“Se meu mundo caiu, eu que aprenda a levantar”, cantava docemente Maysa

Maysa Monjardim OficialPaulo Peres
Site Poemas & Canções

A cantora e compositora paulista Maysa Figueira Monjardim Matarazzo (1936-1977), na letra de “Meu Mundo Caiu”, expressa o estado depressivo em que mergulhou após a separação do seu marido André Matarazzo, motivo que acentuou ainda mais o tom melancólico e triste de suas composições, reconhecidas como “músicas de fossa”. Esse samba-canção foi gravado por Maysa em 1963, pela RGE.

MEU MUNDO CAIU
Maysa

Meu mundo caiu
E me fez ficar assim
Você conseguiu
E agora diz que tem pena de mim

Não sei se me explico bem
Eu nada pedi
Nem a você nem a ninguém
Não fui eu que caí

Sei que você me entendeu
Sei também que não vai se importar
Se meu mundo caiu
Eu que aprenda a levantar

3 thoughts on ““Se meu mundo caiu, eu que aprenda a levantar”, cantava docemente Maysa

  1. Maysa era nostálgica, como esta música – o meu mundo caiu. Uma deusa, com linda voz de veludo, ela lindissima, bela interpretação. São inúmeros o sucesso da deusa Maysa. Ouça – vá viver a sua vida…! Demais, Bom dia tristeza, resposta,

  2. Uma boca e dois oceanos não pacificos – Assim Manuel Bandeira poetisou Maysa

    MAÍSA – Manuel Bandeira
    Um dia pensei um poema para Maísa
    “Maísa não é isso
    Maísa não é aquilo
    Como é então que Maísa me comove me sacode me buleversa me hipnotiza?

    Muito simplesmente
    Maísa não é isso mas Maísa tem aquilo
    Maísa não é aquilo mas Maísa tem isto
    Os olhos de Maísa são dois não sei quê dois não sei como diga dois Oceanos Não-Pacíficos

    A boca de Maísa é isto isso e aquilo
    Quem fala mais em Maísa a boca ou os olhos?
    Os olhos e a boca de Maísa se entendem os olhos dizem uma coisa e a boca de Maísa se condói se contrai se contorce como a ostra viva em que pingou uma gota de limão
    A boca de Maísa escanteia e os olhos de Maísa ficam sérios meu Deus como os olhos de Maísa podem ser sérios e como a boca de Maísa pode ser amarga!
    Boca da noite (mas de repente alvorece num sorriso infantil inefável)”

    Cacei imagens delirantes
    Maísa podia não gostar
    Cassei o poema.

    Maísa reapareceu depois de longa ausência
    Maísa emagreceu
    Está melhor assim?
    Nem melhor nem pior
    Maísa não é um corpo
    Maísa são dois olhos e uma boca

    Essa é a Maísa da televisão
    A Maísa que canta
    A outra não conheço não
    Não conheço de todo
    Mas mando um beijo para ela.

  3. Ouça – composição de Maysa

    Ouça, vá viver
    Sua vida com outro bem
    Hoje eu já cansei
    De pra você não ser ninguém

    O passado não foi o bastante
    Pra lhe convencer
    Que o futuro seria bem grande
    Só eu e você

    Quando a lembrança
    Com você for morar
    E bem baixinho
    De saudade você chorar

    Vai lembrar que um dia existiu
    Um alguém que só carinho pediu
    E você fez questão de não dar
    Fez questão de negar

    Quando a lembrança
    Com você for morar
    E bem baixinho
    De saudade você chorar

    Vai lembrar que um dia existiu
    Um alguém que só carinho pediu
    E você fez questão de não dar
    Fez questão de negar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *