Sem carisma e sem propostas, Alckmin faz apresentação fria na Globonews

Para Alckmin, corrupção é um componente da política

Deu em O Globo

“Não existe partido no Brasil, vamos ser sinceros. Os eleitores votam nas pessoas”. Foi assim que o candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB) definiu o sistema político brasileiro, na sabatina promovida pelo Globonews nessa quinta-feira. Ao se explicar sobre sua aliança com o centrão, cujos partidos sofrem com múltiplas denúncias de corrupção, o tucano lamentou a existência de tantos partidos, sem ideologia clara, mas necessários para a governabilidade, e defendeu que há “excelentes quadros” em todas as siglas, mesmo as que sofrem com acusações.

Sobre a senadora Ana Amélia (PP-RS), que aceitou compor sua chapa, disse Alckmin: “A Ana Amélia já foi considerada uma das melhores parlamentares do país. Além disso, é importante termos cada vez mais mulheres no governo Ela é a vice dos sonhos”.

APOIO DO CENTRÃO – Recentemente, Alckmin conseguiu fechar a aliança com o Centrão, que era cortejado por outros candidatos, principalmente Ciro Gomes. Ao anunciar o apoio, na semana passada, o tucano se sentou ao lado de diversos políticos que respondem processos de corrupção. Esse fato dominou o bloco inicial da sabatina, e Alckmin a todo o momento fazia questão de minimizar um suposto constrangimento.

— Não é só pelo tempo de TV (as múltiplas alianças). A corrupção infelizmente é pluripartidária, mas em todos os partidos há ótimos quadros. Todos meus concorrentes tentaram fazer essa aliança, mas não conseguiram. Queremos ter maioria para trabalhar, para fazer reformas. Eles apoiaram quem está em quarto lugar nas pesquisas, é uma prova de confiança. — explicou o candidato, que disse pretender “pacificar o país”. — Brasil está com muito ódio, muito nós contra eles. Todos os partidos estão enfraquecidos.

SEM PARTIDO – Ainda numa maneira de justificar as alianças com políticos envolvidos com denúncias de corrupção, Alckmin afirmou que “não existe partido no Brasil”. Para ele, não há ideologia clara entre as siglas, mas as costuras políticas são necessárias para se ter maioria no Congresso.

— Os eleitores vão votar nas pessoas. Estamos colhendo as consequências da falta de reforma política. Vou fazer (a reforma), começando pelo voto distrital misto, e depois com uma cláusula de desempenho ainda mais forte, para reduzir partidos. Vamos melhorar o ambiente político, mas precisamos de maioria para ganhar eleição e depois para governar — disse o tucano, que negou ter recebido pedidos de cargos do centrão. — Se o PTB vive do Ministério do Trabalho, não viverá mais. No meu governo não haverá indicação política para agência reguladora.

APOIO A TEMER – Sobre a relação do PSDB com Temer, Alckmin disse que era contra a entrada do partido no governo, apesar de ter participado do impeachment. Depois, numa referência a Bolsonaro, afirmou que não vai melhorar o Brasil na base da bala.

Em seguida, Alckmin se defendeu das acusações de corrupção que atinge sua administração em São Paulo. Segundo o Ministério Público Federal, a obra do Rodoanel Norte teve superfaturamento que pode somar R$600 milhões. Um dos denunciados é Laurence Casagrande, ex-secretário de Logística e Transporte de Alckmin. Já o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, é acusado de ter R$113 milhões em contas na Suiça. Para o ex-governador de SP, se Casagrande for considerado culpado, será uma surpresa.

INJUSTIÇA – “O Laurence está sendo vítima de uma injustiça. Não tem sobrepreço no Rodoanel. A empresa pediu reequilíbrio do contrato porque encontrou rochas muito grandes para perfurar, mas não pagamos porque isso era para ter sido previsto antes. A empreiteira depois, via contrato, pediu perícia, e os três peritos nomeados disseram que tínhamos que pagar. Não houve superfaturamento, mas sim problemas técnicos. Acredito na honestidade do Laurence.

Ao tratar de propostas e planos de governo, Alckmin voltou a defender o ajuste fiscal, disse que vai reduzir incentivos e que vai zerar o déficit primário em até dois anos. O tucano afirmou que não pretende aumentar imposto, e que vai ajustas a despesa. Ele disse ainda que não vai privatizar o Banco do Brasil ou a Petrobrás, mas sim quebrar o monopólio sobre o refino do petróleo. Mas admitiu que vai fazer privatizações em outras empresas. O tucano também defendeu a tributação de dividendos e o livre comércio.

SPREAD BANCÁRIO — “O Brasil é um país caro.O spread bancário aqui é quatro vezes maior que no resto do mundo, porque não tem disputa. Tirando produtos agrícolas, não conseguimos competir, é preciso agir nas causas. Outro dia ouvi uma boa: O governo confia na economia, mas não tem dinheiro. O setor privado tem dinheiro, mas não confia no governo.

Alckmin ainda citou a redução nos índices de violência no seu governo, e disse que a acusação feita por Ciro Gomes, de que houve um acordo entre uma facção criminosa e o governo paulista para a diminuição dos homicídios no estado, não merece comentários. Ele também disse que não vai retomar o imposto sindical, apesar dos pedidos do deputado Paulinho da Força, que faz parte do centrão.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A entrevista foi o que se esperava. Um candidato incolor, insípido e inodoro. Tratou a corrupção como se fosse um componente normal de governo e ainda tentou justificar o acordo com o partido de Roberto Jefferson e Jovair Arantes… É impressionante que ainda haja alguém que acredite na vitória de Alckmin. Ele não tem carisma, não convence. O apelido de “Picolé de Chuchu” realmente é merecido. (C.N.)

58 thoughts on “Sem carisma e sem propostas, Alckmin faz apresentação fria na Globonews

  1. Ninguém, ainda, teve a idéia de fazer uma pesquisa entre hackers, para se saber qual o mais forte candidato.

    Não sou idiota para meter meu Dedo na Urna, sem voto impresso. GREVE ELEITORAL!

  2. O que deu na senadora Ana Amélia para aceitar ser vice de uma candidatura fadada ao fracasso? Com uma reeleição garantida ao senado. Com todo respeito que ela merece. Acho que está fumando orégano.

    • Pois é, talvez fosse sono mesmo a razão da sua letargia. Da minha parte, embora seja fã do Alvaro Dias, reconheço que Alckmin demonstrou conhecimento dos nossos problemas e mostrou claramente os meios para começar a atacá-los. O seu pecado capital é pertencer ao PSDB.

      • Teresa e Sapo de Toga, Hélio Fernandes, assim responde:
        Helio Fernandes: Alckmin é anestesista de profissão, anestesiou todo mundo. agora, depois de muitas recusas, encontrou quem se juntasse a ele.A senadora Ana Amelia, em fim de mandato no senado, sem chance de se reeleger.Ha 4 anos, disputou o governo do RGS, derrotadissima.Alckmin mora no Palacio Bandeirantes,desde 1994, não deixa nenhuma lembrança.

        • Desculpe Carmem

          Mas o Hélio esta viajando se escreveu isso.
          Aqui no RS Ana Amélia se reelegeria ao Senado quase sem campanha.
          É a melhor senadora do estado disparado, com trabalho dedicado e reconhecido.
          Mesmo sendo do PP faz votos em toda sociedade, exceto claro, o PT, partido atual do Hélio (que vai encerrando sua trajetória de forma melancólica e confusa), que sempre foi contra trudo que possa representar qualquer tipo de ganho para a sociedade e país.

          Tenho a percepção de que ninguém no Rs entendeu esta opção.
          A senadora foi internada num hospital com crise de hipertensão, nesta semana, seguramente em função das pressões que recebeu, para dar um “verniz” na candidatura Alckmin.

          Para mim, uma opção desastrada, mesmo que ganhe, comprometeu seu futuro, sua história..

          Obvio vai atingir o Bolsonaro via apoio no campo, vai atingir o Sartori no Rs, etc, talvez seja o desespero da classe que se une para evitar a tragedia..

          Vai saber por que

          • Vá até a pagina dele no FACE e leia “Presidenciáveis na TV ” e leia a resposta que ele dá a Ciça que é a que publiquei. Ciça sem entender porque a Ana Amélia aceitou.

  3. A melhor entrevista da série da Globo News. Alkmin se saiu bem diante de um escrete do jornalismo brasileiro.
    Digo com a liberdade de que voto em Álvaro Dias que do quadro de candidatos Alkmin parece ser o que tem mais chances de chegar ao Planalto.

  4. Não assisti à entrevista, mas em uma coisa eu concordo com ele ( não quer dizer que eu vá votar nesse picolé de chuchu) – Principalmente no Legislativo, o eleitor vota no candidato, mas acaba dando votos ao partido e às coligações, elegendo quem ele não queria.
    – Acabar com o voto de legenda seria a opção melhor que se poderia esperar para o Brasil.
    – BOLSONARO – 17!!!!

  5. geraldinho merendão é horroroso para governar,entrevistar,o rei do embromation.fora de são paulo não chega a lugar nenhum,se for para o segundo turno com o jair bolsonaro será atropelado.

  6. A entrevista do Alckmim, ontem, não deixa a menor dúvida: como é maravilhoso o candidato CIRO GOMES!

    Outro que não apresenta a mínima atratibilidade, por ser um oceano sem água, completamente vazio , sem conteúdo _ mas repleto de ódios _ , é o ” especialista em matar “.

    Se o povo brasileiro perceber, enquanto ainda é tempo, que CIRO GOMES é o nome mais talhado para assumir o leme do Brasil, nessa hora de gravíssimas procelas, teremos, com toda a certeza, um sopro poderoso de esperança, um renovar das melhores expectativas, a partir do primeiro dia de 2019.

    Saudações,

    Carlos Cazé.

      • Ciro não tem nada de bobo, já sondou o terreno, e, de repente, ele pode se cacifar como Vice com status de presidente, não do Lula, como querem os petistas-pmdbistas, queimados, mas chamando o PSOL e o Boulos para uma composição, dizendo-lhes o seguinte: ” o momento exige desprendimento daqueles que se dizem progressistas de verdade, portanto, caro Boulos, eu abro mão da minha candidatura a presidente, mas vc tb tem que abrir mão da sua em prol do Leão e do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, dos quais eu aceito a condição de Vice”, sugerindo ao Boulos seja no caso candidato ao Senado. Daí, após o impacto, com ambos abrindo mão para um ilustre desconhecido, que por acaso é o Outsider da ora, é só colocar o bloco na rua e ir ao abraço da galera. Leão Presidente, Ciro Vice, Boulos Senador, me parece muito mais interessantes do que essa formulação que ai está, com ambos sem nenhuma chance de chegar lá, gastando velas boas com defuntos ruins.

    • Ciro Gomes não presta nem pra governar uma quitanda, ele tem a convicção e certeza dos idiotas e só. Suas ideias são péssimas, seus projetos cheiram a naftalina, sua forma de governar é uma mistura de ditador latino e coronel de interior. Mas brasileiro adora essa jequice e populismo barato.

      • É isso aí, prezado Werneck.
        Quanto aos iludidos com o ” especialista em matar “, que se amargurem na própria ignorância, na própria cegueira e na maldade intrínseca verbalmente espalhadas pela Internet. Têm prazo de validade definido: o segundo turno é o limite intransponível. Simples assim.

        Já Ciro Gomes, contra tudo e contra todos, aparece em segundo lugar nas pesquisas_ fato amplamente escondido pela imprensa , desde ontem.

        Saudações,
        Carlos Cazé.

  7. Um aspecto que muitas pessoas ainda não se deram conta é o fato de que todos os candidatos tem altíssimos índices de rejeição.

    Na última pesquisa Ipsos-Estadão lembro-me do Geraldo Alckmin atingir 70% de rejeição. Os outros nomes apresentados tinham entre 50% e 65% de rejeição.

    Considerando-se a persistência desses números, o presidente eleito em outubro, seja quem for, tomará posse sendo rejeitado pela maioria da população.

    Do ponto de vista das alianças no parlamento, todos sabem que funciona na base do fisiologismo, trata-se simplesmente da ocupação dos cargos do Estado. Eles sempre se combinam e acabam se acomodando.

    O grande problema é que no contexto em que o mundo vive, o mercado exige a continuação das reformas que foram iniciadas no Governo Temer, inclusive mais privatizações, sejam de empresas federais ou estaduais.

    Sempre que venho aqui afirmo que considerando-se os números que são divulgados diariamente na mídia, não existem mais recursos para qualquer medida de caráter “populista”, se assim quiserem chamar.

    Ontem mesmo foi divulgado que os recursos para manutenção de bolsas de estudo pela CAPES pode atingir 440.000 alunos em todo o Brasil.

    O problema não é o que vai acontecer – pois tudo vai se agravar – e sim até quando a sociedade vai manter a passividade frente a um processo de destruição profunda da economia e da sociedade brasileiras, que já se reflete no cotidiano com a explosão da violência que atinge a todos.

  8. Alex Moura, meu amigo,

    Sim, assisti de cabo a rabo a entrevista feita com Alckmin, na Globo News.

    Conforme eu disse anteriormente, meus comentários a respeito dos candidatos serão absolutamente sinceros, imparciais, isentos.

    Deixo de lado minhas preferências para que a minha mente, aberta, seja capaz de avaliar adequadamente o desempenho de cada um, e eu decida a respeito de quem tem mais condições de nos salvar, nessas alturas.

    Reitero que hoje será a de Bolsonaro, então amanhã teremos um apanhado importante para se fazer as comparações devidas, pelo menos entre o trio que disputará tanto o primeiro quanto o segundo turno.

    Mas, Alckmin pode ser sem graça, sem ter carisma, no entanto, trata-se de uma pessoa muito bem preparada para ser presidente!

    O tempo que está no comando em São Paulo deu-lhe muita experiência governamental, conhecendo melhor do que qualquer outro opositor a máquina que deve fazer andar, que está emperrada.

    A pujança paulista, a locomotiva brasileira, que é São Paulo, indiscutivelmente credencia Alckmin a postular o Planalto, trazendo consigo como sua característica maior, o fato de ser um político por excelência!

    Logo, todos para ele são pessoas boas e honradas que, na eventualidade de errarem pelo caminho deverão ser punidas.
    Ora, isso é o óbvio ululante.
    Se queríamos ouvir como que combaterá a corrupção, o tucano não disse, frustrando as expectativas daqueles eleitores que não suportam mais este mal instituído nos poderes pelo PT!

    Alckmin é um bom administrador, inquestionavelmente, haja vista São Paulo ser superior à maioria absoluta dos países latino-americanos em sua poderosa indústria e comércio febril, afora uma prestação de serviços inigualável.

    Mas, Alckmin tem contra si a sua imagem desgastada pelo tempo no poder, e porque a sua personalidade não é dinâmica, ela não é vibrante, mas monótona, e a sua voz tem a mesma tonalidade em quaisquer situações, como se fosse uma pessoa onde as emoções passam ao largo.

    O povo quer algo novo, diferente, alguém que nos traga a esperança perdida no futuro desta nação!

    Se, por um lado, gostei muito do candidato pelo PSDB, pelo outro, ele não me seduziu, não me encantou, não me vi votando no tucano porque me deu a impressão de que teremos a mesma continuidade dos governos anteriores.

    Vamos ver hoje à noite.

    • Bendl,
      infelizmente somos tolos e nos contentamos com apresentações bonitas.
      e como já disse antes meu voto é de retaliação contra todos os ilusionistas de plantão.
      Dilma também tinha uma apresentação bonita e deu no que deu.

    • Parabéns pela excelência das considerações, equilibradas, pertinentes, equânimes. Em princípio penso em votar em Álvaro Dias se assim o quadro permitir. Senão, já no primeiro turno vou de Geraldo Alkmin. No deserto de homens públicos atual, e com o inevitável contraste com a mediocridade explícita, Álvaro e Geraldo, com todo o desgaste, claro, chega a ser um luxo.

    • Francisco Bendl.

      Esse moço senhor ex governador de SP. É um medico de formação, o qual tem equilíbrio, formalidade. Mas que em SP é um destruidor da educação, que até merenda sumiu. E fora que em SP vai acontecer o que vimos no RJ um ex governador preso, é que o judiciário paulista também é uma caixa preta que precisa ser aberto enquanto é tempo.

      • Alex – RJ,

        Evidente que as entrevistas que estão sendo feitas não abordam os problemas de corrupção de cada partido.

        Então as análises feitas são decorrentes daquilo que os candidatos estão dizendo, suas posturas, propostas, promessas e disposições.

        E, na medida do possível, mediante a sua vida pregressa, nós constatarmos se o que alega é verdade ou não.

        Alckmin tem o Estado de São Paulo como comprovante da sua administração, que mesmo o país em crise, os paulistas crescem, e continuam sendo a locomotiva brasileira, um Estado tão pungente que o PIB é maior do que a maioria dos países latino-americanos.

        Não sou seu eleitor, apenas estou analisando a entrevista de cada um no mesmo canal e pela mesma equipe.
        Assisti Ciro, Alckmin e, hoje à noite, Bolsonaro.

        Amanhã será possível fazer uma comparação entre eles, que deverá ser interessante.

        Abraços.

    • Francisco, nada do que ele disser agora vai fazer apagar o que ele é: mais um tucano, conveniente com a corrupção do partido e irmão gêmeo do pt. Quem quiser votar na esquerda ligth pode votar nele.

      • Alex de Moura,

        Claro que não, concordo contigo.

        Os tucanos têm o rabo preso, e se assemelham em certos casos como se fossem petistas, indiscutivelmente.

        E representam a política abjeta e deletéria que nos consome como povo e país.

        Mas, Alkmin, tem as suas qualidades, e eu estou isentando-o do partido, analisando-o isoladamente como administrador e sua capacidade para ser presidente da República.

        Experiência ele tem, o seu Estado comprova isso, mas como seria a política do tucano?
        O congresso seria um balcão de negócios, como sempre?

        Aguardemos a entrevista de hoje.

        Abraços.

  9. Meu caro al,

    Entendo a tua posição.

    Mas, preciso analisar os candidatos de modo frio, calculista e, dentro daquilo que dizem, eu extrair suas mentiras ou sinceridades, estas muito raras.

    Como o grupo de candidatos não é o ideal, sejamos sinceros, mais uma vez escolheremos o menos ruim, e é inegável que Bolsonaro seria, a priori, aquele que romperia com esta política abjeta e ignóbil que nos escraviza, explora e rouba!

    NO ENTANTO, Bolsonaro é egresso do meio que justamente temos aversão, que detestamos, logo, também sobre ela deveremos ter nossos cuidados, a meu ver.

    E vi Ciro Gomes.
    Ora, hoje à noite, após a entrevista de Bolsonaro, amanhã postarei as minhas impressões comparando os três candidatos, pois Marina, Boulos, Manuela, Meirelles, eu os descarto prontamente.

    Abraços.

    • O meio abjeto de qual tanto temos aversão, foi sistematicamente descrito pelos mesmos que hoje estão no poder, e se mostram tão abjetos ou mais que os anteriores, será que não fomos manipulados (não estou dizendo aqui que os milicos não fizeram merda, fizeram, só questiono se foi do tamanho da que foi alardeada pelos canhotos) ademais o fato de ser egresso não diz algo.

    • Caro Bendl,

      Nesse momento em que todos discutem política partidária, a situação é dramática na economia.

      É estressante vermos tanta conversa sobre política que não resolve nada, não indica nenhum caminho de esperança.

      A política termina com as eleições.

      O próximo governo terá que anunciar medidas urgentes, para pelo menos, amenizar a situação de descalabro social em que vivemos.

      É muito grave a situação social em que vivemos e a insegurança e a violência atinge fortemente a todos.

      Um bom final de semana.

      • Meu caro Hipólito Borges,

        Sabemos que o Brasil está no fio da navalha.
        Nossa crise econômica é tão grave, que o próximo presidente deverá ter condições especiais para enfrentá-la, caso contrário imagino o Brasil atrasando salários dos aposentados e funcionários públicos!

        A questão se resume em quem terá a coragem suficiente para combater esse problema de frente, e se terá o congresso auxiliando ou prejudicando as suas intenções neste sentido.

        Abraços.

  10. Bom é o Lula, não é? Ou quem sabe a Dilma?
    O picolé de chuchu tem EXPERIÊNCIA, não vai aprender por 4 anos e depois tentar se reeleger argumentando que agora já aprendeu. O homem governou bem o estado mais rico da nação. Do contrário escolham a Marina, que fez o quê mesmo?

  11. As urnas eletrônicas estão sendo preparadas para, juntamente com ajuda dos fabricantes de opinião (grande mídia), tirarem Bolsonaro do segundo turno, garantindo a manutenção do Mecanismo (vide filme de José Padilha) numa eleição forjada entre Alckmin (Sarney, Renan, Meireles,Temer) e Ciro Gomes (plano B do PT). Seriam dois lados de mesma moeda garantindo que nada pode mudar nos rumos deste país.
    Tal como fez Brizola em 1982, no escândalo Proconsult, no qual foi comprovada a primeira tentativa de fraude eleitoral eletrônica, Jair Bolsonaro deve convocar observadores internacionais e contratar pesquisas de boca de urna para tentar evitar a monumental fraude que se anuncia. O teste das ruas deixa patente que é impossível que o deputado candidato não tenha votos para ir ao segundo turno.
    Em tempo:os jornalistas da redação do programa Globonews devem estar em pânico pq hoje às 22:30 Jairzinho Paz e Amor estará dentro do Bunker do inimigo para ser sabatinado no programa Central das eleições. Imperdível.

  12. PREFERE O QUÊ, MR NEWTON? CIRÃO CARECÃO E SEUS ATAQUES E DISPARATES? AS PROMESSAS SEM FIM PARA UM PAÍS SEM SOLUÇÃO? se não há solução nem a curto, nem a médio, nem a longo prazo, para que fazer promessas inviáveis? Pior é ser desonesto e mentiroso — política é isso mesmo, um jogo sujo, mentiras, traições, cafajestagens === quem gosta de ter o pezinho limpo não meta o pé nessa “água” === política é conflito, a luta pela vida, pelas posições, uma guerra minorada

  13. Caro Carlos Newton,
    É impressionante que ainda haja alguém que tenha a intenção de eleger como presidente do Brasil um condenado e réu em vários processos, pois mostra induvidosamente que seu compromisso NÃO é com o país e SIM com o crime.

    • COM O CRIME, A FALTA DE ÉTICA, O ÓDIO AOS RICOS E AOS EMPRESÁRIOS, AOS QUE HERDAM ALGUMA COISA, A EGOLATRIA DESENFREADA tudo isso muito mais que o amor aos pobres, aos humildes, o senso de justiça === um grande embuste, ficam usando os pobres e os tontos pra subirem, tomarem o poder, ficarem no lugar dos ricos, o que mais querem

  14. “Conforme cansamos de afirmar aqui na Tribuna da Internet, é uma eleição para ser ganha por um outsider.” C.N. Não é que seja uma eleição para ser ganha por um outsider, é mais do que isso, me parece uma eleição para a qual a marcha da história do Brasil está pedindo pelo amor de Deus um Outsider, com projeto próprio, novo e alternativo de política e de nação, que aponte o novo caminho para o novo Brasil de verdade. ” Concordo que ” infeliz é o país que precisa de heróis”, porém o fato é que o Brasil jamais, em tempo algum, nunca, precisou tanto de um herói como neste momento histórico, para libertá-lo das suas velhas amarras impostas pelas velhas heranças malditas, um “Herói”, pois, que passa ao largo das figuras que ai estão sob as luzes da ribalta. O duro é combinar isso com os russo$.

    • Bolsonaro e Marina, caso tenham um mínimo de juízo, bom senso e boa-fé, não hesitarão em aderir ao Outsider da ora e ao Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, até para não derreterem igual o picolé de chuchu exposto à luz do sol da verdade como Ela realmente é.

  15. ACREDITE SE QUISER. Ciro e Boulos podem decidir a próxima eleição e até mudar o rumo da história do Brasil, não como candidatos a presidente, como estão colocados, mas como Vice e Senador. Aliás, como candidatos a presidente, ambos já estão derrotados pela conjuntura podre que aí está, infelizmente. E, doravante, como não têm mais o que perder, podem ousar, podem jogar xixi no chop da bandidada do establishment bandido. Ciro e Boulos não tem nada de bobos, já sondaram o terreno, sabem que a conjuntura bandida do sistema apodrecido já os engoliu, que Lula tb já foi pro saco, e que, pelo andar da carruagem, todos os progressistas restarão no ar, sem escada e com a broxa na mão, e, de repente, ele pode arrancar das mandíbulas da derrota a grande vitória, não como presidente, mas como Vice com status de presidente, não do Lula, como querem os petistas-pmdbistas, queimados, mas chamando o PSOL e o Boulos às falas para uma composição, dizendo-lhes o seguinte: ” o momento exige desprendimento daqueles que se dizem progressistas de verdade, portanto, caro Boulos, eu abro mão da minha candidatura a presidente, o grande sonho da minha vida, desde a infância, que persigo há mais de 50 anos, mas vc tb tem que abrir mão da sua candidatura em prol do Leão e do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, dos quais eu aceito a condição de Vice”, sugerindo ao Boulos seja no caso candidato ao Senado. Daí, após o impacto, com ambos em estado de graça, ungidos, abrindo mão para um ilustre desconhecido, que por acaso é o Outsider da ora, é só colocar o bloco na rua e irem todos ao abraço da galera. Leão Presidente, Ciro Vice, Boulos Senador, e uma chapa de fato enorme de deputados federais e estaduais, senadores, em torno do novo de verdade, me parece muito mais interessante do que essa formulação que ai está, com ambos sem nenhuma chance de chegar lá, malhando em ferro frio, nadando à toa o mar inteiro para morrer na praia, tipo morte anunciada, gastando velas boas com defuntos ruins.

  16. Marta Suplicy acaba de recusar candidatura a vice na chapa de Meirelle$. E praticamente pediu pelo amor de Deus o advento do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, até porque em sã consciência ninguém aguenta mais isso que aí está, com prazo de validade vencido há muito tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *