tivesse ido ao 2º turno contra a Dilma, tenho certeza de que venceria. Aécio Neves, que quase ganhou, na verdade só perdeu porque conseguiu perder em seu próprio estado natal. Na verdade os mineiros já conheciam muito bem a figuraa, na verdade o azar em 2014 não foi a derrota do sacripanta Aécio, mas a morte do Eduardo Campos. Outro azar daquele ano foi aquela bola do Chile no travessão não ter entrado, se isso tivesse acontecido não teríamos passado pelo vexame do 7×1.
    Outro azar mais recente foi o povo na eleição de 2018,ter votado muito mais com o figado do que com o cérebro. Com ódio do PT, votou no candidato mais radical e despreparado, com a enorme ajuda é claro da facada que ao invés de matar o candidato acabou elegendo-o !
    CONCLUINDO EU IMPLORO! ACHEM E DESENTERREM A ENORME CAVEIRA DE BURRO ENTERRADA NA PRAÇA DOS 3 PODERES! obs.: Não sei se é verdade, mas dizem que os corintianos conseguiram achar e desenterrar a caveira de burro dentro do Parque São Jorge, antes do time sair da fila de quase 24 nos em 1977!

    • esqueci de acrescentar mais fatos de falta de sorte:
      – em 1989 Brizola com certeza venceria Collor no 2º turno, bem como em 2018, com quase toda certeza Ciro Gomes venceria Bolsonaro no 2 º turno.

  17. “Onde há ganhos sem trabalho, há parasitismo e usura social ‘, sintetizava Pasqualini.” Parasitismo, eis a desgraça do Brasil., devorado pela famigerada “Lei de Gerson”, que, inocentemente, apenas expressou o sentindo do brasileiro numa propaganda de cigarro. Parasitas é o que mais tem no Brasil, de todos os níveis e segmentos sociais, têm parasitas que não acabam mais. E a Vaca Salomé, coitada, atolada no brejo, cheia de carrapatos, dos pés à cabeça, que o diga. E como é que iremos tirar do brejo a pobre coitada, sem um guindaste forte, que a direita, a esquerda e o centro não têm , e foge de quem tem igual o diabo foge da cruz ?

  18. Não podemos esquecer que foi o “gato angorá” Moreira franco quem começou a derrocada do projeto educacional CIEPS do admirável Darcy Ribeiro com projeto civil de Oscar Niemayer.

  19. Boa tarde! Meu primeiro voto na vida foi para Leonel Brizola com muito orgulho. A grande mudança neste país só virá através da educação universal de alta qualidade. As outras mudanças virão na sequência. Brizola e Darcy sabiam como fazer escolas com funcionamento em período integral. Escolas de verdade! Eu tenho até hoje uma caneta Bic de 1989 com a frase: “Brizola na cabeça”. Só usei para escrever. Havia até uma brincadeira em que o pessoal perguntava ; “e aí, vai de que ?“ (na primeira eleição pós redemocratização) E a resposta dos malucos era ; “Marronzinho de manhã e de tarde e Brizola a noite”! Brincadeiras a parte, Leonel Brizola faz MUITA FALTA. Gostem ou não dele! Sou um dos órfãos do Brizola. Lula sempre atrapalhando. Sabia que não teria chances no segundo turno devido ao radicalismo e etc mas foi incapaz de um gesto de grandeza abrindo mão da candidatura e apoiando quem tinha chances de derrotar Fernando Collor . Um ser menor! Medíocre! Ainda me recordo dos debates e gosto de revê-los pelo YouTube. Abraços a todos

  20. Se ainda encarnado, meu irmão Vicente receberia cópia do texto e dos comentários. Em alguns, choraria. Em outros, esbravejaria! Jamais conheci um Brizolista como meu irmão. Dizia a todos que Getúlio tinha sido grande, mas Brizola poderia ter sido maior.
    E mais: não cansava de repetir que “amava Brizola”! E era (é) verdade! Muito debatemos e muito discutimos sobre Brizola! Por amar, ele o tinha como um pai, um ídolo maior. Já eu, e ainda continuo assim, sempre reconheci o grande valor mas também os erros.
    Fico feliz por ler tudo o que li hoje sobre Brizola!
    Existe um legado de Brizola que está jogado num canto escuro da história política do nosso Brasil!
    Líder nato, brigador, ferrenho defensor dos amigos e das causas. Hoje, certamente, teria dificuldades de fazer política: mudaram muito, as maneiras e os valores.
    Erros que cometeu? Vou mencionar tres, para não me estender mais.
    1 – deixou o trabalhismo sem objetivos e carregadores; 2 – perdeu a sigla PTB de “birra”:não conseguiu controlar a raiva! E ali, perdeu a história e a continuidade do trabalhismo. Devia ter aceito a proposta e depois limpado o partido; 3 – valorizou, deu espaço e chances a uma série de falsos políticos. Não deram seguimento a história do trabalhismo, de Vargas, Pasqualini, Jango e dele próprio.

    Agradeço ao amigo e mano Vicente, por grande parte do tudo que conheço de política!
    Agradecimento ao amigo e líder Tribunário CN, por lembrar Brizola – um gaúcho de fé.
    Texto e comentários serão guardados junto com arquivo pessoal do mano e irmão Vicente Fallavena Netto que, certamente, entenderá meu gesto.
    Fallavena

  21. Não podemos esquecer que foi FHC que emendou a Constituição em causa própria, com votos pra lá de suspeitos, introduzindo nela, às pressas, na calada da noite, o famigerado instituto da reeleição, garantindo-lhe o segundo mandato presidencial surfando na onda do “plano real”, tornando pior o que em si já era muito ruim, escancarando as portas para esculhambação total que ai está, tipo fim de feira, valendo lembrar que o Lula tb, caso quisesse seguir a lógica do FHC, em causa própria, poderia ter criado a tri-eleição, tb surfando na onda do sucesso da sua popularidade, em condições ainda mais favoráveis que o próprio FHC.

  22. Uma bela coleção, sem dúvida, de comentários inteligentes, atuais e fundamentados com bastante base histórica. e praticamente, todos eles fazendo referência à falência das instituições à disfunção de nossa constituição, mas nenhuma sugestão de como mudar para uma nova atitude de rebeldia civil e formulação de ideias que nos levem a medidas efetivas sde rompimento do circulo vicioso.

  23. Tenho consciência plena da capacidade, cultura e civismo do Editor, sua equipe de colunistas e o rol de comentaristas em torno deste espaço democrático, mas confesso que algumas vezes me sinto dentro de um ambiente acadêmico de história e ciência política e não em um debate popular de crítica e busca de soluções.

    • F.Moreno
      O espaço da nossa TI é para opinar, palpitar, debater, sugerir, criticar, rebater, infomar, nossa, quantas coisas.
      Amigo, já postei em outro comentário que, estamos trabalhando e concluindo um portal que possibilitará a apresentação e o debate de propostas sobre temas nacionais.
      Convido-o, assim com aqueles que desejarem, para participar conosco.
      Reitero: o Brasil precisa das ideiais, sugestões e participação de pessoas bem intencionadas.
      Quem sabe alguns possam contribuir com este trabalho.
      Fallavena

  24. Demagogo é quem tu apoia hoje cara. Você não dá uma ideia que se aproveite.
    Sempre irônico e sem um mínimo de razoabilidade, demonstrando não conhecer a história do Estado e do país.
    Nem sei porque perco tempo contigo, um caso perdido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *