Sergio Cabral cometeu um equvoco

Pedro do Coutto

O Globo publicou na edio de tera-feira, que, no sambdromo, ao assistir ao desfile das Escolas de Samba, o governador Srgio Cabral afirmou que no vai aceitar que a ministra Dilma Roussef suba ao palanque do ex governador Garotinho, principal adversrio seu nas eleies para o governo do Estado do Rio de Janeiro, quando tenta a reeleio, inclusive na condio de franco favorito. Para um governador e, sem dvida, um homem politicamente vocacionado, no se entende bem a restrio, alis, frontal na medida em que ameaa a chefe da Casa Civil de perder seu apoio e at o de sua famlia. Assim agindo, em vez de fechar, abriu o palanque ao ex governador, pois candidata alguma, ainda por cima com o apoio do presidente Lula, que atingiu 80% de aprovao popular, poder ceder exigncia. Lula evidentemente, em matria de apoio situa-se frente de Cabral e, inclusive, tem reservado ao atual governador as maiores manifestaes de apreo e afeto pessoal. Vetando o palanque duplo para Dilma, Cabral corre o risco de se distanciar di presidente da Repblica permitir que dele se aproxime Garotinho. No foi uma boa idia.

At porque se no apoiar Dilma, Cabral poder vir a apoiar quem? Ningum. Ele pertence aos quadros do PMDB. Poder apoiar Jos Serra? Ciro Gomes? Marina Silva? Todos estes, no fundo, vo lhe acrescentar muito menos votos que Dilma Roussef. E no so apenas os votos de Dilma. So os votos de Lula. So as obras federais no Rio. Ser a presena do presidente a seu lado numa srie de eventos.. Lula, a rigor, no deve ter gostado nada das palavras do governador. No se pode usar de imposio em relao candidatura ao Palcio do Planalto. O governo federal muito mais importante que o estadual. E a campanha ainda no esquentou.

Cabral esqueceu que est 15 pontos frente de Garotinho, segundo a mais recente pesquisa do Datafolha. E Dilma, com base no levantamento do Census-CNT, avanou 6 pontos diminuindo sua diferena sensivelmente em relao Serra. Portanto, o avano palpvel de Dilma, pelo menos at agora, no foi acompanhado por uma evoluo de Garotinho. Alm disso, Srgio detm a mquina administrativa estadual a seu favor. Mesmo que Dilma divida o palanque entre o atual e o ex governador, a situao favorece plenamente a Srgio Cabral que alem do mais participou ativamente da escolha da sede da Copa do Mundo no Brasil e da seleo do Rio para as Olimpadas de 2016. Marcou pontos com isso. Importantes. Est realizando obras de porte. O Metro uma delas. A instalao das unidades pacificadoras da Polcia outra iniciativa de porte e reflexo.

Ser que com tudo isso ele teme a presena dividida de Dilma em seu palanque governamental e no palanque extra oficial da candidata de Lula? Ser que no pensou, ele um poltico racional, um bom articulador, em todos esses elencos de fatos? Alm do mais a diviso do palanque s pode lhe favorecer, no a Dilma. Ela, inclusive, no ter pensado nisso? Uma campanha em encadeamento de fatos. No constituiu um episdio isolado. Comea em junho, termina em outubro. E o que dizer do tempo de televiso? O de Srgio Cabral ser dos maiores. O de Dilma Roussef, ao lado do PR de Garotinho, ser dos menores. Francamente, pensando mais no assunto, Cabral, vocacionado politicamente como , chegar a uma concluso diferente. O palanque misto s o ajudar. No lhe retira um voto daqueles que j conquistou e que hoje, sem dvida, lhe fornecem a maioria do eleitorado e assim conduzem reeleio.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.