Seja qual for o novo presidente, ninguém tira Meirelles da equipe econômica

Resultado de imagem para henrique meirelles charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Carlos Newton

Brasília continua em chamas, mas o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, parece cada vez mais tranquilo. Já se conformou com a impossibilidade de se candidatar na eleição indireta, por impedimento legal (desincompatibilização), mas garante que não sairá do cargo, só faltou imitar Dom Pedro dizendo ao povo que vai ficar. Animado com a declaração de Meirelles, o tucano Pedro Parente também anunciou que permanecerá na presidência da Petrobras até 2019, vejam até onde vai a autoconfiança dessa gente que representa interesses econômicos que nada têm a ver com os reais interesses da nação.

MUDANÇA DE RUMO – O presidente Michel Temer, é claro, não gostou nada da declaração de Meirelles. O  ministro então fez uma correção de rumo e passou a dizer que o chefe do governo vai cumprir seu mandato e se manter no cargo até o fim de 2018. “Meu cenário-base é que o presidente vai continuar”, afirmou Meirelles no Encontro Nacional da Indústria da Construção, ao ser questionado sobre a crise política que ameaça a continuidade do governo.

Mas a disputa continua nos bastidores. Para alfinetar Meirelles e agradar ao presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, que está arquivando em massa os pedidos de impeachment, Temer nomeou para o BNDES o economista Paulo Rabello de Castro, que estava no IBGE e vinha fazendo duras críticas à suposta recuperação da economia, dizendo que os números não indicam essa tendência. Rabello é conhecido por seu radicalismo neoliberal, chaga a ponto de considerar que a reforma da Previdência é “fraca demais” e também defende uma redução mais abrupta dos direitos trabalhistas, só falta recriar a escravidão.

PONTOS EM COMUM – Embora discordem sobre política econômica, Meirelles e Rabello têm muitos pontos neoliberais em comum. Além de lutar para reduzir as conquistas sociais, o ministro da Fazenda e o novo presidente do BNDES jamais aceitam discutir o maior problema do país — o crescimento descontrolado da dívida pública. Meirelles alega que estará tudo sob controle em 2020, Rabello faz cara de paisagem, mas o que se vê é um aumento progressivo e ameaçador da dívida pública, e a grande mídia não está nem aí.

Quanto à política econômica, Meirelles não aceita críticas e garante que não sai da Fazenda, não importa quem seja eleito pelo Congresso. “O País vai bem e a economia está crescendo. O importante é que o País está na rota certa”, diz o ministro, que pode ser considerado o maior representante das elites brasileiras, especialmente os banqueiros, que cobram juros de até 500% ao ano nos cartões de crédito, em cenário de inflação anual de apenas 5%, e o governo não diz nada.

“PEJOTIZAÇÃO” – Sobre as leis trabalhistas, o ministro avalia como “irrelevante” o risco de um aumento do processo de “pejotização” do trabalhador. Segundo ele, essa possibilidade é limitada a algumas profissões e seria inviável em fábricas com milhares de trabalhadores.

O fato é que Meirelles é um farsante, um sofista mal-intencionado. Sabe que a contratação de empregados como se fossem pessoas jurídicas já atingiu o ponto de saturação e por isso não vai aumentar muito. No Brasil, praticamente não existem empregados com carteira assinada que ganhem mais de R$ 20 mil mensais. Meirelles sabe disso. Todos as instituições financeiras, assim como as grandes e médias empresas, só contratam diretores, executivos e gerentes como se fossem pessoas jurídicas. O grupo Friboi, onde trabalhava, funciona assim. Meirelles nunca teve carteira assinada, era “pejotizado”.

SONEGAÇÃO BRUTAL – O prejuízo é enorme para o INSS e o Imposto de Renda, mas o governo jamais se preocupou em calcular. Veja-se o exemplo de Fausto Silva, que o site BOL diz ganhar R$ 5 milhões mensais. Teria de pagar 27,5% de Imposto de Renda (R$ 1,375 milhão), paga apenas 10% (R$ 500 mil), portanto, sonega R$ 875 mil por mês.  Além disso, deixa de pagar os 11% do INSS (R$ 550 mil).  No mesmo esquema, a TV Globo sonega 20% do INSS (R$ 1 milhão). No total, a sonegação do Faustão/Globo vai a R$ 2,425 milhões por mês, chegando a R$ 29,1 milhões anuais. Nada mal.

Economistas como Meirelles e Rabello agem como criminosos, do tipo Robin Hood ao contrário, porque tiram dos pobres e da classe média para dar aos ricos. No Brasil, quem sustenta a Previdência, basicamente, são os trabalhadores de carteira assinada, os servidores civis e militares e os funcionários das estatais. Nenhum deles consegue sonegar, porque o Imposto de Renda e o INSS são descontados obrigatoriamente.

É um crime fazer uma reforma da Previdência sem antes promover uma análise atuarial profunda. Se perguntarem  qual o prejuízo do INSS e do IR com a “pejotização”, Meirelles e Rabello não sabem. Também desconhecem quanto o INSS e o IR perdem com a crescente terceirização, que envolve cooperativas e Organizações Sociais fraudulentas. Somente a Petrobras tem mais de 300 mil terceirizados. Mas quem se interessa?

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA grande mídia se cala, porque está falida. Jornais e revistas reduziram seus quadros, têm ocorrido demissões em massa, não há mais sucursais nem correspondentes, apenas “colaboradores” que ganham por reportagem, sem nenhum direito trabalhista. O que fazem os sindicatos? A Fenaj? A ABI? Como dizia o genial jornalista Antonio Maria: “Eu grito e um eco responde: Ninguém!”. (C.N.)

5 thoughts on “Seja qual for o novo presidente, ninguém tira Meirelles da equipe econômica

  1. Foi a oportunidade de Dilma Rousseff ” a economista”, prepotente, ignorante, quando Lula pediu que ela o indicasse, fez beicinho e colocou Guido Mantega, se vê que errou feio, é como eu digo, teria que ser um que esteja em sintonia com o capital internacional e este no momento é Henrique Meirelles, tem trânsito livre, pois foi presidente do Bank of Boston.

  2. Caro Newton, estamos na situação: se correr o bicho pega, se ficar parado o bicho come, é a situação do Brasileiro. Ladrões, fazendo leis de auto defesa, estrupam e vilipendiam a CF/**, com 100 emendas, transformando-a em “colcha de retalhos”, O Judiciário, em seus tribunais chamados superiores, estupram e vilipendiam a Srª Justiça, na conivência dos “passos de cagado”, 2 férias, expediente curto e passeando pelo mundo a nossas custas, com milhares de processos em pleno sono nas gavestas. O Brasil caindo no abismo, e os chamsodos ministros, que estão sinistros( com as raras exceções), a cabeça STF, está stf. a 1ª Instância, representada pelo Juiz, Sergio Moro esse é “JUIZ”, é o fio de Esperança do Cidadão, e a canalhada, está pintando o diabo, para cerceá-lo, Temer com sua última patifaria, não nos deixa mentir.
    Creio em Deus, e sua Justiça, que faz Justiça, que nos julga por nossas “Obras”, quando a porta do túmulo se abrir, para a devida “prestação de contas da Consciência”, com uma das senteças: Luz e Paz, ou Ranger de dentes.
    Que Deus nos ajude a sair desse pântanal, pacificamente.
    PS, Meirells, está prevaricando, não cobrando a divida , da firma que, quando Presidente do Conselho, não pagou, e agora não cobra, mas é jhiócrita, ao dizer e querer, sacrificar o trabalhador, que com suor e lágrimas constroi de dia o Brasil, para serem roubados durante a noite, em impostos entregamos 06 meses anuais de nossos miseráveis salários, dia 15/06, dia do idoso, esse governicho, estupra a Lei do Idoso, Brasil, acorda, pacificamente, proteste, não reelegendo, repudiando as grandes siglas, infestadas de ladrões, que tu destes o “chicote” do voto irrepónsável.

  3. Foi dito antes:

    5 – Os donos do poder não apoiam partidos ou políticos específicos. Sua tática é apoiar quem lhes convém e destruir quem lhes estorva. Isso muda de acordo com a conjuntura. O exercício real do poder não tem partido e sua única ideologia é a supremacia do mercado e do lucro.

    6 – O complexo financeiro-empresarial global pode apostar ora em Lula, ora em um político do PSDB, ora em Temer, ora em um aventureiro qualquer da política. E pode destruir qualquer um desses de acordo com sua conveniência.

    7 – Por isso, o exercício do poder no campo subjetivo, responsabilidade da mídia corporativa, em um momento demoniza Lula, em outro Dilma, e logo depois Cunha, Temer, Aécio, etc. Tudo faz parte de um grande jogo estratégico com cuidadosas análises das condições objetivas e subjetivas da conjuntura.

  4. Olha só, esses artigos todos que acabo de ler , são realmente muito didáticos.

    E o trecho do artigo do Carlos Newton, só me faz mais critico ainda ao atual sistema tributário/previdenciário:
    “O prejuízo é enorme para o INSS e o Imposto de Renda, mas o governo jamais se preocupou em calcular. Veja-se o exemplo de Fausto Silva, que o site BOL diz ganhar R$ 5 milhões mensais. Teria de pagar 27,5% de Imposto de Renda (R$ 1,375 milhão), paga apenas 10% (R$ 500 mil), portanto, sonega R$ 875 mil por mês. Além disso, deixa de pagar os 11% do INSS (R$ 550 mil). No mesmo esquema, a TV Globo sonega 20% do INSS (R$ 1 milhão). No total, a sonegação do Faustão/Globo vai a R$ 2,425 milhões por mês, chegando a R$ 29,1 milhões anuais. Nada mal.”

    Por que cargas d’ água a rede globo e mesmo o fausto silva irá concordar em pagar mais de 20%(no caso da globo) e a mais de 10% no caso do fausto silva) para um sistema previdenciário falido? Seria o caso de se pensar numa tributação mais direta, principalmente o imposto de renda. Mesmo assim há controversias, veja o caso da frança e do ator gerard depardieu que optou por fixar residencia fiscal na bélgica para escapar da fúria tributarista do governo frances.

    Assim essa concepção de previdencia universal paga por toda a sociedade é uma idéia furada. Previdencia tem que ser antes de mais nada um regime de capitalização, as pessoas irão contribuir para sua própria aposentadoria no futuro e não ficar contando com a contribuição dos outros, no caso dos mais novos.

  5. O MEIRELLES não foi colocado no poder por escolha de um bandido. Ele foi colocado por decisão de UMA QUADRILHA. E somente esta quadrilha tem o poder de tirá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *