Sergio Moro não vai aceitar ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro

Moro participa de fórum sobre combate à corrupção em São Paulo, em julho Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

Moro deve preferir a futura indicação para o Supremo

Cleide Carvalho
O Globo

O juiz Sergio Moro terá que se exonerar do cargo, caso decida aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Justiça. De acordo com a Lei Orgânica da Magistratura Nacional, o pedido deve ser encaminhado ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), a quem caberá exonerar, respeitando a decisão de foro íntimo do magistrado. Por lei, é permitido aos juízes federais apenas lecionar em universidades, públicas ou particulares, sobre temas de sua área.

O último juiz federal de carreira que se tornou ministro do STF foi Carlos Velloso. Ele demorou 13 anos para chegar à Suprema Corte depois de receber a primeira promoção – foi para o Tribunal Federal de Recursos. Em seguida ele foi Corregedor-Geral da Justiça Eleitoral, ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) até ser indicado para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), em junho de 1990.

EXIGÊNCIA – A exoneração é exigida também dos membros do Ministério Público. Alexandre de Moraes, atual ministro do Supremo Tribunal Federal, era promotor do Ministério Público de São Paulo até 2002, quando pediu exoneração para assumir a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, nomeado pelo então governador Geraldo Alckmin.

Ele ocupou cargos da administração paulista e abriu um escritório de advocacia. Em 2016, com foi convidado a ser Ministro da Justiça do presidente Michel Temer e, em 2017, nomeado ministro do STF na vaga deixada pelo ministro Teori Zavascki, que morreu em acidente aéreo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em tradução simultânea, é óbvio que Sérgio Moro não aceitará o convite de Bolsonaro para ser ministro da Justiça. Quando o convite for para assumir no Supremo, aí é outra conversa. (C.N.)

16 thoughts on “Sergio Moro não vai aceitar ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro

  1. Aluno de 30 anos, eleitor de Bolsonaro, foi preso após entrar na universidade onde estuda, em Bragança Paulista (SP), e ameaçar colegas, com canivete, uma arma usada para jogos de airsoft e um bastão.

    Após protestos, Universidade Presbiteriana Mackenzie suspendeu nesta terça-feira (3), eleitor de Bolsonaro e estudante do curso de direito da instituição (SP) que aparece em vídeo afirmando que a “negraiada vai morrer”. Ele também foi demitido do escritório de advocacia que trabalhava como estagiário.

    Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) investiga internauta que convoca outras pessoas para formar um “grupo de extermínio dos gays” no estado.

    Mãe e leitora de Bolsonaro que “fantasiou” o filho de escravo para o dia das Bruxas diz no Twitter: que a “escravidão de negros” no Brasil é “uma mentira”

    A jornalista, Rita Batista, que apresentou as propagandas de Haddad, foi ameaçada nas redes sociais e sofreu racismo em comentários públicos no Instagram e mensagens privadas. Ela denunciou na rede social o crime, praticado por simpatizantes de Bolsonaro.

    Pesquisa Atlas Político: 71% do eleitorado foi atingido por fake news, 36% acreditou no “kit gay” e 15% acreditaram no fim do tabu do incesto

    https://goo.gl/i3XDvP

    A selva de Bolsonaro segue agitada.

    • Afinal o PT é filial do PCC ou o contrário?
      Essas gangs meteram uma faca no Bolsonaro e quase o mataram.

      O caso de celso Daniel em que ele é morto e logo após 7 testemunhas são executadas.

      Maduro já destruiu a Venezuela e matou mais de uma centena. A ajuda das esquerdas foi fundamental.

      Enfim, extremismo algum é bom, mas os males dos da esquerda são gigantescos e até fazem parte de seus programas de tomada do poder.

    • “No Brasil, o Estatuto do Desarmamento é uma lei federal que entrou em vigor no dia seguinte à sanção do então presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 23 de dezembro de 2003”.

      Desarmar a população nunca foi um mau negócio para quem tem pretensões de virar o jogo democrático.
      Bolsonaro pretende fazer exatamente o contrário: permitir que o cidadão de bem possa manter uma arma em casa para defesa de sua família e de seu patrimônio.
      Alguma dúvida?

    • Alex Cardoso só usa blogs sujos e jornais absolutamente esquerdopatas para fazer sua militância virtual.

      É perda de tempo, porque a maioria (excetuando os omissos) escolheu Bolsonaro contra a quadrilha lulopetista.

  2. -ÓTIMO! Nos tempos do crime organizado, um magistrado QUE HONRE A TOGA tem muito mais importância para o país do que dez ministros da Justiça enfileirados.

  3. “Se a PF não pegar o Temer na saída do palácio do planalto, tudo parecerá marmelada, com o povo gritando na rua: ” e o palhaço o que é, é ladrão de mulher “. MORO AO LADO DE BOLSONARO, será o fim da Lava Jato. Ajoelhou tem que rezar, agora temos que ir até o fim do $istema podre. Ainda está tudo por fazer, a limpeza do Brasil ainda é uma criança. Agora, mais do que nunca, temos que ser, todos, liberdade plena de expressão, na veia, sem a qual não há verdade, não há esperança, não há libertação e não há Solução. Os podres poderes mundiais, a República 171 temerária do Brasil temerário, e os seus cinco poderes temerário$, executivo, legislativo, judiciário, midiático e econômico. ERA SÓ O QUE ESTAVA FALTANDO, A TAMPA DA PANELA, a confissão pública de que foi tudo marmelada, forjada por instituições aparelhadas e usadas como trampolim de fariseus espertalhões, nada a ver com o novo de verdade que precisa ser estabelecido, mas, isto sim, tudo a ver com o velho que já morreu, e que urge ser sepultado. Moro e a Lava Jato acenavam em público para o novo de verdade, mas, a confirmar a adesão ao velho que já morreu, restará claro que, por debaixo do pano, no escurinho do cinema, flertava mesmo, mantinha aliança e se relacionava com o velho que já morreu, soando como cobrança de fatura a declaração feita pela esposa de Moro, direto do cristo redentor do Rio de Janeiro, via Twitter, dizendo-se “Feliz” com a eleição de Bolsonaro, logo após o anúncio do resultado das eleições. Aliás, por falar em Rio de Janeiro, um estado dominado pela corrupção e criminalidade em geral, vergonha nacional da federação falida, deveria fazer um imenso favor ao Cristianismo: tirar a estátua do Cristo Redentora de lá, jogá-la ao mar, e colocar em seu lugar a estátua do Sataná$, porque é com o dito-cujo que o Rio de Janeiro parece pactuado, infelizmente e desgraçadamente. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2018/10/30/sergio-moro-na-pasta-da-justica-seria-absurdo/?fbclid=IwAR1ueKpqusa3Dq2MG5xXERpkV70tLFrAQPm2imeXFGvEzk4gbLXuMcQTIPY#co

  4. O convite embora não seja aceito, valorizou muito o nosso grande juiz Moro. Juiz bom, hoje em dia, é mais raro do que petista honesto.
    Todos ganhamos com a honraria do convite ao grande Moro.

  5. Talvez a desgraça possa diminuir mais um pouco e o Brasil possa avançar rumo aos países civilizados:

    “A respeitada senadora Ana Amélia Lemos, autora do substitutivo à PEC nº 35, aprovada na Comissão de Constituição e Justiça no Senado para mudar a forma de indicação de ministros e acabar com o mandato vitalício no Supremo Tribunal Federal, reforçou a necessidade de fazer a proposta avançar: “A sociedade apoia o fim do mandato vitalício no STF. A nova composição da Corte acabará com a influência política. Já foi aprovado, no CCJ, o substitutivo que fiz para essa mudança”.”

    Fonte: https://republicadecuritiba.net/2018/07/07/senadora-ana-amelia-apresenta-proposta-pelo-fim-do-mandato-vitalicio-para-o-stf/?fbclid=IwAR2E4FOZ80ZkjPghhb2oqz8AUcjaVbQyEpGW-nsU9_6NDg-GCXgct7XCV8U

    -Não sei até que ponto isso é verdade, mas se for…

    Abraços.

  6. Sérgio Moro faz um maravilhoso trabalho na Lava Jato, que não pode parar ou mesmo perder o ritmo. Então, para o bem do Brasil, é melhor que ele prossiga naquela operação.

    De qualquer forma o convite é importantíssimo e simbólico, demonstrando o imenso reconhecimento de Bolsonaro perante Moro e a Lava Jato.

    Ao contrário do ocorre com os membros da quadrilha lulopetista.

  7. E faz muito bem, a Lava jato ainda não acabou. Tem muito ladrão para por na cadeia, ainda mais depois de 1º de janeiro, aí tem toda a quadrilha do presidento Dilmo para fazer companhia ao 51.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *