Silêncio de Bolsonaro sobre os mortos por Covid-19 destoa de presidentes anteriores

Silêncio de Bolsonaro não significa admissão dos erros

Gustavo Fioratti
Folha

“De todos os talentos concedidos aos homens, nenhum é tão precioso como a graça da oratória. Quem dela desfruta possui um poder mais duradouro do que o de um grande rei” – relembrada por livros como “Discursos que Mudaram a História”, a célebre pensada de Winston Churchill, primeiro-ministro britânico e líder no combate ao nazismo durante a Segunda Guerra, ecoou por toda a segunda metade do século 20 e determinou a forma como alguns presidentes passaram a se expressar em público, especialmente diante de tragédias. Incluindo-se líderes brasileiros.

Mas isso aconteceu até Bolsonaro chegar ao poder, porque  que até a noite deste domingo (20) ele ainda não se manifestara sobre os mais de 500 mil mortos por Covid-19 no país.

SILÊNCIO RUIDOSO – O silêncio do presidente da República diante desta marca —número levantado pelo consórcio de imprensa e não reconhecido oficialmente pelas autoridades do governo federal— causa forte ruído inclusive ao ser comparado com tragédias de proporções menores que comoveram o país.

Abaixo, leia o que disseram governantes que estavam no poder quando o país assistiu a quedas de aviões e incêndios, entre outras fortes lembranças de acontecimentos marcados pela morte em massa e a tristeza decorrente sentida não só pelos entes, mas por toda a população

INCÊNDIO DO CIRCO, MAIS DE 500 MORTES (1961)

“Meu deus, que tragédia, que tragédia. Não é possível. Vi o espetáculo mais triste da minha vida”, João Goulart.

QUEDA DE AVIÃO DA TAM EM SP, 99 MORTOS (1996)

“O que é importante é expressar que, realmente, todos nós, todos mesmo, sem exceção, nos sentimos constrangidos e irmanados com o sofrimento dos familiares e pensando naqueles que se foram”, Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

ACIDENTE EM CONGONHAS, COM 199 MORTOS (2007)

“Sei que nada é igual ao sofrimento das famílias que perderam seus entes queridos no acidente. Mas quero dizer que sentimos suas perdes como se fossem nossas”,  Lula da Silva (PT).

INCÊNDIO NA BOATE KISS, TEVE 242 MORTOS (2013)

“Nesse momento de tristeza, nós estamos juntos, necessariamente, e iremos superar, mantendo a tristeza”, Dilma Rousseff (PT).

ROMPIMENTO DE BARRAGEM EM MARIANA (2015)

“A ação irresponsável de empresas provocou o maior desastre ambiental na história do Brasil na grande bacia hidrográfica do rio Doce”, Dilma Rousseff (PT).

ACIDENTE COM A CHAPECOENSE, 71 MORTOS (2016)

“Eu quero, mais uma vez, lamentar o infausto acontecimento que gerou o falecimento de uma equipe de futebol e vários que a acompanhavam. Para nós, é um fato tristíssimo e a única coisa que podíamos fazer era tomar providências para dar apoio às famílias que se enlutaram neste momento”, Michel Temer (MDB).

###
NOTA DA REDAÇAO DO BLOGA própria cúpula do Planalto está desapontada com o silêncio de Bolsonaro, que de forma alguma significa a admissão de haver errado. Bolsonaro não tem escrúpulos e falta-lhe também educação. (C.N.)

2 thoughts on “Silêncio de Bolsonaro sobre os mortos por Covid-19 destoa de presidentes anteriores

  1. são seis horas
    d’uma manhã de domingo.
    faz frio.
    um galo canta.
    outro responde.
    e outro mais.
    nesse domingo, no meu país
    meio milhão de sorrisos
    não cantam mais.

    são seis horas e cinco minutos
    d’uma manhã de domingo.
    faz frio.
    um galo canta.
    outro responde.
    e outro mais.
    nesse domingo, no meu país
    quinhentas mil pessoas
    não dirão “bom dia!”
    não abraçarão
    nem serão abraçadas
    por seus familiares
    e pessoas amigas.

    são seis horas e dez minutos
    d’uma manhã de domingo.
    faz frio.
    um galo canta.
    outro responde.
    e outro mais.
    nesse domingo, no meu país
    quantos mais
    continuarão a morrer
    por falta de vacinas
    e atendimento à saúde
    devido a premeditação perversa
    de governantes boçais e criminosos?

    são seis horas e doze minutos
    d’uma manhã de domingo.
    faz frio.
    um galo canta.
    outro responde.
    e outro mais.
    nesse domingo, no meu país
    como faz falta o côro de risos
    de meio milhão de pessoas
    que tiveram suas vidas ceifadas
    antes da hora…

    batista.f

  2. Jornalismo mentiroso!

    Várias vezes o PR deu declarações lamentando as vidas perdidas.

    O jornalista cretino se refere a uma nota crítica de um desastre ambiental como se fosse sobre perdas de vidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *