Sem ter chances de defesa jurídica, Bolsonaro tenta ‘comprar’ apoio do procurador

Charge do Ykenga (Charge Online)

Carlos Newton

Quando os roteiristas da premiada série “House of Cards” reconheceram que jamais conseguiriam igualar a criatividade da política brasileira, eles sabiam exatamente o que estavam falando. Na curta era de Jair Bolsonaro, por exemplo, uma das características mais marcantes é o apego à ficção. Tudo parece virtual, com forte presença de fake news, a ponto de o presidente da República enfrentar os cientistas da área médica e apresentar suposta solução para uma pandemia mundial, atundo como garoto-propaganda de laboratório farmacêutico.

Em menos de um ano de governo, a imagem do presidente sofre uma verdadeira devastação, enquanto aumentam os mortos pela pandemia, que ele classificou de “gripezinha” e até a desafiou publicamente, sempre resistindo ao uso da máscara e condenando o isolamento social, ao invés de adquirir previamente os equipamentos médicos necessários e montar os hospitais de campanha.

IMPEACHMENT – A cada dia, aumentam as possibilidades de impeachment, um filme de suspense que se tornará permanente e vai atrapalhar ainda mais o governo. No momento, a grande ameaça é o inquérito que o próprio presidente Jair Bolsonaro mandou abrir contra Sérgio Moro, o então ministro da Justiça e Segurança Social.

Moro é um verdadeiro ícone da dignidade, que merece estar acima de qualquer suspeita, um dos personagens mais respeitados da atualidade, no país e no exterior. O inquérito contra Moro acabou provando a péssima conduta do presidente, com seis evidências do propósito de interferir na Polícia Federal para defender a família e amigos, em suas próprias palavras.

O crime de prevaricação está mais do que comprovado, e agora Bolsonaro depende desesperadamente do procurador Augusto Aras. Diante do resultado do inquérito, o chefe do Ministério Público está tacitamente obrigado a abrir processo contra o presidente. Se determinar arquivamento, estará cometendo crime de prevaricação.

ÚLTIMO CAPÍTULO – Bem, foi assim que terminou o mais recente capítulo do “House of Cards” nacional, com o presidente da República elogiando publicamente o procurador-geral, dizendo que o trabalho dele é extraordinário e considerando-o um dos favoritos para chegar ao Supremo nas duas vagas que surgirão até maio de 2021.

Mas o roteiro não é escrito por Bolsonaro, que sofre ameaça também com o inquérito das “fakes news”, cuja gravidade fez com que ele ameaçasse o Supremo e a Polícia Federal nesta quinta-feira (“Chega, porra!”), sem que legalmente nada possa fazer como presidente da República, a não ser vociferar e dizer impropérios.

Mas nada disso adianta, o impeachment é só uma questão de tempo. E as Forças Armadas não tomarão a menor iniciativa para manter o capitão inconstitucionalmente no poder.

###
P.S. – Os militares (leia-se: os Altos-Comandos) simplesmente deixarão o general tomar posse e tocar o barco, como dizia nosso amigo Ricardo Boechat. E la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

13 thoughts on “Sem ter chances de defesa jurídica, Bolsonaro tenta ‘comprar’ apoio do procurador

  1. Nessa empreitada você barrou o Oráculo de Delfos.
    Tem gente que diz que não se sabe o que tem na cabeça de juiz, e tem os que sabem tudo da cabeça dos generais.
    CN, uma curiosidade, usted já tem munição contra o General Mourão ou essa estrategia é para a segunda fase, no seu jogo de xadrez uma terceira etapa é ungir quem, Rodrigo Maia, ou acumular fichas para o Moro? Será uma alternativa longínqua coroar alguém da esquerda?
    Da forma que você tenta saber o que vai na cabeça dos generais eu tento saber o que vai na sua.
    Não é nada pessoal, é contra argumentação.

    • Contra o Mourão, até agora apenas a esteira ergométrica de R$ 44 mil. Na promoção do filho dele não restou provada sua interferência.

      Vamos aguardar,
      CN

      • Entonces vamos queimar etapas, ferro no Bolsonaro e no Mourão, que um vá comer pastel na feira e o outro andar na esteira até virar esqueleto.
        Entra em cena, Nhonho, o peremptório e convoca eleições.
        Se adotarem candidaturas avulsas a esquerda perde novamente, tem que por indicação partidária.
        Na partidária vai ser como passar manteiga no focinho de gato.
        Mâs… tudo isso dever ser adrede preparado com o lumpemproletariat.
        Mas seria uma apoteose, medonha, a esquerda varonil adentrar (epa) na presidência e no cofre.

        • Havia me esquecido da outra alternativa, impugnada a chapa Bolsonaro Mourão, a mais votada seria a eleita. Me parece que essa é estratégia a ser usada e a logística já começou a agir.
          Haddad e Manuela são os legítimos presidentes e vice.
          A pobreza vai ao paraíso.

  2. Será?….É o Banestado?…dois pesos, duas medidas?….humm!…..acho que a melhor solução é cassação da chapa, Maia assume e marca novas eleições, dessa vez verdadeiras, sem fake News.

  3. Infelizmente o CN passou para o lado negro da força, e pior, passou a editar fake news uma atrás da outra. Ele não sabe de nada, não tem acesso a ninguém do alto comando e da presidência. Entrou na lenga-lenga da imprensa corrupta e antipatriótica. Adorava ou fingia que adorava os generais Heleno, Braga Neto, etc…Como todo bom comunista, não mantém a palavra e distorce as verdades. Não haverá impeachment contra o Bolsonaro. Se tentarem, vão se dar mal. O Supremo será fechado e Câmara também. Eu particularmente acharei um deleite. Como eu sei que eles não são idiotas, vão ficar quietos e falando abobrinhas para saírem honrosamente da situação que se meteram. O presidente já está reeleito par 2022, você goste ou não.

  4. Tenho notado que chamar os outros de comunista passou a ser uma ofensa e como se refira à falta de caráter, está-me parecendo que temos mais comunistas que na União Soviética de Stalin. Infelizmente a maioria dos participantes do blog estão aqui para atacar e ofender, sem prestar muita atenção no conteúdo da matéria comentada, nem no perfil dos que comentam, eu mesmo já fui classificado aqui como”satisfeito com meus pixulecos” (petista) e “nazista” (bolsonaro) provocando-me uma grande dúvida existêncial. Que locura!

    • Ótima opinião, F.Moreno. Sem ter como debater, perante a realidade que desaba sobre suas cabeças, os radicais sempre apelam para xingamentos; e para ataques levados ao lado pessoal, fugindo do objeto do debate.

      É um filme que vai sempre se repetindo.

  5. Votei no “tosco” com esperança de ver um país entrar em um rumo diferente e o que vejo é “mais da mesma coisa” e o que tínhamos conquistado com a lava jato já foi para o espaço; pois, nunca mais um hediondo corrupto irá para a cadeia após obter a soltura com um habeas corpus contra a prisão preventiva.
    Basta para isto, ter desviado $ suficiente para pagar uma banca de advogados e sobrar alguns para umas férias nas Maldivas ou Cancun, pois ninguém é de ferro.

  6. O editor Carlos Newton, continua sua saga em defesa do comunismo e, sem perceber, pautado pelo presidente Bolsonaro, restringe sua Tribuna da Internet a uma revista de ataques diários ao Governo Federal.

    Interessante é que pode mais e como se dedica à produção de material com conteúdos analíticos políticos poderia publicar verdades vez por outra, o que abandonou completamente para redigir apenas matérias agressivas contra o presidente e sua família.

    Nada sobre os anos FHC, Lula (ladrão), dona Dilma (a “mulher sapiens”) ou Temer (o “vampiro”). Sobre a amante de Lula, Rosimary Noronha, silêncio absoluto.

    Nada sobre os crimes do Governo do Rio de Janeiro superfaturando em hospitais de campanha.

    Nada ou quase nada em relação a INVASÃO DE COMPETÊNCIA DO STF sobre o Poder Executivo em um inquérito totalmente ilegal cujos atos, juridicamente, são NULOS.

    Por exemplo: nenhum pio, nem uma linha sequer, sobre as manifestações de hoje, 31 de maio de 2020, em Brasília. Um apoio jamais visto a um presidente. Ou seja um jornal de conteúdo seletivo, abstraído da realidade. Tudo bem, é direito seu, da linha editorial que optou, num jornal criado para chamar de seu.

    PS.: E ninguém larga a mão do presidente Bolsonaro. Único capaz de confrontar esse sistema criminoso, capitaneado pelo Congresso Nacional, mídia porca e Judiciário.

    • A Epopeia de Carlos Nilton, o Convertido, se assemelha em intensidade a de Odisseu, a de Cesar no Rubicão, mas eu temo que seja mais um trabalho de Sísifo.
      Ainda frequento essa Tribuna por haver espaço para comentários de esperneios e gargarejos. Mesmo tendo mais gargarejos dos convertido ainda se pode contra argumentar. Ainda!

    • Prezado Gilberto,
      Não sou jornalista, mas entendo que as noticias sao “novidades” …algo de novo que surge dia a dia …ou pelo menos duram o tempo em que ainda estão acontecendo os fatos.
      O papel da imprensa é trazer estas noticias…ser crítica…mas nao nao maledicente…eis a diferença Que bom que a imprensa tem nuances…uns defendem outros criticam….
      Mas nós somos o grande capacitor das notícias e cabe a nós …termos perspicácia, bom senso para tirarmos as nossas conclusões….que é de foro íntimo….
      E com certeza sao conclusões com base nas nossas convicções morais.
      Portanto, analise faça seu juízo de valor e respeite a opinião do outro….o mínimo que podemos fazer pelo outro é respeitar, como gostaríamos que fizessem conosco.
      Com relação ao Presidente….realmente nao merece comentários….há muito deixa a desejar…
      Mas que cada um fique com suas convicções e respeite a dos outros. Abraços
      Suely

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *