Soldados da PM com curso superior não deram certo no Paraná

Jorge Lima Valadão

Em resposta a críticas sobre o fim da exigência de diploma universitário para ingresso na Polícia Militar do Paraná, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse que um policial com curso superior “muitas vezes não aceita cumprir ordens de um oficial ou um superior”.

A declaração foi dada em entrevista à rádio CBN Curitiba. Richa disse que a exigência do diploma para o ingresso na PM “demonstrou não ser uma boa iniciativa”, porque desestimula os jovens que querem entrar na polícia e ainda não têm curso superior.

Em seguida, o governador afirmou: “Outra questão é a de insubordinação, também. Uma pessoa com curso superior muitas vezes não aceita cumprir ordens de um oficial ou um superior, uma patente maior”.

Segundo a Folha, a proposta de acabar com a exigência de curso superior para o ingresso na PM foi feita pelo governo estadual semana passada, com o envio de uma proposta de emenda constitucional à Assembleia. O projeto prevê o fim da exigência de diploma de Direito para o ingresso na PM e de Engenharia para admissão no Corpo de Bombeiros.

Entidades que representam os policiais do Estado se manifestaram contra a mudança, afirmando que a medida representaria um “retrocesso” na busca por uma polícia mais bem preparada.

Arrependido das declarações, Richa disse em seu Twitter que suas afirmações foram “descontextualizadas”. “O que eu disse é que retiramos a exigência do diploma para dar oportunidade aos mais jovens que ainda não concluíram o curso superior”, afirmou.

Em seu perfil no Facebook, o governador também rebateu as críticas: “Educação é prioridade da nossa administração, e a valorização dos servidores, uma meta de governo. Por que o discurso seria diferente daquilo que pregamos há tanto tempo? Nada mudou. Respeito e valorizo os nossos policiais”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *