“Sem aumento do consumo, a reforma de Guedes vai fracassar”, assinala Pedro do Coutto

JOSÉ PEDRIALI: Bode na sala ou salame fatiado, reforma tributária de Guedes  cria confusão

Charge do Céllus (site Charge Online)

Carlos Newton

A Tribuna da Internet está com alguns importantes desfalques, que fazem muita falta, como Pedro do Coutto, com um problema na mão direita, que o impede de digitar, Francisco Bendl, que implantou ontem dois “stents” nas artérias, e Antonio Santos Aquino, que ainda está às voltas com a recuperação da saúde de sua mulher.

Vamos torcer para que os três amigos voltem a publicar seus artigos e comentários o mais rápido possível, para incrementar ainda mais os debates aqui na TI, que está pegando fogo.  

GRANDE ANALISTA – Pedro do Coutto é um lendário jornalista carioca, professor universitário de Economia Política, muito conhecido por suas participações em programas de rádio e televisão, especialmente nas épocas eleitorais, por ser um dos maiores especialistas em pesquisas.

Aliás o nome dele já está na História Política do Brasil, por sua participação em importantes episódios, especialmente na eleição de 1982, quando Leonel Brizola disputou para governador do Rio de Janeiro.

Com sua expertise em pesquisas e apuração de votos, foi Pedro do Coutto que denunciou na Rádio Jornal do Brasil a fraude na consultoria Proconsult, armada para tirar a vitória de Brizola e que virou uma escândalo internacional.

TOCA O TELEFONE – Nesta terça-feira, dia 6, Pedro do Coutto ligou para dizer que está pensando em contratar um digitador para voltar a escrever. Dei a maior força, é claro, e perguntei quais assuntos ele gostaria de abordar, se pudesse escrever hoje.

“Os principais assuntos, a meu ver. são a falsa reforma econômica de Guedes e a eleição nos Estados Unidos”, respondeu, acrescentando:

“A reforma de Guedes é fake, porque esquece a importância do consumo. Não existe recuperação da economia se o consumo não aumentar. Qualquer reforma precisa partir desse princípio, se quiser ser bem sucedida”, assinalou.

TRUMP COM PROBLEMAS – “Quanto à eleição americana, a coisa está feia para Donald Trump. Quando o governante tenta reeleição – não importa se presidente, governador ou prefeito –, precisa largar na frente nas primeiras pesquisas, e isso não aconteceu com Trump. E agora sua contaminação com a covid-19 tornou-se uma arma contra sua campanha, por ter ridicularizado a pandemia, que já matou mais de 211 mil pessoas nos Estados Unidos. É claro que isso vai influir na eleição”, disse Coutto, ressalvando:

“É preciso lembrar também que o candidato democrata Joe Biden é muito fraco, caso contrário já teria engolido Trump, que ainda tem possibilidades de se reerguer”, concluiu.      

13 thoughts on ““Sem aumento do consumo, a reforma de Guedes vai fracassar”, assinala Pedro do Coutto

  1. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO faz uma falta danada no nosso TRIBUNA DA INTERNET, desejamos que se recupere logo do problema em sua mão direita que o impede de digitar.

    O Sr. FRANCISCO BENDL, corajoso defensor da Justiça Social que escreve com a eloquência dos antigos Profetas Bíblicos, de abençoada Memória, desejamos pronta recuperação da Saúde agora que implantou stents e outros tratamentos em seu Sistema Cárdio-Circulatório.

    O Veterano Sr. ANTONIO SANTOS AQUINO, Oficial da Marinha de Guerra na Reserva e Trabalhista Histórico, que no momento se dedica integralmente a tratar da Saúde de sua Senhora, desejamos que ela se recupere prontamente para sua Felicidade, e que ele retorne aos seus Artigos.

    O Sr. PEDRO DO COUTTO analisa o Programa Econômico do Min. Fazenda PAULO GUEDES e presume que não reativará o CONSUMO das Famílias e das Empresas que é o termômetro da Produção/EMPREGO.

    O “Produto Interno Bruto” é a Soma de toda a Produção Nacional em 1 Ano. É medido pelo CONSUMO das Famílias e Empresas + INVESTIMENTO das Empresas Privadas e Governo + Despesas do GOVERNO + Exportações Líquidas.
    Y = C + I + G + X
    Para aumentar o PIB, e consequentemente o CONSUMO que forma +- 60% do PIB, o Min. PAULO GUEDES transmite CONFIANÇA que é o alicerce do Crescimento, e:
    1- Reduziu o Juro Básico SELIC a incríveis 2%aa para uma Meta de Inflação de 4%aa, território NEGATIVO, força um pouco a redução dos Juros Comerciais, portanto vemos que isso induz as Famílias e Empresas a COMPRAR, as Empresas a INVESTIR, e o GOVERNO a gastar menos com o pesado carregamento de nossa alta Dívida Pública de +- 85% do PIB, tudo isso tendendo a aumentar o CONSUMO.
    2- Descomprimiu o CÃMBIO para +- 1 US$ Dollar = R$ 5,50 onde a nosso juízo está no patamar +- correto, talvez o ideal fosse R$ 5 mas não menos, o que ativa nossas EXPORTAÇÕES LÍQUIDAS, o que aumenta o CONSUMO.
    3- Busca manter o Orçamento Federal de R$ 3,6 Bi/2020 dentro da “Lei de Teto”, e a “Lei de Ouro que proíbe emitir Dívida Nova para pagar Despesas Correntes do Governo”. Isto ao longo do tempo tende a diminuir os Gastos do Governo na composição do PIB, aumentando o CONSUMO das Famílias e das Empesas e o INVESTIMENTO.
    4- Tenta Desonerar a Carga Tributária das EMPRESAS ( setor da PRODUÇÃO/ CONSUMO) e compensar no aumento da Tributação da RENDA.
    Isso aumenta o CONSUMO.
    5- De uma maneira geral o Plano do Min da Fazenda PAULO GUEDES tenta reduzir o tamanho do GOVERNO, o G da equação Macro-Econômica, pois quanto menor G na composição do PIB, mais CONSUMO e INVESTIMENTO.

    A crítica que fazemos ao Min. PAULO GUEDES é que trata de forma Igual o CAPITAL NACIONAL e o INTERNACIONAL, enquanto deveria dar preferência para o CAPITAL NACIONAL como sabiamente sempre nos ensinou o grande Gov. CARLOS LACERDA: (CAPITAL BOM é o CAPITAL BRASILEIRO).

      • Caro Bortolotto, ficom com alguma dúvidas quanto ao aumento de consumo via essas ferramentas. Então, faço algumas considerações.

        Por exemplo, dólar alto. Será? Os produtos tendem a aumentar e com isso não haverá redução do consumo?

        Teto de gastos na área de saúde. Será que não haverá menos ofertas nessa área e com isso uma redução do consumo em geral?

        O IGP-M está muito acima do IPCA, o que, parece indicativo de uma inflação reprimida pela baixa demanda. Caso o consumo aumentar, o que me parece difícil, a inflação aumentará.

        O Imposto de renda sem correção está pouco a pouco diminuindo o poder de compra do assalariado. A não correção de salários em geral também está diminuindo o poder de compra da população.

        Claro, a antecipação do 13º, a renda extra de 600 reais, o adiamento do pagamento do IR, saque de FGTS e mais outras providências, atenuaram bastante o baque da falta de consumo. Mas são coisas provisórias. Ainda mais que o deficit fiscal foi gigantesco este ano.

        A taxa Selic está baixa, mas a remuneração aos rentistas está aumentando com o risco Brasil se elevando.

        Desoneração de empresas e aumento do IR aumenta o consumo? Essa equação não entendo. Não esqueçamos que o governo Dilma desonerou empresas e o que aconteceu?

        Sem aumentar o poder de compra da população (via reforma tributária, com diminuição de impostos dos produtos) creio que não haverá consumo maior. E o crédito não adianta muito, pois o povo está endividado.

        • Prezado Sr. JOSÉ VIDAL,

          Muito inteligente sua Argumentação, vamos tentar dar nossa interpretação:

          O Câmbio Alto deve induzir mais Exportações o que aumenta o EMPREGO. Mais Gente EMPREGADA deverá gerar mais Consumo, do que o aumento de Custo das Mercadorias devido a Desvalorização do REAL.

          O Teto de Gastos na Saúde e no GOVERNO em geral, diminui G, o que teoricamente tende aumentar C e I na equação do PIB.

          O Imposto de Renda sem correção reduz o CONSUMO e a Não correção dos Salários depende. Se a correção dos Salários induzir DESEMPREGO, menos CONSUMO com Salários mais alto. No momento acho que a situação está ,mais para isso.

          A Tx SELIC estando Negativa, a nosso ver estimula o CONSUMO.

          A Desoneração das Empresas ativa o EMPREGO, então mais Gente Empregada gera mais CONSUMO. O aumento do I R diminui um pouco o CONSUMO, mas o Governo estando Deficitário, é dos males o menor. A Reforma Tributária cai também nessa situação de Governo altamente Deficitário não poder reduzir a Carga Tributária. O CRÉDITO ajuda muito e com as Tx de Juros Comerciais, especialmente a Imobiliária, baixando deve ajudar bastante o CONSUMO.

          Como o grande Sr, PEDRO DO COUTTO, o senhor, e eu também, tenho dúvidas se isso que se alinhavou, não é MUITO POUCO e MUITO TARDE.

          Então o caminho mais recomendado é voltar o Governo a contrair Dívida Externa em US$ Dollar, e financiar Programas de Desenvolvimento aqui dentro.
          Ficamos submissos a Disciplina Fiscal do FMI, mas injetamos CAPITAL em nossa Economia, que se usado de forma ÚTIL seria muito produtivo.

          A outra alternativa é a emissão de MOEDA, altamente Inflacionária.

          Realmente a Economia é uma Ciência simples, mas que NÃO É FÁCIL.

          Abração.

    • Meu amigo e mestre Bortolotto,

      Muito obrigado pelo ânimo e apoio que me deste no teu comentário acima.

      A tua gentileza com teus amigos, tua atenção, tu forma elegante, respeitosa e educada de escrever, afora os teus profundos conhecimentos em economia, te tornam imprescindível à TI.

      Pessoas com o teu nível, da tua estirpe, do teu quilate, afirmo que estão em extinção.

      Portanto, além do meu agradecimento pelas palavras gentis, sinto-me honrado por ser teu amigo, e afirmar publicamente que sempre estarei à tua disposição em qualquer dia e hora.

      Um forte e fraterno abraço, mestre Bortolotto.
      Saúde e paz.
      Te cuida, meu!

  2. São três desfalque muito importantes.

    Desejo ao Pedro de Coutto uma recuperação ligeira, como diz no interior, de sua mão direita.Ao Sr. Aquino, que sua esposa se recupere.E ao Meu amigo Francisco Bendl que seu coração volte a funcionar normalmente.

    E Senhor Carlos Newton, como está?

    • Gratíssimo pela lembrança, amigo César Cavalcanti. Acho que estou bem. Recolhido ao interior do Rio de Janeiro, tenho me exercitado bastante, inclusive manejando um enxadão. Recentemente cortei duas árvores de médio porte, usando machado, como Abraham Lincoln. Nos intervalos, tento não abusar dos destilados de maneira folgazã. como diria o grande Billy Blanco. Assim, é quase certo que estou bem.

      Abs.

      CN

    • Meu irmão nordestino, César – Fortaleza,

      O coração ainda não voltou a funcionar normalmente. Falta a substituição da válvula aórtica, que será a próxima cirurgia, esta com bem mais riscos e que me deixará de molho no hospital por uns 20 dias!

      Os dois stent que coloquei e na mesma coronária serão para evitar que eu tenha infarto, pois uma estava com grave estenose, conforme laudo do cateterismo que fiz 20 dias atrás.

      Mas ainda tenho outra cirurgia, depois do coração, que é o melanoma!!!

      Obrigado pela texto, César.
      Conta sempre comigo.

      Forte e fraterno abraço.
      Saúde e paz.
      Te cuida, parceiro.

  3. Desejo recuperação aos 3 e volta breve.Francisco depois do stend dieta rígida coloquie 2 em 2015 fui este mês ao cardiologista e ele me disse que estou ótimo.Se exercite carne só a de porco e se possível depois de liberado se mora em predio evite o elevados suba e desça escada diariamente.Escada vale para todos.

    • Zenóbio de Souza,

      Muito obrigado pelo incentivo e conselho.

      Tens plena razão quanto ao regime, pois preciso levá-lo adiante.
      E quanto à carne de porco, informo aos colegas que o lombinho é o mesmo que carne branca, ou seja, até para quem tem problemas renais ela pode servir de alimentação.

      A gauchada deita e rola com um lombinho como churrasco ou a sua costelinha envolta ou no queijo ou farinha de mandioca!

      Por outro lado, Zenóbio, moro em casa, então caminhar não é problema.

      Um forte abraço.
      Saúde e paz.
      Te cuida,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *