Simone Tebet afirma que CPI já reuniu elementos para impeachment de Bolsonaro

A presidente da CCJ ressaltou que proposições sobre porte e posse de armas de fogo precisam ser debatidas no Congresso por meio de projetos de lei, e não por meio de decreto presidencial

Simone afirma que a CPI teve resultados impressionantes

José Carlos Werneck

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) não integra oficialmente a CPI da Covid no Senado, mas foi a responsável por duas das intervenções mais importantes na comissão até agora: conseguiu do deputado Luis Miranda o nome do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, citado por Bolsonaro como responsável pela pressão pela compra da vacina indiana Covaxin, hoje sob investigação, e dias depois mostrou modificações grosseiras em documento apresentado pelo ex-número 2 da Saúde, o coronel Élcio Franco, e o ministro Onyx Lorenzoni, da Secretaria-Geral da Presidência, para rebater as acusações de irregularidades.

A parlamentar acha que a CPI já reuniu elementos suficientes para justificar um pedido de impeachment do presidente da República, por sua conduta durante a pandemia, destacando que mesmo sem que tenha atingido, até agora, os 342 votos necessários na Câmara dos Deputados, tal situação pode mudar nas próximas semanas, conforme avancem as investigações da CPI.

NOVOS ELEMENTOS – “É preciso aguardar o término desse período normal da CPI, que termina em trinta dias. Nós teremos, a partir daí, provavelmente, novos elementos que possam reforçar a perda da base parlamentar do presidente da República”, disse ela em entrevista concedida ao jornal “O Estado de São Paulo”.

Sobre a compra da Covaxin, ela não tem dúvidas que houve prevaricação, pois os servidores públicos que tinham obrigação de investigar fizeram vista grossa para as irregularidades.

“Agora, quem prevaricou? A pergunta que se faz é: quem é que vai assumir essa responsabilidade em nome do presidente da República?”, questionou.

JÁ DEU RESULTADO – Para ela, a CPI da Covid “já deu resultado” ao pressionar o governo para mudar de atitude na condução da pandemia.

“A CPI, se acabasse hoje, já teria dado resultado. Já seria considerada a CPI mais importante, com mais resultados, da história das CPIs do Congresso Nacional”, afirmou Simone Tebet, que é pré-candidata a presidente pelo MDB.

12 thoughts on “Simone Tebet afirma que CPI já reuniu elementos para impeachment de Bolsonaro

  1. Fiquei feliz ao saber que a senadora, Simone Tebet, a terceira via que, por enquanto, estou a perscrutar; ela garante muitos cargos em seu gabinete. De antemão, já tenho a quase certeza de estou diante de uma parlamentar imbuída, no propósito de atenuar duas pragas nacionais: desemprego e distribuição de renda precária.

  2. Os 7 senadores que se intitulam G7 criaram uma CPI e pediram a um Ministro do Supremo que obrigasse sua instalação e investigam um crime em que ninguém roubou, ninguém pagou, ninguém produziu, ninguém entregou e acusam o Presidente de cometer prevaricação.

    É cômico se não fosse trágico.

  3. O pior cego é aquele que não quer ver.
    PS: A menos que seja remunerado para tal postura; como o ator que faz um papel de cego, em determinada peça de teatro.

  4. Cabo dominguetti foi lá e deu o recado, denunciou civis e militares e apresentou provas na CPI. Mas a CPI já é caso encerrado a bola da vez são as pesquisas de intenção de votos: um ‘péssimo’ gigantesco, como diria Paulo Coelho.

  5. Vejo Simone Tebet e Ciro Gomes como a provável chapa da terceira via que vai tirar o país das mãos da bandidagem que dominou a nossa política.

  6. O Idiota afirmou que não se lembra da denúncia sobre o superfaturamento das vacinas porque ele tem cerca de 100 reuniões por mês. Tem porque é um administrador burro e incompetente.

  7. Superfaturamento de 400 milhões de vacinas, diga-se Rue de Sablon. Simone Temet foi cirúrgica, honrou seu saudoso pai e as mulheres no centenário Senado de tantos investigados (ladrões). Matou a pau, Tanto fez o delator revelar o óbvio, que era o líder do governo o comandante do esquema (aliás, como é que esse cara -Ricardo Barros) era líder do FHC, vice lider de Lula e Dilma e ministro da Saude de Temer e ainda tá no comando das nomeações do ministério de maior orçamento da União?, como acabou com o palhaço do Lorenzoni, que se revoltou com os denuncianntes, e não com o denunciante Ao apontar a grosseria das fraudes, mostrou que o rei está nu.

  8. A CPI da Gangue dos 7, inventada pelo ladrão-mór, Lula da Silva, para gerar manchetes mentirosas na imprensa venal e instaurada mediante ordem ilegal de um facinoroso ministro do STF, acossado pelas ameaças de revelação de um vídeo impublicável.

    O sinistro Gilmar Mendes avisou a todo mundo: “tem ministro do STF sendo chantageado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *