Se Levy deve ser tratado como um Cristo, o governo está muito mal

Pedro do Coutto

Reportagem de Sérgio Roxo, Tatiana Farah, Catarina Alencastro e Washington Luiz, O Globo edição de 9, destaca as dificuldades que estão envolvendo a Convenção Nacional do PT que se instala quinta-feira em Salvador e se estende até sábado, a partir das divergências em torno da política econômica traçada pelo ministro Joaquim Levy. A presidente Dilma Rousseff e o vice Michel Temer defendem o ministro da Fazenda e, segundo a reportagem tentam amenizar as críticas que partem do próprio Partido dos Trabalhadores.

As contradições partidárias são evidentes. Tanto assim que Dilma Rousseff, em entrevista ao Estado de São Paulo, considerou injustas as críticas do PT a seu ministro. Não se pode fazer isso, criar um Judas. Isso é mais fácil e bem típico de uma forma errada de resolver o problema, acrescentou a presidente, ressaltando que o ajuste das contas públicas é essencial: não há outra solução a ser feita e para isso é preciso coragem. Nesta sequência, entrou em cena o vice Michel Temer. Procurou reforçar a defesa do ministro da Fazenda e disse textualmente: “Ele tem que ser tratado como um Cristo, que sofreu muito, foi crucificado mas teve uma vitória extraordinária na medida em que deixou um exemplo magnífico para o mundo. Penso que o ajuste fiscal que o ministro Joaquim Levy está levando a diante vai representar exatamente isso.”

Ao destacar a posição de Joaquim Levy a de um salvador, Michel Temer tacitamente reconheceu que o governo encontra-se mal. Já que só se pode salvar o que está dando errado. Temer assim além de reconhecer que o governo está mal, esqueceu de que ele também fez parte dele, como vice-presidente da República no primeiro ciclo do mandato de Dilma Rousseff. Recorrer a Jesus Cristo, filho de Deus, é um apelo desesperado à salvação. Pois Jesus Cristo, a maior figura da humanidade colocou-se numa escala histórica inultrapassável: dividiu o tempo entre ele e depois dele. Não pode haver corte mais profundo do que este.

FORÇAS DIVINAS

Mas deixando a história de mais de dois milênios e voltando a Convenção petista que se desenrola, podemos perceber que os apelos bíblicos de Dilma e Temer não foram suficientes para alterar os choques das correntes que dividem o PT. A CUT, por exemplo, vai a Convenção com documento próprio no qual faz restrições a Joaquim Levy e ao próprio governo Dilma Rousseff. Não está sozinha na posição. Uniu-se a outras correntes partidárias que condenam o ajuste fiscal, por causar desemprego, e querem que o governo cumpra o programa da legenda que prevê, com princípio, a taxação sobre grandes fortunas. O ministro Joaquim Levy é contra, prefere tributar as heranças, não diferenciando uma das outras. Acha que tributar as grandes fortunas afastará o ingresso de capitais esternos no país.

Vamos ver qual será a síntese do encontro ao qual deverão estar presentes tanto o ex-presidente Lula quanto a presidente Dilma Rousseff. São várias as facções em confronto. O Globo destaca três em que se dividem: os grupos Partido que muda o Brasil, Mensagem ao Partido e Partido Para Todos. O grupo majoritário Partido Que Muda o Brasil reúne Lula, José Dirceu, José Genoíno, Ricardo Bersoini, Jaques Wagner e surpreendentemente, Aloizio Mercadante. Logo abaixo a corrente na qual se integra Tarso Genro e os ministros José Eduardo Cardoso e Miguel Rossetto. Este grupo é contrário ao ministro Joaquim Levy. A terceira corrente, liderada por Marco Maia, Maria do Rosário e Arlindo Chinaglia, também ataca a política econômica de Joaquim Levy e entende suas restrições ao destaque que o PMDB possui no governo. Observa-se assim a existência de forças opostos ponderadas e que se equilibram no debate das teses principais.

Michel Temer talvez tenha razão, não por comparar Joaquim Levy a Jesus Cristo, mas por apelar por uma salvação do governo a partir do impulso de forças divinas.

