Se você estivesse no lugar de Temer, confiaria em Rodrigo Maia?

Resultado de imagem para temer e rodrigo maia charges

Charge do Kacio (kacio.art.br)

Carlos Newton

A confusão é geral na Praça dos Três Poderes, que virou uma espécie de feira-livre, com deputados vendendo votos por trinta dinheiros, a desmoralização é completa, está valendo tudo para manter Michel Temer no governo. Por isso, não houve novidade no resultado da votação do parecer do deputado Sérgio Zveiter na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Já era esperada a derrota do pedido para processar Temer por corrupção passiva.

NOVA ESTRATÉGIA – A grande surpresa veio no início da noite, quando o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), anunciou a mudança da estratégia. Na empolgação pela vitória por suposta larga margem (40 votos a 25), o Planalto meteu o pé no freio e decidiu não mais acelerar a votação em plenário.

Realmente, ninguém esperava por isso.  Pelo contrário, o intenso troca-troca patrocinado na Comissão mostrava que Temer terá dificuldade para conter a rebelião de sua base. Por isso, havia informações de que governo pretendia realizar a votação em plenário até segunda-feira (dia 17), antes do recesso parlamentar, que vai começar no dia seguinte.

MUDOU TUDO – De repente, essa avaliação passou a não estar mais valendo, Jucá anunciou que não é mais preciso ter pressa para votar a denúncia contra Temer, porque caberá à oposição conseguir o quórum mínimo para a votação (342 deputados presentes). “Pode ser que até 31 de dezembro de 2018, se eles conseguirem, a gente bota para votar. Se não, vão processar o próximo presidente“, ironizou Jucá.

Há algo estranho nessa declaração, até porque a vitória na Comissão não foi tão significativa como parece. Foram 40 votos contra o parecer do relator Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) e 25 a favor. No entanto, como o governo teve de substituir 20 integrantes da CCJ, a contagem significa que, em condições normais de temperatura e pressão, o resultado teria sido de 45 votos a favor de abrir o processo no Supremo, com apenas 20 votos contra.

Diante dessa realidade aritmética, por que houve essa mudança tão brusca de perspectivas. O que teria realmente mudado, de uma hora para outra, a ponto de o Planalto alterar de forma radical sua estratégia?

TUDO MUITO CONFUSO – Está difícil encontrar uma explicação para esse fenômeno jurídico. Como aceitar a viabilidade dessa nova estratégia, se a cúpula do Planalto há duas semanas vinha se dedicando a fazer contas e avaliar as tendências de cada um dos 513 deputados, sem em momento algum ter conseguido chegar a uma perspectiva satisfatória.

Além disso, o problema do Planalto vinha se agravando em função do posicionamento de Rodrigo Maia, que claramente está costeando o alambrado, de olho na Presidência, como diria Brizola.

Será que o presidente da Câmara decidiu jogar a toalha e se reintegrar à cúpula do Planalto? Não parece provável, até porque ele imediatamente marcou a votação em plenário para o dia 2 de agosto, quando poderia ter postergado. E agosto é conhecido como mês do cachorro louco no calendário político brasileiro.

FUNARO E CUNHA – O tempo conspira contra Temer e favorece Maia, principal interessado na abertura do processo que provocará o imediato afastamento de Temer por 180 dias. Já começou a ser divulgado o novo depoimento do doleiro Lúcio Funaro, que delatou Geddel e diz ter documentos sobre a entrega de malas de dinheiro ao ex-ministro e amigo de Temer. Além disso, o ex-deputado Eduardo Cunha também quer fazer delação, está se oferecendo à Lava Jato para destruir o que ainda resta do atual presidente.

Com tantas acusações e tantas más companhias, a situação de Temer só tende a se agravar. Em tradução simultânea, pode-se dizer que hoje ele depende diretamente de Rodrigo Maia, que a qualquer momento pode aceitar um dos 19 pedidos de impeachment já apresentados. Aliás, na forma da lei, Maia já deveria até ter aceitado algum deles.

###
PS –
E fica no ar a pergunta que é preciso responder: Se você estivesse no lugar de Temer, confiaria em Rodrigo Maia? (C.N.)

9 thoughts on “Se você estivesse no lugar de Temer, confiaria em Rodrigo Maia?

  1. Prezado CN,
    Ninguém em sã consciência confiaria em um Maia. Particularmente não confio em quaisquer políticos, sejam de esquerda ou direita. Mas nem por isso confio também em um governo militar autoritário. Tenho esse direito de ser independente, por mais que muitos não aceitem (comentários fascistas da internet que o digam). Nem todo mundo entra no jogo da dicotomia indigente que exige opção entre A ou B. Além disso, que justiça seja feita, tudo pelo qual estamos passando deve ser reputado a quem deve por direito. Uma ocasião, em meu trabalho (quando do período das vacas gordas no império petista) fiz uma crítica às alianças do PT com Sarney, Maluf, Collor e Temer. Isso me trouxe grandes problemas e manifestação de ódio por parte de pessoas próximas (justificaram isso pela velha “governabilidade”). Pois bem, hoje reafirmo tudo e, assisto (não contente), de camarote, ao que sobrou do que se tornou o nosso país-cadáver depois da chance dada à esquerda representada pelo governo anterior. Não adianta lamentar, o que aí está, o êxito do escárnio, a vitória da falta de ética e da corrupção, a escravização pelas reformas, tudo é responsabilidade também do próprio PT. Se o PT não tivesse se aliado à matilha conservadora que há décadas escraviza e manipula o povo, talvez hoje não estaríamos passando por toda essa humilhação. Podem não aceitar, porém, quanto mais a extrema-direita cresce no país, maior a responsabilidade dos governos de esquerda, que, ao invés de aproveitarem, à ocasião, a oportunidade para implantar novas metodologias políticas, aperfeiçoaram o que existe de mais velho no reino do assistencialismo e da demagogia política. Sem contar nos esquemas de desvio do dinheiro público que se ampliaram nos últimos anos.
    A realidade é clara e transparente, não venham exigir posicionamento em favor de Lula ou de Temer, como se as reformas estivessem mediando esses apoios. Sou contra as reformas e nem por isso sou a favor de Lula. Existe vida pensante no país! Queiram ou não, as pessoas ainda têm liberdade de pensamento.
    E para finalizar, reafirmo que o governo Temer não é nada mais nada menos do que uma reminiscência do governo anterior. Um não existe sem o outro, por mais que queiram isso escamotear.
    Eis o grande projeto social que restou: políticos corruptos, povo saqueado e manipulação a granel (tudo acompanhando com as bençãos do Supremo Tribunal Federal).
    E, a propósito, antes que eu me esqueça: Viva a Lava Jato! Viva Moro! Viva o MPF! Viva a PF! São nossas únicas bandeiras de orgulho como cidadãos!

    • Temer, mesmo impopular, com medo de panelaços, está ganhando todas, como se fosse um grande lider.
      Levou a reforma trabalhista – aprovada. Adeus CLT – Consolidação das Leis do Trabalho.
      Vitória na CCJ.
      O governo argumenta que a reforma vai ajudar o trabalhador e gerar empregos. Só acredito vendo.
      Vá entender!

  2. Uma coisa eu não consigo entender, se a denúncia
    contra o Temer, terá que ser decidido no plenário, porque então esta “pantomima” na comissão de constituição e justiça? Penso ser perda de tempo.
    Também, quanto a confiança do Temer no Rodrigo Maia, é bom lembrar que, quem cria cobras, deve ter o cuidado para não ser picado por ela.
    No filme Lawrence da Arabia, em uma cena, o embaixador inglês diz a um grupo de oficiais: “Até entre os ladrões na cadeia, existe ética, só na política é que não existe”.
    Parece que ele sabia das coisas.

  3. É um vale tudo para manter o Temer no governo, assim como é um vale tudo para tira-lo.
    A câmara.dos deputados, lembra-me muito uma torcida de futebol de dois times, em que cada uma torcida defende seu time apaixonadamente sem o uso da razão e do bom senso.
    O PT, PSOL, REDE, PC do B e PDT, defenderam a Dilma até o último dia do seu impeachment, mesmo sabendo, que mentiu para ser eleita e com as pedaladas fiscais levou o país a sua maior crise , que dura até hoje. Agora, querem tirar o Temer, por suposta corrupção.
    Parece-me que a oposição liderada pelo PT e seus aliados, estão mais para vingança, do que defender os interesses do país. O governo Temer, é um governo ruim , mas é melhor que o governo da ex-presidente Dilma.
    São dois lados. defendendo e atacando irracionalmente, sem levar em consideração os interesse do Brasil.
    Se o Temer for afastado da presidência, assume o Rodrigo Maia, que provavelmente sofrerá uma denúncia do Rodrigo Janot, a crise aumentará, prevalecerá a filosofia de quanto pior melhor. O maior interessado em tudo isso é o PT e seus aliados.

  4. Minha simples opinião:
    Se Maia entrar e tiver dívidas, que as pague.
    Se precisar impedi-lo, que se faça dentro la lei.
    A única razão para tudo o que está acontecendo no país, todo o sofrimento e humilhação do seu povo só pode ser justificado pela limpeza necessária que foi se acumulando desde Pero Vaz de Caminha.
    Parece loucura defender a limpeza mesmo arriscando a governabilidade?
    Sim, parece.
    Mas se não ousarmos mudar com coragem nunca teremos um país para nos orgulhar!
    Se a Lava Jato não ousasse, se o MPF não tivesse coragem, se a PF não resistisse, se Moro não fosse destemido, não teríamos descoberto a corrupção endêmica que assola a política e que violenta nossos direitos ao desviar recursos preciosos para os bolsos de nossos traidores representantes.
    Que se faça justiça, doa a quem doer!
    Queremos o nosso país limpo!
    Nem que para isso recomecemos do zero!

  5. Renan Calheiros, que é igual ao Cunha, está aí livre, leve e solto, assim como tantos outros. Se é para fazer limpeza geral, que denuncie todos,os políticos, sem exceção e feche o congresso. Os poucos políticos, que não se envolveram diretamente na corrupção, assistiram calados..
    O que está acontecendo com MPF é a rapidez, a agilidade na ânsia de condenar uns e a lerdeza para condenar outros.
    Não nos iludamos: são três podres poderes..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *