Sem ter mais o que fazer, Dilma fica duas horas com Jô Soares

Nenhum dos dois tinha coisa melhor a fazer…

Marina Dias
Folha

Foi com seu sotaque mineiro que a presidente Dilma Rousseff fez piada com o jeito de falar bem marcado do apresentador Jô Soares. “Um sotaque gaúcho impecável”, brincou a presidente na segunda-feira, após receber o apresentador da TV Globo no Palácio do Planalto.

Durante o encontro de quase duas horas, Dilma disse a Jô que, durante a década de 1970, quando o Brasil vivia sob uma ditadura e Dilma lutava ao lado dos movimentos de oposição ao regime, os programas humorísticos dos quais Jô fazia parte, como “Faça Humor, Não Faça Guerra”, eram sua alegria.

“Eu me divertia muito com seu humor inteligente”, confidenciou a presidente.

Os dois conversaram sobre o livro “O homem que amava os cachorros”, do escritor cubano Leonardo Padura, que conta os últimos anos de vida do revolucionário russo Leon Trotski. A trilogia sobre Getúlio Vargas, de Lira Neto, também foi pauta do encontro definido como “informal” por auxiliares da presidente.

Receber Jô Soares não constava na agenda oficial da presidente e não rendeu entrevista ou nenhuma declaração oficial. No entanto, ao final da conversa, Dilma prometeu ir em breve ao “Programa do Jô”, na TV Globo, para retribuir a visita.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Vejam a que ponto chegamos. O país mergulhado numa crise, com economia em estagflação (recessão e inflação simultâneas), desemprego em alta, desindustrialização, elevação contínua da dívida pública, em meio à progressiva degradação da saúde, da educação e da segurança, e a chefe do governo tem condições de passar duas horas seguidas conversando fiado com um apresentador de TV. Mostra que nenhum dos dois tem coisa melhor a fazer. (C.N.)

36 thoughts on “Sem ter mais o que fazer, Dilma fica duas horas com Jô Soares

  1. Jo Soares ficava criticando o Governo quando se reunia com suas meninas ( Meninas do Jo ) em seu programa de entrevista e agora recebe a anta e desastrada dilma rousseff ( pequeno mesmo ) para uma entrevista de duas horas. Incoerencia deste senhor…..Aliás certos artistas brasileiros criticam e criticam e depois abrem as pernas para quem tanto criticam. Vergonhoso tudo isto.

    • Isso é que é curioso. Se ele tem uma junta de analistas, muito mais versadas e habilidosas do que ele, em política, por que entrevistou a madama sozinho?

  2. Por falar no livro do Padura, o FHC tornou-se uma espécie do um Trotski do PT… Quanto a falar com o Jô, acho que ela está correta, pois há muito no PT só existem comediantes da ‘ideologia’.

  3. Como gosta de dizer o Gilberto Carvalho, agora o bicho vai pegar…
    ” Após minuciosa investigação no BNDES, uma força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) pediu a prisão de mais de 60 suspeitos. O caso é tratado sob sigilo, mas, segundo fonte ligada às investigações, o MPF devassa operações do BNDES no Brasil e também no exterior, além dos aportes bilionários que o tornaram sócio de empresas. Os pedidos de prisão incluem executivos do banco e de grandes corporações.

    Ainda não há estimativa dos desvios ocorridos no BNDES, mas representariam várias vezes os R$ 6,2 bilhões roubados da Petrobras.

    A Justiça pode não atender os mais 60 pedidos, mas espera-se que muitas prisões sejam decretadas na investigação do BNDES.

    O MPF esquadrinha os principais negócios realizados à sombra ou com recursos tomados pelo BNDES junto ao Tesouro Nacional.

    Além de desvios, são objetos da investigação denúncias de tráfico de influência e de pagamentos indevidos a executivos e a políticos.

  4. Eu acho que para crimes de colarinho branco, ou roubalheira desenfreada de dinheiro público, deveria ser
    aprovada no congresso nacional, uma lei, que os condenados passem a cumprir a pena,
    já a partir da sentença do juiz de primeira instância. Todos os recurso, serão com o indivíduo preso.
    Todas as acusações são sempre verdadeiras, então porque perder tempo e ainda abarrotar o judiciário, com
    recursos de cunho unicamente protelatórios? Ah, mas o direito presume a inocência do individuo. É, então
    a pena fica com a sociedade, que pode ter no seu meio um criminoso, que por algum motivo o estado dei-
    xou de fazer a justa justiça?
    Para indivíduo apanhado em flagrante cometendo crime, com testemunhas, não pode haver a tal presunção
    de inocência. É o que penso.

    • Deveriam ser condenados a sobreviver, durante 30 anos, no sertão do Piauí, com um ‘Brasil Carinhoso’ de R$ 70,00. Ai eles veriam como a demagogia é dolorida.

  5. Marina da Folha: SEM TER MAIS O QUE FAZER, DILMA FICA DUAS HORAS COM JÔ SOARES.

    Mulher quando tem ciúme de mulher é fogo. A inveja neste artigo, goteja.

  6. Depois que Jo Soares recebeu um ‘Cala Boca’ do Ministério da Cultura ele esta igual cachorro amestrado. Dilmis diz pula, ele pula. Dimis diz deita, Jo deita. Dilmis diz rasteja, Jo rasteja. Dilmis vai aparecer no Planeta Animal com seu animal adestrado.

  7. Jô Soares!!! Cansativo, pedante, arrogante, e humorista ultrapassado, entrevistador que fala mais que o entrevistado, e agora um imbecil puxador de saco, da nossa PresidAnta, na véspera, de seu impeachment, eles se merecem!!

  8. Jô Soares sempre mostrou a que veio. Sempre sempre se preocupou, por covardia, em fazer pra da nossa esquerdinha (Ziraldo, Zuenir, Veíssimo e outros do tipo, pseudo-intelectuais) . Me lembro de num programa dele em que arrasou com o Collor, depois dele já estar caído.
    Coisas assim advém de pessoas fragilizadas por algum coisa pessoal. São perigosas.
    Medroso como ele só, ainda morre de medo dessa esquerdinha ordinária e por isso foi lá brincar com Dilma, uma psicopata.

  9. O apresentador Jô Soares é relacionado a quatro contas numeradas, abertas entre abril de 1988 e janeiro de 2003. Em 2006/2007, todas elas estavam zeradas. Nos documentos do banco, Jô aparecem associado a duas pessoas jurídicas: a Lequatre Foundation, de Liechtenstein, e a Orindale Trading, nas Ilhas Virgens Britânicas.

    Read more: http://oglobo.globo.com/brasil/lista-de-correntistas-do-hsbc-na-suica-tem-atores-cineastas-musicos-celebridades-brasileiras-15667748#ixzz3ab0Uq5QZ

  10. Há algum tempo deixei de perder meu tempo assistindo determinados programas na televisão. E um destes foi o deste decadente Jô Soares. Tem pessoas que quando envelhecem se tornam mais sensatas, porém este cara deve estar sofrendo de algum problema sério. Para perder tempo como uma pessoa tão inútil quanto a DilmAnta é um sinal de decadência deste cara.

    https://elodanotcia.wordpress.com/2014/12/18/imprensa-vendida-como-o-pt-segue-a-tatica-nazista-de-calar-a-boca-da-midia-corrupta-brasileira/

  11. 19/05/2015 às 10:44 (Blog Veja on Line)

    Rodrigo Conatantino

    A imagem da decadência: Jô Soares resolve emprestar fama para defender Dilma
    Jô Soares já foi um querido humorista, um entrevistador respeitado, ainda que sempre tenha demonstrado seu viés de esquerda. Era um ícone da esquerda caviar, sem dúvida, mas tinha algum pudor. Vaidoso, não demonstrava conforto quando o entrevistado se sobressaía mais do que o entrevistador, mas fez boas entrevistas mesmo assim.

    De uns tempos para cá, Jô foi perdendo aparentemente o saco, suas entrevistas começaram a ficar enfadonhas, e a perda de audiência foi inevitável. Jô não era, afinal, o David Letterman brasileiro, apesar do cenário e até do estilo do programa serem parecidos (copiados?).

    Enquanto isso, Danilo Gentili, com um programa bem mais dinâmico e engraçado, e com a coragem de remar contra a maré vermelha e a ditadura do politicamente correto, foi comendo pelas beiradas, ganhando mais audiência e respeito.

    Gentili teve coragem até para entrevistar esse que vos escreve, quando seu programa ainda era na Band, para falar sobre a esquerda caviar

    Pois bem: o programa do Jô virou uma relíquia, algo que só os “colecionadores” continuaram assistindo, talvez por inércia. Comentei aqui sobre seu papelão ao defender a presidente Dilma, tendo que mentir escancaradamente para tanto. E eis, agora, que temos a imagem perfeita de sua decadência, não só profissional, mas principalmente moral:

    Jo e Dilma

    No momento em que Dilma precisa se manter afastada da televisão para não gerar um enorme panelaço como reação, em que sua credibilidade após o estelionato eleitoral é nula, em que sua aprovação sumiu, em que a inflação ultrapassa 8% e a atividade econômica cai, em que o escândalo do petrolão continua espantando o país, eis o momento em que Jô empresta sua fama para defender Dilma. Um momento em que até Chico Buarque anda completamente sumido, vale notar!

    Poderíamos dizer que isso é uma forma de coragem, ou quiçá de loucura, o que às vezes se confunde com coragem. Infelizmente, não acredito que seja nem uma coisa, nem outra. Também não acho que Jô está “gagá”. Restam, então, poucas alternativas para explicar o vergonhoso papel. Prefiro deixar a imaginação do leitor responder por mim quais seriam essas alternativas…

    PS: Jô Soares teve seu nome exposto no caso do HSBC. O apresentador é relacionado a quatro contas numeradas, abertas entre abril de 1988 e janeiro de 2003. Em 2006/2007, todas elas estavam zeradas. Nos documentos do banco, Jô aparece associado a duas pessoas jurídicas: a Lequatre Foundation, de Liechtenstein, e a Orindale Trading, nas Ilhas Virgens Britânicas. Petista sim, mas com dinheiro no exterior pois ninguém é de ferro. Especialmente a esquerda caviar…

    Rodrigo Constantino

  12. 8/05/2015 às 13:58 \ Cultura
    Veja on line

    Os ricos segundo as novelas e os intelectuais de esquerda
    Por leandro Narloch

    Letícia Spiller em “I Love Paraisópolis”: é assim que sociólogos da USP enxergam os ricos

    Intelectuais de esquerda não costumam gostar de novelas. Dizem que os personagens são caricatos, que as histórias, rasas e simplórias, reproduzem estereótipos e preconceitos. Por isso é uma surpresa perceber que autores de novela e cientistas sociais da USP traçam o mesmo retrato dos ricos brasileiros.

    Nas novelas da Globo, a possibilidade de um personagem ser o vilão cresce com a renda. Odette Roitman, Laurinha Figueroa, Felipe Barreto, Félix: a turma do mal geralmente tem muitos dígitos na conta bancária. Também é assim (pelo menos até agora) na novela mais recente, I Love Paraisópolis. No primeiro capítulo, a rica e loira Soraya (Letícia Spiller), representante da elite branca, vislumbra a favela e desabafa: “Por mim eu jogava uma bomba nesse lugar”.

    Um retrato parecido vem dos intelectuais de esquerda. No último sábado, André Singer, professor de Ciência Política da USP e porta-voz do governo Lula, escreveu que Dilma “foi derrotada pela reunificação da burguesia em torno do rentismo, que é avesso de qualquer coisa que cheire a igualdade”. Em março, também na Folha, disse pior:

    A classe média tradicional mostrou que tem horror à ascensão social dos pobres. É um fenômeno sociológico e político. Chega a ser uma rejeição ao próprio povo brasileiro.

    Singer não é o único a enxergar os ricos contrários ao governo como seguidores de Satã. Para Bresser-Pereira, ex-ministro dos governos Sarney e FHC, há no Brasil um “ódio de classe alta” (Letícia Spiller na novela!) que “decorre do fato de que o governo revelou uma preferência forte e clara pelos trabalhadores e pelos pobres”.

    Leio isso e já imagino a cena. Numa luxuosa sala no alto de um arranha-céu, homens de terno participam de reunião tensa. Os membros da elite rentista estão preocupados com a ascensão social dos mais pobres. “É terrível”, diz um deles. “Agora os pobres até compram leite! Ninguém mais me pede dinheiro no farol.” O homem que parece o líder da burguesia conclui: “Temos que unificar nossas forças contra os pobres e o PT”. O homem ergue o braço, balança o Rolex e pergunta: “Tô certo ou tô errado?”.

    Ora, basta mudar de canal para desapegar-se dessas bobagens. Se é possível traçar alguma relação entre renda e personalidade, a mais correta seria oposta ao retrato das novelas e teses de esquerda. Pesquisas mostram que quanto maior a escolaridade (e, de carona, a renda) maior a tolerância entre classes, o respeito aos direitos humanos e a intolerância à corrupção.

    E se há alguma ideologia dominante na elite brasileira hoje, ela é justamente o contrário do rentismo. O sonho da maioria dos jovens riquinhos é inovar e empreender. Cursos e festivais de empreendedorismo têm filas e listas de espera de gente querendo arriscar suas economias numa oportunidade de negócio, numa forma de ganhar dinheiro resolvendo problemas dos outros. Abrir uma startup é hoje tão descolado quanto criar uma banda.

    Os intelectuais da USP estão tão isolados do mundo real e obcecados com as próprias ideias que mal concebem a possibilidade de sensatez ou boa intenção em opiniões divergentes. Como observou o economista Mansueto Almeida, André Singer e seus colegas acham que, se alguém se opõe ao governo, é porque tem ódio de classe, e não porque o partido causou bilhões de prejuízo à Petrobras, ou porque o governo aumentou a dívida pública para emprestar com juros subsidiados a empreiteiras ou porque as pedaladas fiscais afastaram investidores e vagas de trabalho. Estão tão convencidos de que estão do lado dos pobres que consideram seus adversários membros de uma sociedade secreta que planeja jogar uma bomba em Paraisópolis.

    Pelo menos há nisso tudo uma boa notícia. Pra ter aulas com essa gente, não é preciso frequentar a USP. Basta ficar em casa assistindo a novela das sete.

    @lnarloch

  13. Já a Dilma,” tudo o que deveria ser limpo, já foi limpo” cortou em 30% o já combalido orçamento da PF. O PT criou o ‘arrocho produtividade’ !
    “Depois de todo o alarde feito durante a campanha de investimento na Polícia Federal, o governo Dilma vai tirar R$ 1,7 bilhão do orçamento da corporação. O valor representa cerca de 30% de tudo que estava à disposição da PF e gerou preocupação na Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), pois vai impactar, diretamente, as investigações e operações da PF.

    Segundo a ADPF, não faz sentido cortar quase dois bilhões de reais da PF, prejudicando a atuação dos policiais cujas investigações combatem os desvios de recursos públicos. Só no caso da corrupção na Petrobras, foram R$ 22 bilhões surrupiados, mais de dez vezes o que será cortado do orçamento da PF”.

  14. É ISSO AÍ! RIAM ENQUANTO PUDEREM! RIAM MUITO MESMO DA NOSSA CARA DE PALHAÇOS! MAS NÃO SE ESQUEÇAM QUE RI MELHOR QUEM RI POR ÚLTIMO!
    E VOCES CANALHAS AINDA IRÃO CHORAR LÁGRIMAS DE SANGUE! MARGINAIS, GUERRILHEIROS(AS) VAGABUNDOS(AS)
    AINDA HAVERÁ DE PAGAR CARO ESSA VOSSA PERFÍDIA! MILHÕES DE PREJUDICADOS COM OS AJUSTES PARA LIMPAR AS MER..s DESSA DESQUALIFICADA E ELA AINDA RINDO DA NOSSA CARA COM ESSE SACRIPANTA CEVADO COM DINHEIRO PÚBLICO!

  15. Discordo da avaliação (sempre primorosa) do C.N. nesse caso. Tudo indica que essa foi uma visita comercial, certamente idealizada pelo guru do marketing da presidente, João Santana, para tentar melhorar a imagem de uma presidente inepta em vias de ser varrida do Planalto. A visita foi necessária para definição da estratégia e detalhes com a equipe de marketing da presidência, da entrevista no programa do Jô em que irão se empenhar em ressuscitar sua imagem perante o público. É uma estudada estratégia/tentativa oportunista (que nada tem de casual como o governo quer fazer crer) de aproveitar alguns resultados positivos recentes, como o lucro de mais de R$ 5 Bilhões da Petrobras no 1º trimestre, a visita do 1º Ministro da China e os acordos comerciais assinados, etc. . . . para tentar melhorar a imagem da demissionária e tentar reverter os “prognósticos” de seu impeachment que estão em curso! É apenas mais uma fotografia dos bastidores, conhecida também como “mais do mesmo”, ou seja: “Mais mentira estudada e sendo trabalhada por experts da mídia e da engenharia social (pagos a peso de ouro) para enganar a população, a qual, se encontrando pressionada pelo governo a se preocupar com o cenário de inflação, demissão, degradação moral, social, da saúde, da educação, da segurança, etc, . . . estará à mercê de mais uma maquiavélica manipulação emocional, onde qualquer expectativa de melhora sobre o quadro, poderá (que é o objetivo friamente calculado) vir a se refletir em um aumento do índice de aprovação do governo! É isso mesmo que o leitor está concluindo! Todo esse trabalho, gastos e disfarces, tem o único objetivo de iludir a opinião pública de forma a elevar os índices de rejeição desse governo, para a seguir, “justificarem” maciçamente através de campanhas midiáticas que “não existem razões para o impeachment”, para que tudo fique da mesma forma que está, e a roubalheira, a cubanização, a priorização de empréstimos sigilosos a países bolivarianos, os saques estratosféricos nos cartões corporativos, os políticos condenados nos Mensalões, Petrolões e BeNeDESões continuem livres, etc. etc. etc.! Continuam achando que são mais “expertos”, e que ninguém está percebendo como agem, . . . mas sabem que as mentiras estão ficando a cada dia com as pernas mais curtas !

    • Concordo contigo, Zaratrusta. Está na cara que se trata de uma investida do marqueteiro, para criar notícias favoráveis, e o Jô Soares, que hoje não é mais nada, perdido no meio da noite, entrou nessa. Daqui a pouco comento mais uma notícia desse tipo, a bicicleta que Dilma teria comprado. E assim falávamos, Zaratrusta.

      Abs.

      CN

      • Carlos Newton, o leitor Roberto perguntou quais os interesses que estão neste encontro de 2 horas. Atrevo dizer que a visita que Dilma concordou em receber é para justificar a ida dela, depois, ao programa deste apresentador e, com isso, melhorar sua aprovação pelo povo. Aliás, ela própria disse que retribuiria a visita. É uma estratégia perigosa, porque com toda certeza haverá tremendo panelaço e buzinaço, em todo o país, enquanto Dilma estiver na tela da tv. Carlos Newton concorda também, concorda comigo?
        Jorge Béja

        • Concordo, Dr. Béja, é tudo manobra do marqueteiro para criar agenda positiva. Agora, inventou a bicicleta nova de Dilma. Ela nunca teve bicicleta no Alvorada, como pode tre comprado “bicicleta nova”. É tudo conversa fiada.

          CN

  16. Dilma manteve um encontro de duas horas com o apresentador Jô Soares. Jô relembrou à presidente os movimentos de oposição quando Dilma participava de assaltos e seqüestros e ele, Jô, com seu programa humorístico “Faça Amor , não faça guerra”. Dilma disse que se divertia muito com as piadas do Jô. Não sei se o Jô se divertia com o assassinato de um menino no Guararapes, motivado por bombas terroristas. Dilma abriu espaço na sua agenda oficial para receber o humorista, enquanto o senador Eduardo Suplicy não conseguiu ser recebido por ela nenhuma vez nos seus quatro anos de mandato. Dilma prometeu ir ao programa do Jô para uma entrevista. É bem possível que ocorra, novamente, outro panelaço. Chegamos, enfim a isto. Recessão e inflação ao mesmo tempo, desemprego em alta, desindustrialização, elevação da dívida pública, degradação da saúde, da educação, da segurança e a chefe do governo junto com o apresentador lembrando como eram difíceis os anos 70. Não vi o que Danilo Gentile falou, mas se ele criticou essa entrevista tem o meu aplauso.

  17. Este é o retrato do país, os dois estão com “audiência no traço”, e, se unem para perpetuar a continuação desse caos moral e ético que destrói a economia brasileira e consequentemente a Nação Brasileira. Isso é “excesso de nada” ! Será que “os Bancos estatais” vão abrir suas torneiras, “arrombadas”, para patrocinar o programa que virou “traço” na Rede Globo ??? E quando Dilma cair, o país não suportará o que vem por aí, será que Jô vai na TV pedir o enforcamento do povo brasileiro que se opõe a desordem moral, Constitucional e Institucional que varrem o Brasil ????

  18. Nos bares da Lapa corre a notícia que Dilma consultou a cartomante MAROCA DAS CARTAS e que ela recomendou que a presidentA procurasse a proteção de um humorista pois, no passado, uma ex-ministra da Fazenda que só fez merda (inclusive confisco da poupança dos cidadãos) tinha conseguido escapar das punições legais através do “golpe da barriga”, tendo filhos com famoso humorista que tinha um programa na TV Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *