Socialismo e costela

Percival Puggina

Embora pilote minha churrasqueira com razoável competência, não sou perito em cortes de carnes. Li outro dia que o corte de costela é o mais consumido no Rio Grande do Sul. Pessoalmente, porém, não sou bem sucedido nas ocasiões em que tento assá-las. Repete-se algo que muitas vezes ouvi anfitriões comentarem em churrascadas alheias: “Esta costela não é bem aquela”. Entende-se por “aquela”, nessa frase, a costela ideal, com bastante carne, pouca gordura, osso delgado, macia e saborosa.

Quando me falam em socialismo, em comunismo, sempre me lembro dessas costelas que não dão certo. As experiências históricas com o socialismo jamais correspondem a “aquele” socialismo ao qual o vendedor de ideologia está se referindo. Você refuga a tese apontando os fracassos do socialismo e do comunismo (este definitivamente saiu do vocabulário com vergonha do próprio nome), e o vendedor de ilusões o interrompe para dizer que “aquilo” nunca foi o verdadeiro socialismo.

Mas veja só, enquanto a costela, vez por outra, pode exibir um precioso corte “daquela”, o socialismo não tem sequer uma solitária laranja de amostra que possa ser observada no pé da laranjeira. Sua principal sedução é assim apontada por Norberto Bobbio: “O socialismo é cativante porque cada um pode idealizá-lo como desejar”.

RICOS E POBRES

A grande acusação que lançam contra o capitalismo ou economia de mercado é a de ser um sistema que beneficia os ricos e responde pela miséria do mundo. No entanto, se dermos uma olhada no mapa da pobreza extrema do World Food Program, veremos que ela se concentra em regiões e nações que não têm e nunca tiveram uma economia baseada na livre iniciativa, no empreendedorismo.

Não se conhece um único país cuja sociedade tenha sido rica e que empobreceu devido à sua inserção no mercado global. Do mesmo modo, não se conhece um único país cuja sociedade tenha evoluído econômica, social e politicamente enquanto se manteve num ambiente de economia estatizada e centralizada.

Pelo viés oposto, os países europeus e asiáticos que se libertaram do comunismo em fins do século passado e adotaram a economia de mercado encontram-se, hoje, em diferentes mas ascendentes níveis de evolução econômica e social. Tampouco se conhece uma única sociedade que, tendo vivido sob o regime comunista e dele se libertado, manifeste desejo de retornar àquela desgraceira.

6 thoughts on “Socialismo e costela

  1. O Socialismo, ( Propriedade Estatal dos Meios de Produção; Base de Decisões Coletivas; e Plano Central Dirigista para alocar os Recursos e distribuir a Renda), a semelhança da Costela, nunca produzirá um Alto Padrão de Vida “para a maioria do POVO”, porque nenhum Gênio ainda conseguiu inventar uma maneira do Homem produzir/trabalhar mais para o País, do que para ele mesmo.
    W. CHURCHILL disse que a DEMOCRACIA é o pior dos Sistemas Políticos , com exceção dos Demais, assim também o CAPITALISMO BEM REGULADO, é o pior dos Sistemas Econômicos, com exceção dos Demais.

  2. O problema ou o equívoco dos filósofos dos séculos XVIII e XIX , que buscavam em suas filosofias fórmulas para uma sociedade perfeita é que eles não conseguiam se lembrar de que existe mais no universo do que imagina a nossa vã filosofia.
    Foi o erro fundamental dessa gente , muitos deles arrogantes , que só conseguiam enxergar a matéria visível.

    Enfim, o Homem, como qualquer outro animal já está pronto há milhões de anos e nada vai mudar o seu DNA.
    Mas, já que se tem que viver em sociedade, foi necessário criar algumas leis como não matar e não roubar. Mais que isso avilta-se a natureza humana. A distorce, tornando seu portador alguma coisa que não o animal que somos. E, como tal, animais que somos, disputamos, competimos,etc.
    E é isso que nos torna produtivos.

    Por falar em século XIX, Nietzsche, que se dizia um anti-filósofo já observou o que significava essa demagogia conhecida como socialismo:

    “O socialismo é o fantasioso irmão mais jovem do quase decrépito despotismo, do qual quer herdar; suas aspirações, são, portanto, no sentido mais profundo, reacionárias. Pois ele deseja uma plenitude de poder estatal como só a teve alguma vez o despotismo, e até mesmo supera todo o passado por aspirar ao aniquilamento formal do indivíduo: o qual lhe aparece como um injustificado luxo da natureza e deve ser transformado e melhorado por ele em um órgão da comunidade adequado a seus fins. …”

  3. O baixo índice de feed Back nas matérias indica a queda dos leitores desta página que além de ultra conservadora se tornou o megafone da ultra direita raivosa. Isso. Continuem a bateria cara contra a vontade do povo e a defender as minorias donas do capital. O

    • Por que vc não defende suas teses ou rebata as teses daqueles que vc não concorda com argumentos ?
      Não gosta da democracia?
      Ah, vc quer mesmo é a ditadura da esquerda. Com ela vc se dá bem, com algum emprego na máquina estatal corrupta e opressora como lá em Cuba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *