S um apoio em bloco do STF pode salvar Toffoli dessa situao desconfortvel

Charge do Solda (cartunistasolda.com.br)

Pedro do Coutto

Depois da reportagem da Revista Veja sobre a qual escrevi domingo, e tambm aps a matria de Bruno Peres na edio do Valor de segunda-feira, a respeito da qual escrevo hoje, somente uma manifestao em bloco dos ministros do Supremo Tribunal Federal, em favor de Dias Toffoli, capaz de retir-lo da situao de constrangimento causada pela delao antecipada do ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, sobre a intimidade entre ambos e seus interesses, que aponta como tendo sido comuns em momentos determinados, como, por exemplo, o habeas corpus em seu favor concedido de forma liminar e depois revogado pela Corte Suprema.

RESPOSTA FRACA -A situao de constrangimento foi tambm destacada pelo Estado de So Paulo na edio de domingo, e pelo Valor ao publicar resposta muito fraca de Dias Toffoli. Esta resposta limita-se deciso de no considerar, neste momento, adotar providncias em relao s informaes divulgadas pela Veja. Assim, com isso, Toffoli deixa claro que no pretende nem processar Leo Pinheiro por calnia, tampouco exigir direito de resposta revista.

Entende-se dessa forma que pretende conservar-se em silncio, da mesma forma com que agiu quando a revista publicou em abril existirem evidncias do relacionamento entre o ministro do Supremo e o ex-presidente da OAS.

NO CALNIA? – O silncio, claro, um direito dele, mas abafa a revolta natural de parte de quem deveria se julgar vtima de acusao caluniosa e, pelo menos, de uma difamao. Toffoli preferiu no responder sequer a insinuaes contidas nas declaraes de Leo Pinheiro.

O silncio, relativamente ao caso, pode tambm vir a ser adotado pelos integrantes da Corte Suprema. Porm, representar, pelo menos uma atmosfera hostil e tambm uma moo de desconfiana. Se isso ocorrer, como poder Dias Toffoli sentir-se vontade entre seus pares? O silncio ser seu isolamento.

DELAO SUSPENSA – Reportagem de Jailton de Carvalho, O Globo tambm de segunda-feira, revela que o procurador-geral da Repblica Rodrigo Janot decidiu suspender o processo de delao premiada em relao a Leo Pinheiro em face do vazamento das informaes comprometedoras a Toffoli, possveis de prejudicar a prpria sequncia do acordo, atravs do qual Pinheiro props apresentar mais provas comprometendo o ex-advogado geral da Unio no governo Lula.

A no aceitao, por parte de Janot, da proposta de Leo Pinheiro restringe-se figura do prmio pela delao, porm no envolve o contedo dos fatos que continuaro, mesmo assim, sustentando as acusaes, mas sem o bnus legal ao delator. So coisas distintas embora convergentes e sobretudo, no caso de Toffoli, restritas unicamente apreciao do Supremo Tribunal Federal.

FORO PRIVILEGIADO – Os ministros do STF possuem foro privilegiado, mas no o privilgio da imunidade como estabelecia a Constituio de 46, no dispositivo revogado pela Carta de 88.

Em setembro a Ministra Carmen Lcia assume a presidncia do STF. Provavelmente caber a ela solicitar a Dias Toffoli uma explicao em profundidade sobre o assunto. Claro, se ele se dispuser a faz-la e tambm se vier a sentir-se em condies de realiz-la de forma objetiva e com a profundidade que o episdio exige.

8 thoughts on “S um apoio em bloco do STF pode salvar Toffoli dessa situao desconfortvel

  1. H anos, talvez dcadas, tenho dito aos Senhores e Senhoras, reiteradamente, de forma at enfadonha, que o problema do sistema poltico partidrio-eleitoral e golpista-ditatorial, velhaco$, camalenico$, portanto o conjunto da obra, que se renova s na malandragem, dos quais, no Brasil, somos todos vtimas e refns h 126 anos, que o problema do dito cujo de junta, ou seja, juntar tudo e jogar no lixo da histria do Brasil. Muitos me xingam, me zombam, me corneteiam, alguns me do me prestigiam e me do fora, por estes e por uma futuro melhor s novas e prximas gerao sigo em frente com a minha pregao, at que a morte me separe delas.

    • Da vm os velhos e novos malandros, a mdia bandida, Tia Sam pillantra e CIA, vendo a viola do dito cujo em caco, aplicam o golpe, e vejam s quem elle$ colocam para comandar a repblica 171, seno o pior do pior do lixo partidrio-eleitoral, tal seja o PMDB, o cncer partidrio maior da nao, que, na cara dura, j est pedindo mais 20 anos para arrumar o pas, como se cabritos e raposas tivessem credibilidade e iseno para cuida de hortas e galinheiros. E o pior de tudo que no Brasil tem, pelos menos enquanto ainda tiverem hortas e galinheiros. E nesse contexto, tpico de ambiente hospitalar psiquitrico, o povo aplaude a aquisio de 7 medalhas de ouro, no valor de R$ 500, cada uma, por R$ 17 bilhes. Pode ? Nestas plagas pode tudo, s no pode ser honesto seno leva a pior conforme o “Acordo CARACU”, do Carlos Newton.

  2. No Brasil assim…”TODOS SO IGUAIS PERANTE A LEI”..e, diante do mar de lama de todas, sem exceo, Instituies em defesa da ORCRIM PETRALHA E SEUS CHEFES, para que continuem IMPUNES …isso j virou “jurisprudncia” pelo procrastinadores jurdicos que mudaram o texto para..”TODOS SO IGUAIS FORA DA LEI …” ! O BRASIL T PODRE !!!

  3. …alardeiam na mdia que h PECs visando mudar o critrio de os ministros do STF serem indicados pela Presidncia Repblica aps uma lista trplice…aguardemos + 126 anos…

  4. “H diversas teorias na praa, mas nenhuma delas pode driblar um fato concreto. a primeira vez que o vazamento de informaes usado como motivo para melar um acordo de delao. As acusaes de Delcdio do Amaral, Srgio Machado e Ricardo Pessoa jorraram vontade antes de os trs se livrarem da cadeia”
    Bernardo de Mello Franco-Folha.

    “…Acio ser delatado, com base em documentos, por Lo Pinheiro, ex-presidente e scio da OAS. De acordo com a delao, Acio cobrou 3% de propina nas obras da Cidade Administrativa do governo Mineiro, a maior obra dos seus governos, em Minas.

    Lo Pinheiro afirmou, ainda, como eram pagas as propinas, por meio de Oswaldo Borges da Costa, ex-presidente da Codemig. Oswaldinho, como ele conhecido em Minas, o tesoureiro informal das campanhas de Acio e tambm casado com uma prima de Gilberto Faria, padrasto do senador. ele tambm o dono do avio usado por Acio em seus deslocamentos.

    Ao todo, a obra custou R$ 1,3 bilho e foi licitada pela Codemig, presidida pelo tesoureiro de Acio. Como a OAS recebeu R$ 102,1 milhes, os 3% da suposta propina seriam equivalentes a pouco mais de R$ 3 milhes. Se todas as empreiteiras tiveram pago a mesma propina, seriam R$ 390 milhes.

    Segundo Acio, as acusaes so “falsas e absurdas”.

    Bela Megale
    Mrio Csar Carvalho- Folha

  5. Pingback: S um apoio em bloco do STF pode salvar Toffoli dessa situao – Debates Culturais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.