Se Lula é tão popular, por que se recusa a sair às ruas e confraternizar com o eleitor?

Zeca Dirceu on Twitter: "Faltam 342 dias para o fim do governo Bolsonaro." / Twitter

Charge reproduzida do Arquivo Google

Vicente Limongi Netto

Pergunta que não cala, entre eleitores independentes, atentos e que pensam com a própria cabeça: quando Lula vai começar a botar a cara na janela? Quando vai circular nas ruas, nas feiras? Quando vai comer pastel no chinês e cachorro-quente na esquina? Não lidera as pesquisas? Elas não são verdadeiras? Por que, então o medo de sair de casa, da sede do PT ou das solenidades em locais fechados?

Será que o Lula do paz e amor tem receio de ser alvejado por ovos e tomates? Teme ser chamado de ladrão pelo povo, de santo de pau oco, coisas assim.

ALGO ESTRANHO – Para um candidato que já se acha vencedor do pleito de outubro, deve ser terrível ficar enclausurado em casa. Se os gênios da raça que cercam Lula acreditam que ele pode sofrer atentado, como sofreu Bolsonaro, é simples, coloquem nele um colete a prova de bala e tenham coragem de enfrentar a população.

Ou será, então, que são falsas – como o próprio Lula, aliás – as pesquisas dando expressiva margens de diferença para ele, diante dos outros candidatos? Caso seja eleito, Lula vai governar sem ver o sol nascer, como fazia, em Curitiba, quando ficou preso por 580 dias?

Com tantas perguntas sem respostas, muitos já acreditam que as pesquisas que colocam Lula na dianteira, são falsas. Como uma cédula de 3 reais.

DOCUMENTÁRIO – O comentarista e ex-jogador Casagrande virou astro de documentário na televisão.  Saudável e exemplar que Casagrande tenha forças para enfrentar os tormentos do vício. Porém, creio que craques eternos, que encantaram estádios e torcedores, como Gerson, o canhotinha de ouro do tri, também merecem ser focalizados e documentados, pelo muito que fizeram pelo futebol pentacampeão. Para serem eternizados pelas novas gerações. 

Gerson, 81 anos, cerebral meia armador, o famoso “Papagaio”, tem muitas histórias para contar.  Permanece ligado ao futebol. Com página no twiter e comentarista de rádio. Mora em Niterói, onde há anos mantém o Instituto Canhotinha de Ouro, reunindo centenas de crianças e adolescentes. Com direito, também, a educação, saúde e alimentação. Alguns deles, moças e rapazes, já contratados por clubes cariocas.

MENTALIDADE RUIM –  Por fim, não podemos deixar de comentar o baixo nível dessa campanha pesidencial, da qual pouco se aproveita e muito se desperdiça.

Prossegue a demagogia populista, embalada na tal polarização. Cansa a beleza de qualquer um. Falta racionalidade em tudo. Impera o bate-boca inútil, que não interessa ao país.  É de uma pobreza mental insuportável esta campanha para a presidência da República. Mediocridade diária, repetitiva, ocupando espaço na imprensa.

O povo brasileiro está farto de lorotas e bravatas. Merece um futuro melhor. Infelizmente, a esperança está rareando no cenário.

16 thoughts on “Se Lula é tão popular, por que se recusa a sair às ruas e confraternizar com o eleitor?

  1. 1) No segundo parágrafo: “ser alvejado por ovos e tomates não é nada”…

    2) A meu ver, ele corre risco de vida, pode ser alvejado fatalmente com um tiro …

    3) Acho que será uma campanha nos auditórios… e on line…

  2. Ora, Vicente… Não parece que estás a acompanhar senão o que verdadeiramente interessa a ti que é a eleição de seu Bolsonaro.
    Aqueles que querem ucranizar o Brasil também com suas táticas nazifascistas estão a cercar oponentes -especialmente Lula – para causar tumultos.
    Conseguem se infiltrar em eventos.
    Onde tem mais fanáticos do que no lado dessa extrema-direita?
    É de se imaginar que até escambe para violência e não termine bem. Ou com atos contra Lula ou enfrentamento físico com apoiadores ou simpatizantes.

    • Têm extremistas quando vejo que que eu mesmo tenho vontade íntima que fosse eliminado de tão repugnante vejo as falas e gestos.
      Uma sociedade aos moldes dessa gente nada teria de fraterna. A harmonia que querem é segundo seus ideais que estabelecem um padrão e elimina o que há de mais rico na humanidade que são as diferenças que eles negam – pois são preconceituos, racistas, xenofobos, misogenos etc.

  3. Lula não é popular, muito pelo contrário. É odiado, e sabiamente, um gangster condensado.

    Vamos votar nele por simples falta de opção, minimização de danos, o menos horrível, definições não faltam…

    Entre Bolsonaro e qualquer outro, o povo vai votar na 2a opção.

  4. Brizola, morava na Avenida Atlântica quase esquina de Miguel Lemos, era governador.
    Saia de casa e ia a pé sem seguranças até a Rua Miguel Lemos no bar fechado com portas de vidros para saborear um vinho. Ali, discutia política com os frequentadores. A pergunta da época era porquê não apoiou o Sérgio Magalhães? Ele respondia.
    Qual governador ou presidente pode fazer isso hoje?

    • LULA mora desde há tempos antes de eleito no mesmo endereço de São Bernardo do Campo… mas tacharam ele por meio de apresentação/denúncia em PowerPoint de chefe de Ocrim… seria o chefe de Ocrim mais miserável que existe…

  5. Por que Lula não vai às ruas?
    Tente lembrar, a última vez que tivemos uma polarização deste tamanho! Talvez nunca!
    Quem sempre foi às ruas, nas últimas décadas, foi a esquerda. A direita e o centro (não centrão), realizavam pequenas manifestações. Nunca foi uma prática da classe média, mas da pobre. Eram intelectuais, artistas e pequenos movimentos sociais que levavam pessoas suas à rua.
    Nos dias atuais, não mais é assim. Temos quatro grupos de pessoas: a esquerda, os bolsonaristas, os sem chapa e os sem ideias. E as duas maiores são de Lula e Bolsonaro. E mais: ambas com as mesmas práticas, ações e reações.
    Antes, quem “arruaçava” eram os esquerdistas! Basta ver-se as bandeiras e as identificações nos quebra-quebra, ataques à empresas, etc.
    Os seguidores de Bolsonaro, os mintorianos, aprenderam, pouco a pouco as práticas da esquerda.
    Agora, Lula tem de se preocupar. Tem seguidores do outro lado, dispostos a atos iguais aos que os seguem!
    Mas por favor, não classifiquem os mintorianos como de direita! Alguns deles até podem ser, mas o líder, certamente é centrão!
    Fallavena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.