 

 

16 thoughts on “Se Levy deve ser tratado como um Cristo, o governo está muito mal

  1. O grande e experiente Sr. PEDRO DO COUTTO analisa a aguda contradição entre o Programa do PT ( KEYNESIANA INTERVENCIONISTA), e a atual Política Econômica do PT, Governo DILMA II, sob o comando do Czar da Economia Ministro da Fazenda Sr. LEVY, secundado por um agora AUTÔNOMO Presidente do Banco Central Sr. TOMBINI, e Ministro do Planejamento Sr. BARBOSA, ( NEO-CLÁSSICA), com gosto chamada pelo PT e pelos Jornalistas de NEO-LIBERAL.
    É duro para o PT em seu V Congresso, ter que defender Flexibilização das Leis Trabalhistas, Lei de Terceirização para Atividades FIM, redução de Direitos Sociais, AJUSTE FISCAL, etc, e que se traduzem em grande DESEMPREGO, flagelo maior até do que a INFLAÇÃO, que recaem diretamente sobre os Trabalhadores Braçais, e medidas que dão vantagens diretas aos RENTISTAS como aumento de Juro Básico SELIC e Comerciais, etc.
    Ou se trai o Programa do PT, ou se desautoriza, se vaia, etc, o segundo/primeiro maior Líder do PT, a Presidenta DILMA ROUSSEFF e seu Governo.
    É interessante acompanhar como o PT, especialmente através de seu Líder maior, Presidente de Honra, Presidente LULA, se sairá dessa “sinuca de bico”. Abrs.

  2. Os três mosqueteiros da economia de Dilma e PT, nunca tiveram projeto para o país, copiaram tudo do PSDB, vão levar a economia para o buraco, juros altos, inflação galopando e baixo consumo, nenhuma economia aguenta.

  3. x
    x
    x
    x

    Evolução da carga tributária (CT) brasileira:

    Governo………..Período……….Variação da CT sobre o PIB………Variação no período
    ——————————————————————————————————-
    Sarney……….1986/1989………..de 22,39% a 22,16%………………..-0,23%
    Collor…………1990/1992………..de 22,16% a 25,38%…………………3,22%
    Itamar………..1993/1994………..de 25,38% a 28,61%…………………3,23%
    FHC…………….1995/2002…………de 28,61% a 32,36%…………………3,75%
    Lula…………….2003/2010…………de 32,36% a 33,76%…………………1,40%
    Dilma………….2011/2014…………de 33,76% a 35,42%…………………1,66%
    ——————————————————————————————————–
    Total………….1986/2014…………de 22,39% a 35,42%……………….13,03%

    Fonte: Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

  4. A trajetória da inflação acumulada projeta para junho o seu maior valor que ficará muito próximo dos 9%.

    Histórico da inflação:

    – julho/2014: 0,01%
    – agosto/2014: 0,25%
    – setembro/2014: 0,57%
    – outubro/2014: 0,42%
    – novembro/2014: 0,51%
    – dezembro/2014: 0,78%
    – janeiro/2015: 1,24%
    – fevereiro/2015: 1,22%
    – março/2015: 1,32%
    – abril/2015: 0,71%
    – maio/2015: 0,74%

    Projeção da inflação acumulada para junho/2015: i = {[(1,0001×1,0025×1,0057×1,0042×1,0051×1,0078×1,0124×1,0122×1,0132×1,0071×1,0074)^(12/11)]-1}x100 = 8,8%.

    Ou aproximadamente 9% de inflação acumulada em junho/2015.

    • Wagner, e estes cálculos não consideram a diminuição dos tamanhos dos produtos vendidos. Sabão em pó passou de 1 kg para 900 gramas. Pasta de dente que o tubo médio era de 90 gramas, passou para 72 gramas e para minha surpresa já está sendo vendendida com 52 gramas. E assim vai.

      • Pois é, caro Paulo. Isso que dizes na estratégia mercadológica se chama maquiagem de produtos. Uma forma da indústria nacional diminuir o peso dos custos para aumentar ou no mínimo manter a margem de lucro diante do encarecimento de suas matérias-primas e do limite de vendas, que se torna insuficiente diante da concorrência e/ou da consequente queda de faturamento.

        Quanto à projeção, é apenas uma projeção matemática que leva em conta a inércia inflacionária desenhada nos últimos onze meses e projeta a inflação acumulada em doze meses, isto é, em um ano. É apenas uma aproximação.

        Vamos ficar de olho!

        • Em tempo, acredito que na técnica de amostragem realizada pelo levantamento estatístico do IBGE o instituto capte a manobra da maquiagem sim.

  5. Dilma, a imbecil reeleita continua dando declarações falsas e imbecis para o seu público alvo.

    A última é a de que “a inflação será derrubada logo”.

    O logo dela em verdade corresponde a todo o período de 2015 até o final de 2016 quando o relatório trimestral de inflação do Banco Central estima o arrefecimento inflacionário.

    É de fato uma débil mental irresponsável falando pela bun…a para seu público de analfabetos e imbecis.

    E como tem no Brasil, ave!!!

    • O que esta imbecil não diz é que a inflação dos preços administrados que está acumulada em 14,11% a.a. irá continuar a pressionar o IPCA, uma vez que preços como a energia elétrica e os combustíveis, ainda sofrerão reajustes de preços recuperando valores perdidos com o represamento artificial que a retardada e seu ministro mendaz promoveram durante todo o primeiro mandato.

      Além disso, a inflação nos preços livres que acumula 6,71% a.a., e portanto, também está acima do limite superior de controle inflacionário do Banco Central (6,5%), continuará pressionando o IPCA.

      Mas, a débil mental “ex-bandida” também conhecida como Vanda dos Palmares continua dando declarações para os incautos no Brasil.

      • Inflação acumulada em doze meses (anualizada):

        1) nos preços livres:

        – Bens duráveis: 3,09%
        – Bens semiduráveis: 3,77%
        – Bens não duráveis: 7,27%
        – Serviços: 8,22%

        2) nos preços administrados pelo governo: 14,11%

        • O detalhe diabólico que o governo não diz é que a taxa selic está sendo aumentada para restringir o crédito e diminuir o consumo da população a fim de o governo tentar frear a inércia inflacionária no grupo de itens de despesa de preços livres. Só que esta margem de manobra está se mostrando ineficiente e limitada.

          Além do mais, a pressão dos preços dos itens de despesa com preços administrados pelo governo e que estão tendo que sofrer reajustes neste ano para o equilíbrio de seus preços de mercado estão reduzindo ainda mais os efeitos da política monetária sobre a tentativa de contenção da inflação.

          Não adianta falsear a realidade Madame, a alta da carestia vai ser cobrada dos brasileiros até final de 2016. E ponto final!

  6. ESTUDO DA RELAÇÃO DA CARGA
    TRIBUTÁRIA VERSUS RETORNO DOS
    RECURSOS À POPULAÇÃO EM
    TERMOS DE QUALIDADE DE VIDA
    PRINCIPAIS RESULTADOS ENCONTRADOS:

    – Entre os 30 países com a maior carga tributária, o Brasil CONTINUA
    SENDO o que proporciona o pior retorno dos valores arrecadados em prol do
    bem estar da sociedade;

    – A Austrália, seguida pela Coreia do Sul, Estados Unidos, Suíça e Irlanda,
    são os países que melhor fazem aplicação dos tributos arrecadados, em
    termos de melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos;

    – O destaque desta edição foi o Reino Unido, que deu um grande salto, em
    relação à sua posição anterior, passando do 17º para o 10º lugar;

    – O Brasil, com arrecadação altíssima e péssimo retorno desses valores, fica
    atrás, inclusive, de países da América do Sul, como Uruguai e Argentina.
    O trabalho teve por objetivo mensurar os 30 (trinta) países de mais elevada
    carga tributária (arrecadação tributária em relação à riqueza gerada -PIB) e
    verificar se os valores arrecadados estariam retornando para a sociedade,
    através de serviços de qualidade, que viessem a gerar bem estar à
    população.

    Para tanto, utilizamos dois parâmetros, para esse tipo de comparação: A
    Carga Tributária (arrecadação em relação ao PIB), que obtivemos junto à
    OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico,
    referente ao ano de 2013 (última atualização) e também o IDH – Índice de
    Desenvolvimento Humano, conforme dados do PNUD – (Programa das
    Nações Unidas para o Desenvolvimento), com o índice final também para o
    ano de 2013.

  7. Michel Temer comparar Joaquim Levy a Jesus Cristo é um absurdo por que o dele e o do Levy estão garantidos. Um pelo patrão Bradesco e outro pela Câmara.

    Temer esquece que ele e seus companheiros são parte integrante e ativa dos problemas que estão ocorrendo hoje no país.

    Na realidade, quem está sendo Crucificado são os trabalhadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *