Só declarando guerra a Donald Trump…

Resultado de imagem para o rato que ruge

Charge sem autoria, reproduzida do site do PPS

Carlos Chagas

O presidente Michel Temer reúne amanhã os governadores estaduais. Prevê-se que nenhum falte, dada a miséria em se encontram seus Estados. Todos vêm atrás de dinheiro, imaginando rolar suas dívidas com a União, obter mais empréstimos e poder ao menos assegurar o pagamento do próprio funcionalismo.

Impossível que tragam sugestões capazes de ajudar o governo federal a sair do sufoco. Saber quem está pior, se os governadores ou o presidente da República, dá no mesmo. Andam todos à espera de um milagre.

Fez sucesso, muitos anos atrás, um filme intitulado de “O Rato que Ruge”, com o inigualável e saudoso Peter Sellers, acumulando três papéis: a rainha de um pequeno país europeu, o primeiro-ministro e um capitão da guarda. Reunidos, eles concluíram haver uma só saída para o país: declarar guerra aos Estados Unidos, iniciá-la e logo depois perder. Ou todos os países que haviam perdido guerras para os americanos,      como o Japão e a Alemanha, não se encontravam no  melhor dos mundos, ricos e prósperos?

Assim fizeram, embarcando seu limitado exército num cargueiro de quinta categoria, com arcos, flechas e escudos. Invadiram Nova York, cuja população nem se deu conta da invasão. Aconteceu, porém, um inusitado: os invasores entram na residência de um cientista nuclear que acabara de descobrir a fórmula de uma bomba atômica de bolso. O resto da trama fica por conta do leitor encontrar uma cópia do filme e deliciar-se com o espetáculo.

Por que se conta essa história que seria cômica se não fosse trágica? Afinal, sexta-feira assume um novo presidente dos Estados Unidos. Que tal Michel Temer e os governadores declararem guerra ao governo Donald Trump? O triste seria se nós ganhássemos…

6 thoughts on “Só declarando guerra a Donald Trump…

  1. O Brasil sempre será um país viável e promissor. Agora, esses incompetentes que estão no poder só tem o projeto de ficarem ricos, o povo não vale nada. Deveria ser obrigatório que cada partido político formulasse projetos específicos para cada problema desse país. E a disputa entre esses mesmos partidos deveria ser em quem tem a melhor solução para determinados problema e não, como tem acontecido, quem é mais criativo em nos assaltar.

    • A ideia é boa, mas se depara com uma população anarfa.
      A longo prazo pode ser viável, desde que comece, já, a dar prioridade à educação neste nosso Brasil.

      Os políticos, em sua maioria, e o povo “povão” tratam uma eleição como uma grande oportunidade de se darem bem, cada um conforme seus interesses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *