Sem condições de “cumprir todos os ritos”, governo autoriza contratação de empresas condenadas por fraudes

Rosário disse que a prioridade durante a pandemia “é salvar vidas”

Patrik Camporez
Estadão

O governo Jair Bolsonaro autorizou a contratação de empresas condenadas por fraudes e irregularidades cometidas junto à administração pública durante o período de pandemia do coronavírus.

Até a tarde desta sexta-feira, dia 3, o Ministério da Saúde havia fechado pelo menos 30 contratos por dispensa de licitação, por valores que superam a soma de R$ 150 milhões, para compra de equipamentos, leitos de UTI e outros produtos.

AUTORIZAÇÃO – Em coletiva de imprensa na tarde de hoje, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, destacou que o governo, no período atual, não tem tido condições de “cumprir todos os ritos” e por isso autorizou a contratação de empresas inidôneas.

Isso quer dizer que as empresas que foram punidas por irregularidades estão liberadas para fornecer produtos para o governo enquanto durar o período de calamidade.

PRIORIDADE – O governo já liberou mais de R$ 5 bilhões para aquisições na pasta da Saúde. Rosário destacou que, em média, um processo de licitação dura cerca de 90 dias. Ele não disse quantas empresas inidôneas já foram contratadas nem quais garantias estão sendo tomadas para que os produtos e serviços sejam prestados corretamente. “Abriu a possibilidade de contratar até empresas inidôneas, pois a prioridade aqui é salvar vidas”, disse.

O ministro disse ainda que há a possibilidade de o governo comprar até equipamentos usados. Segundo dele, os preços praticados hoje são “completamente diferente da realidade”. “Não há tempo para ficar discutindo. As contratações estão sendo feitas sem licitações”.

O ministro disse que tem auxiliado o Ministério da Saúde no sentido de mitigar os riscos na realização das compras. “Dentro da área de auditoria estamos tentando não criar nenhum tipo de problema, tentando mitigar esses problemas”.

24 thoughts on “Sem condições de “cumprir todos os ritos”, governo autoriza contratação de empresas condenadas por fraudes

  1. A inidoneidade de uma empresa compromete a qualidade dos produtos que fabrica e coloca no mercado de consumo. A inidoneidade é um vírus tão destruidor como o coronavírus, o covid-19. Inidôneo só se entende e só se dá bem com outro(s) inidôneo(s). Eles se atraem. Só na Física é que os iguais se repelem e os opostos se atraem. No convívio social e comercial ocorre o contrário: os iguais se juntam, se acumpliciam, se agrupam, se atraem. Uma vez inidôneo, inidôneo para sempre. Não há cura. Inidoneidade não tem cura. Nenhuma pena imposta a quem é inidôneo o fará transformar-se em pessoa idônea. O inidôneo nunca vai recuperar o que nunca teve, o que desconhece: a idoneidade. É genético. É imutável. Tudo que parte e o que produz quem é inidôneo não serve e está contaminado pela inidoneidade. Quando o governo autoriza firmar contrato com pessoa, física ou jurídica, reconhecidamente inidônea, o governo se revela inidôneo. Pessoa alguma é mais ou menos idônea ou inidônea. A idoneidade é irmã gêmea da virgindade. Ou a mulher é virgem ou não é. Ou a pessoa é idônea ou não é.

  2. A herança maldita dos recentes governos de esquerda não ficaram apenas nos roubos e corrupção que chagou a mais de 750 bilhões, mas também na desorganização total do estado, o que gerou milhares de ilegalidades em firmas como estas, se for verdadeira a reportagem, já que vem de uma mídia criminosa.

    • A corrupção é um mau a ser combatida diariamente,mais o que acham de um país que tem 16 trilhos de riqueza e metade está na mão de 1% DA POPULAÇÃO.Isto também não deveria ser uma forma de corrupção,sem falar no pag de juros das dividas e isenções fiscais dadas a quem não precisa.

  3. É preciso entender de vez o que são reportagens sérias, que podem ser vistas nas mídias americanas ou inglesas, por exemplo, mesmo que nelas possam ter algum viés ideológico.

    Só pelo tamanho delas observa-se que são 5 ou 6 vezes maiores que as da nossa mídia, pois procuram abordar todos os aspectos possíveis que o assunto comporta e isso demanda mais espaço.

    Aqui no Brasil, as reportagens, como se vê aqui mesmo e que são repassadas pelo editor, contém apenas uma meia dúzia de linhas e e têm descaradamente o viés ideológicos dos seus autores.

    A isto se dá o nome de PANFLETO.

  4. Essa questão de idoneidade se aplica também aos veículos de comunicação?
    Mês passado comprei uma cartela de ovos com trinta unidades, agora custa 29.99 a cartela com vinte no mesmo supermercado.
    Numa pesquisa de rua o entrevistador pergunta a um transeunte, – O Brasil é um país corrupto? O cidadão respondeu, Não. O entrevistador então propõe, se eu lhe der uma nota de cem reais, o senhor muda de opinião? – Mudo! Me dá os cem.

  5. ““Sem condições de “cumprir todos os ritos”, governo autoriza contratação de empresas condenadas por fraudes”

    Uma pergunta:

    No governo passado, quando essas empresas roubaram, os ritos de contratação foram obedecidos?
    -Se foram, são inúteis quando um governo é o maior ladrão.
    -Se não foram…

  6. Vai entender essa gentalha, quando a lava jato tava quebrando o pau, tavão dizendo que ele tava fechando empresas e que as empresas deveriam continuar trabalhado, agora tão dizendo que não?
    Isso é que tão querendo?

Deixe uma resposta para Jorge Béja Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *