Sem participao de Lula, a sucesso de 2018 vira uma corrida maluca

Resultado de imagem para corrida maluca charges

Charge do Clayton (O Povo/CE)

Merval Pereira

A provvel barrao na Justia eleitoral da candidatura presidencial do ex-presidente Lula devido Lei da Ficha Limpa, caso venha a ser confirmada sua condenao no Tribunal Regional Federal-4, est alterando a corrida presidencial, na quantidade de potenciais candidatos, e no alinhamento ideolgico.

Ciro Gomes, o candidato escolhido pelo PDT, j abriu mo de um acordo com o PT e, sobretudo, do apoio de Lula, a quem vem criticando cada vez com mais desembarao. As acusaes de Palocci a Lula, que devero se transformar em uma delao premiada com mais detalhes e, sobretudo, provas, acabaram com as esperanas da esquerda de ter Lula como candidato.

HADDAD OU WAGNER – J no mais segredo que o PT, confirmada a inviabilidade de Lula, deve lanar o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad ou o ex-governador da Bahia Jacques Wagner, como maneira de no virar um partido do segunda linha, apoiando candidato alheio do grupo da esquerda, cujo preferido j foi Ciro Gomes.

Mas o PT j no uma aliana bem vista em parte da esquerda, e Lula a cada revelao perde a fora de seu apoio, o que est levando Ciro Gomes a esconjur-lo publicamente. Sem Lula na disputa, a corrida ficar aberta a todo tipo de candidato, enfraquecendo apenas um, o prefeito de So Paulo Joo Doria, que se organizou desde o incio de seu projeto para ser conhecido pelo eleitorado como o antilula, embora ainda lhe reste uma identificao de gestor no-poltico, que tem boa acolhida em parte do pblico que busca o novo pelo novo.

O DEM j lhe ofereceu legenda, mas, como diria Johnny Alf, o inesperado pode fazer uma surpresa. Mesmo s voltas com uma segunda denncia contra si, que deve ser derrubada novamente pela Cmara, o presidente Michel Temer voltou a aspirar uma improvvel reeleio pelo PMDB caso a economia confirme a recuperao. Nada mais antigo, mas a fora da economia no pode ser desconsiderada.

EXEMPLO DE LULA -Lula, alis, quando se elegeu presidente pela primeira vez em 2002, ganhou muitos eleitores centristas, ou mesmo de direita, por ter assumido publicamente na Carta aos Brasileiros um compromisso de no radicalizar esquerda na economia.

Mas boa parte desse eleitorado tambm o escolheu por ser um candidato diferente de todos os que j haviam estado na presidncia da Repblica. No era um candidato novo, depois de disputar e perder trs vezes a presidncia, sendo duas para Fernando Henrique Cardoso no primeiro turno. Mas era o representante de uma novidade poltica, sobretudo no que se referia ao combate corrupo. Deu no que deu.

Ao contrrio, o governador de So Paulo Geraldo Alckmin, um poltico de antiga estirpe, pode ter a seu favor justamente sua experincia, e, sobretudo, o equilbrio com que conduz sua atividade poltica. Com tanta radicalizao, talvez o eleitorado encontre nesse equilbrio a segurana de que o pas reencontrar seu caminho sem grandes choques.No ter sido denunciado pelo Procurador-Geral Rodrigo Janot pelas acusaes da Odebrecht foi um passo importante para firmar sua candidatura.

MUITAS OPES – Assim como em 1989, na primeira eleio direta para presidente depois da ditadura militar, muitos candidatos, de vrias tendncias polticas, se apresentaro ao eleitor.Uns pela primeira vez na poltica, outros antigos polticos querendo representar a parte boa da poltica, como Marina Silva pela Rede, lvaro Dias pelo Podemos, os ex-ministros do Supremo Joaquim Barbosa e Ayres Brito.Tambm podem aparecer no preo o atual presidente do BNDES, o economista Paulo Rabello de Castro, que nunca teve cargo eletivo, e o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, deputado federal eleito que nunca exerceu o mandato, pois renunciou para assumir a presidncia do Banco Central no governo Lula.

H ainda o deputado federal Jair Bolsonaro, que para alguns representa essa parte boa da poltica, mas para muitos justamente o representante de uma atitude poltica regressiva, mesmo no havendo at agora nada que o comprometa em termos de corrupo.

O combate corrupo, como se v, por si s no pode ser a base de uma candidatura. Inclusive porque j tivemos exemplos de caadores que acabaram cassados. O eleitorado estar confrontado em 2018 com uma diversidade de candidaturas que precisam apresentar muito mais do que uma vida pregressa sem deslizes ticos. Essa uma condio essencial, mas no suficiente.

10 thoughts on “Sem participao de Lula, a sucesso de 2018 vira uma corrida maluca

  1. A nica temeridade, sem trocadilhos, seriam as URNAS ELETRNICAS fraudveis, pois penso que se o apedeuta participasse do pleito eleitoral do ano que vem, certamente ser-lhe-ia aplicada uma surra eleitoral, a exemplo da que o seu partido tomou nas eleies municipais do ano passado.

  2. nem li metade do texto ja achei um erro mortal…

    “…boa acolhida em parte do pblico que busca o novo…”

    Eis o problema, estamos num CIRCO onde h pblico….
    Certo seria sermos um PAS onde h um povo…

    Publico no precisa de identidade
    O nosso Povo teve sua identidade alijada para ser manipulado assim

    Respeitvel (uma ova) Pblico!
    Os Candidatos a Presidente do Brasil!!

    Ligam os HMI’s e todos os holofotes e cmeras…
    Mais CIRCO pra mim e pra voce…

  3. JUC ( o Caju da Odebrecht ), DO PMDB, CLARO, E O CALA BOCA DE QUASE R$ 1 BILHO EM TODOS OS PARTIDOS, COOPTADOS PELO DITO CUJO. E vem mais por a, sob a epgrafe de Bolso Eleies. Esqueam. Do mato partidrio seco jamais sair o coelho novo que necessitamos, exceto se um milagre acontecer porque os partido$ camalenicos que ai esto, ilhados em seus mundinhos milionrios, s na pilantragem, direita, ao centro e esquerda, mesquinhos que so, no iro abrir espao para o Projeto Novo e Alternativo de Poltica e de Nao que, para melhorar o pas, evidncia, em que estragar o pesqueiro delle$. Portanto, para mudarmos de verdade este pas temos que apostar noutra via, alternativa que no dependa delle$ no congresso, e se elle$ no querem colaborar para que a mudana de verdade acontea nas urnas, vai ter que ser fora das urnas mesmo, at porque no h mais o que fazer seno mudar ou mudar, de verdade, para melhor, ainda que contra a tendncia maldita da maldita Lei de Murphy. Pena que o cala boca do fundo partidrio astronmico, ou seja, o conto de vigrio aplicado pelo Juc ( o Caju da Odebrecht), de quase R$ 1 bilho, na populao, de fato calou a boca de todos os partidos que no faro nada que coloque em risco a perda de mais esse suntuoso privilgio, ao qual ainda esto loucos para acoplar tb o famigerado bolso eleies, moda a tudo para eles e o resto que se dane. E o fiof do povo, como fica, dane-se ? Portanto, a meu ver, quem apoia e quer o sucesso da Lava Jato no pode apoiar, nem querer e muito menos votar no continusmo da mesmice do $istema poltico podre, sob pena incoerncia e contradio gritantes que no levam a lugar novo nenhum.

  4. O EXTRATO DO ESTRATO
    (Aluso s ditaduras militares latino-americanas)

    At h pouco tempo, QI-Quociente de Inteligncia, era a Unidade que media o potencial do intelecto humano. Mas, recentemente, QI fora substitudo pela TAR Taxa de Assimilao e Raciocnio. Como referncia, convencionou-se que um asno dotado de dez TARs ou um decaTAR.
    Ainda assim, dentro do gnero humano, existe uma categoria, cujos membros no passam de miliTAR, entre eles, h elementos que so rebaixados ao ponto de picoTAR. E os mais elevados chegar a diTAR. Outros se desesperam por no terem a capacidade de mediTAR.
    Para que tenhamos uma prenoo desses nfimos valores, necessrio que saibamos: o prefixo MILI igual milsima parte. PICO vale a trilionsima frao do inteiro. DI equivale a duas vezes unidade. MEDI significa metade.

  5. Lula s foi o “novo” em 2002 porque s votou nele quem estava dormindo de toca, e o voc Merval, que velho de Globo, sabe muito bem disso.
    Todos que no dormem de toca sabem que o malandro nasceu velho porque nunca apresentou nada, nada mesmo de novo, at mesmo a “carta aos brasileiros”, nada tinha de novidade pois mentir em processo eleitoral mais antigo que andar para frente.
    Portanto esse personagem no referncia para nada que consideramos srio.
    A Globo, por debaixo dos panos, continuar a encher sua bola porque para ela que ganhou muito dinheiro no governo dele, ainda sonha em ganhar muito mais. Sonho no realizvel por questes bvias, ou estar preso ou vai ficar na lanterna, caso o processo no seja feito com urnas eletrnicas.
    No apresentemos mais desinformaes ao sofrido povo brasileiro que sempre enganado por esse tipo de matria que subliminarmente quer colocar o malandro na corrida eleitoral, quando o mais correto seria noticiar a verdadeira inteno da sociedade brasileira em relao a ele que no outra coisa v-lo longe do Brasil.
    Pelos crimes que esto sendo apurados e atribudos a ele no possvel dar significado respeitoso ao eventual candidato, se no for por motivos inconfessveis.
    O nosso pas no merece esse desrespeito, pois dar cartaz a quem no tem compromisso nem com a coisa pblica, vilipendiar o sonho alheio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.