Solidez da democracia brasileira enfrenta grande teste nas ruas em 15 de março

Resultado de imagem para democracia brasileira charges

Charge do Duke (dukechargisrta.com)

Pedro do Coutto

Na realidade, a solidez da democracia brasileira enfrentará seu primeiro grande teste no governo Bolsonaro, na medida em que os efeitos e reflexos dos atos de 15 de março não representarem qualquer abalo ao regime político brasileiro. Até o momento, de acordo com reportagem de Daniel Mariani e Fábio Takahashi, na Folha de São Paulo de domingo, revela-se  que as correntes que se formaram nas redes sociais baseiam-se em três pontos. Críticas aos poderes Legislativos e Judiciário representam 35%. 32% representam a defesa do presidente nas ações de governar, e 25% criticam a imprensa e a oposição parlamentar.

Esses números se referem exclusivamente aos atos programados para o fim da segunda quinzena. São, portanto, de apoio ao governo.

PANORAMA ATUAL – Entretanto, será preciso analisar seus reflexos e seus efeitos no panorama político institucional do país. O caráter ideológico do movimento nas redes sociais foi medido pelo GPS ideológico, ferramenta da Folha de São Paulo que categorizou 1 milhão e 700 mil contas posicionando seus perfis.

O problema deixou de ser a movimentação de 15 de março e passou ao estágio seguinte, que na minha opinião depende dos efeitos e reflexos que a repercussão poderá causar. Como disse no título, será um grande teste para verificar a solidez democrática do nosso país.

Vale acentuar que o quesito de crítica ao Legislativo e Judiciário sobrepõe-se àquele de defesa do presidente da República, e também supera as restrições ao jornalismo e a oposição parlamentar.

UMA COISA LEVA À OUTRA – Contudo, não se pode separar as ondas de críticas e as ondas de defesa do presidente Bolsonaro, uma vez que uma coisa é reflexo de outra, na visão dos eleitores que levaram Bolsonaro à vitória nas urnas de 2018. A mesma situação pode ser aplicada à corrente que se coloca contra a imprensa, como se pudesse haver democracia sem a liberdade de imprensa. Portanto, acredito que os três vértices no fundo convergem para uma só plataforma.

O problema essencial no momento deve ser a capacidade de resposta, principalmente nas redes sociais dos que são contrários a qualquer medida que possa abalar o sentimento democrático que voltou a funcionar no Brasil após a vitória da chapa Tancredo Neves/José Sarney, nas eleições indiretas de 85.

Tenho a impressão que efetivamente grupos que formam no governo desejam mudar o jogo destinando poderes quase absolutos ao Palácio do Planalto.

SÃO TRÊS PODERES – Esquecem que nas democracias pessoa alguma pode governar sozinha e que a própria filosofia da lei remete a síntese de que ela representa a conciliação entre os contrários. Esta definição sobre a lei de modo geral atravessa os séculos reproduzindo o pensamento Hegeliano.

Esse é o panorama atual do país que enfrenta problemas sociais e econômicos de toda a sorte. Basta ver como as redes de televisão têm mostrado a situação de extrema pobreza de comunidades quando são elas atingidas pelas chuvas. Há um círculo de giz marcando nosso atraso no plano fundamental do saneamento. Basta também revelar a situação nos serviços de saúde pública.

São desafios que se tornaram permanentes entre nós. Além desses agora há o desafio político que, no fundo, representa uma ameaça a democracia. As instituições brasileiras assim vão enfrentar mais um grande desafio: as ruas de 15 de março.

19 thoughts on “Solidez da democracia brasileira enfrenta grande teste nas ruas em 15 de março

  1. Que mal eu pergunte, o que é que a coitada da Democracia usada no Brasil pela plutocracia putrefata com jeitão de cleptocracia com ares fétidos de bandidocracia apenas para enganar a tola freguesia tem a ver com esse antro de bandidos, senão tb vítima dos mesmos ?

  2. Excelente artigo do jornalista Pedro do Coutto.
    Sem dúvidas o movimento é contra o judiciário e legislativo em defesa de um presidente, desqualificado para o cargo que ocupa.
    Nesse movimento devem estar presentes, os fanáticos bolsonarista e parte dos evangélicos. Os pastores dessas igrejas devem isso ao Bolsonaro.

    • Antes ser um fanático bolsonarista a ser um celerado canhoto ou um isentão escroto, onde está a democracia que não se pode protestar movimentar em nome de a ou b e quem sabe até c, e sendo ateu ou judeu e quem sabe até cristão, quem mal ha nisso, somente nas mentes degeneradas que não mamam mais nas tetas da democracia tão festejada.

  3. O diabo mora nos detalhes, como já disseram alhures, ou seja, no caso, nas segundas e reais intenções do Bolsonaro e CIA, mantidas na escuridão, em que pese os sinais, mas esse congresso que criou o Bolsonaro, infelizmente, tb não é flor que se cheire, se merecem, não representam a Democracia de verdade coisa nenhuma, nunca representaram. O diabo é que o que colocar no lugar dessa imensa legião de bandidos do sistema podre que tomaram de assalto o Brasil inteiro, até os nossos fiofós. Qual será a real intenção do Bolsonaro rachadinha futebol clube ? Revolucionar o país ? Mas cadê o Projeto de Revolução ? Ou será apenas fazer uso das armas para eliminar os concorrentes e ato continuo assaltar tudo e todos a mãos armadas, de modo que não haja reação nenhuma ?

  4. Nélio Jacob … Constituição permite e até incentiva Manifestações Populares.

    Está lá … como comentei em várias vezes … que a guarda da Constituição cabe ao STF … porém, há restrição; pois o zelo pela guarda cabe a todo mundo de Pindorama.

    Ou seja … a Cidadã é tremendamente (sic) Liberal kkk KKK kkk

    Todo Poder emana do POVO … e são 3, independentes e harmônicos … o Poder é compartilhado … e não existe Chefe de Governo ou Chefe da Nação.

    E cabe a todos e todas o ZELO pela Guarda da Cidadã, Democracia e Patrimônio Público.

    Manifestações Populares necessitam ter esse objetivo … mostrar que algum Poder não está tendo o tal zelo, né???

    Sds.

  5. Posso até não concordar com o teor de algumas manifestações. Mas entendo que as pessoas devem ser livres para tais. Seja de direita ou de esquerda, desde que não haja depredações.

    Porém, nenhuma manifestação consegue agregar a parte da camada mais necessitada e que é a maioria. Sempre quem comparece a essas manifestações é a parte mais privilegiada.

    Será que um dia essa maioria se manifestará ou permanecerá silenciosa?

    • Boa colocação. Mas até agora as manifestações de mais de 5 milhões de brasileiros que se manifestam por um Brasil próspero e sem corrupção, nelas não se quebrou um copo de vidro , ao contrário das da esquerdinha com seus nazi-fascistas quebrando, colocando fogo em tudo e até matando um cinegrafista da Band.

  6. Vivemos em cleptocracia é difícil de entender isso. Tem que haver uma ruptura e construirmos um novo país. A BOLÍVIA recentemente fez isso, está fazendo isso lá. Só quem defende esses poderes poderes são os esquerdistas mamadores de dinheiro público. E um tal de ARRUINADO AZEDO o jornalista mais vagabundo do Brasil. Será que ele já faltou com a Andréia Neves hoje?

  7. Vai dar em nada. Bolsonaretes acham que estao com essa bola toda. Ps: So nao vale colocar fotos de manifrstacoes de 2013 ou 2017 antes do coiso chegar ao poder. Entendeu bolsonaretes?

  8. Bom artigo. Parabéns Pedro do Coutto.

    O comentarista Gregório Abrantes de Lacerda, ao mencionar a Bolívia, me fez recordar uma cena que assisti em Guajará Mirim, lado brasileiro, há mais de 50 anos, protagonizada por um ditador boliviano, em um bar, na beira do rio Guaporé, após uns goles variados, disse que “ali, do outro lado do rio, é que existe a verdadeira democracia. Lá todos fazem o que eu quero, quando não fazem, os mando prender.”

    A grosso modo, no idioma do “presidente” boliviano, seria: “Allí, al otro lado del río, está la verdadera democracia. Allí todos hacen lo que quiero, cuando no lo hacen, los arresto.”

    Como se vê, o conceito de “democracia” é muito elástico …

  9. Vou me aproveitar das colocações do Vidal, mesmo sem lhe pedir permissão, mas com o objetivo de ampliar um pouco as razões pelas quais o brasileiro não se mexe em seu benefício.

    “Porém, nenhuma manifestação consegue agregar a parte da camada mais necessitada e que é a maioria. Sempre quem comparece a essas manifestações é a parte mais privilegiada.

    Será que um dia essa maioria se manifestará ou permanecerá silenciosa?”

    Conterrâneo,
    Esse é o nó górdio do povo brasileiro, que ninguém desata:
    a nossa passividade, alienação e, até mesmo, irresponsabilidade, tanto para com o País quanto, principalmente, para conosco!

    Eu até diria que nessas manifestações deveria haver uma que outra Escola de Samba ou Trio Elétrico para motivar o pessoal, e fazê-los sair de casa para reivindicarem o fim das injustiças sociais, as castas que vivem nababescamente, o desemprego, a miséria, a pobreza, a educação deprimente, a saúde deteriorada, a violência incontrolável … haveria motivos suficientes para sairmos de casa, sem dúvida alguma.

    A meu ver, meu caro amigo, o povo já se deu por derrotado há tempos.
    Tendo consciência que a sua função é somente outorgar poderes e obedecer, pois não tem autoridade ou voz ativa ou representação legítima, jogou a toalha.

    O negócio é viver a sua vida da melhor maneira que pode e, uma das opções, é simplesmente se desligar desta deletéria e desgraçada política nacional.

    Dane-se o Brasil;
    azar do pobre;
    pior para o miserável;
    quem mandou ser analfabeto?
    por que foi residir em favelas, vilas ou nos arrabaldes das grandes cidades, onde a violência campeia?

    Enquanto aos finais de semanas eu bebo a minha cervejinha, como um churrasquinho, danço … o país que se exploda, certamente este é o pensamento da maioria da pessoas e com uma certa razão, a verdade é esta!

    Olha o que foi o carnaval:
    milhões nas ruas de Recife, SP, Rio, BH, Salvador … uma festa.
    Se, anteriormente, o carnaval era considerado uma festa pagã, agora liberou geral.

    No entanto, nem um décimo desse povaréu participa de protestos contra os poderes, responsáveis pela vida nacional extremamente difícil para as categorias (?) sociais abaixo da B.
    Diga-se de passagem, a maioria absoluta da população.

    Claro que há um fator preponderante para este descaso com o país e com a população, evidente, e que independe dos poderes constituídos corruptos e incompetentes, logo, de nós mesmos:
    JAMAIS tivemos das autoridades e desde a Proclamação da República, exemplos de ações favoráveis ao cidadão e HONESTIDADE de nossos governantes!

    Pensa o povão:
    Por que serei o “joãozinho do passo certo”?!

    Conclusão:
    Conforme venho escrevendo volta e meia, o País, Nação, Pátria e Estado, se divorciaram do povo e, nós, o povo, entendemos que isso foi bom!

    Resultado:
    Essa ronha, esse fracasso, essa derrota amarga que sentimos porque vivemos em uma terra desvalorizada, onde o cidadão, na sua maioria, é analfabeto absoluto e funcional, somos incultos e incautos, e temos de lutar diariamente para sobreviver.

    De certa forma, Vidal, acredito que muitos pensam e não reagem contra a insuportável carga tributária sobre nossos lombos, pelo fato de, lá pelas tantas, usarem do adágio popular:
    “pago para não me incomodar”.

    Abração.

  10. Quando eram o Cabral presidiário, Lula ou sua criatura maldita, nenhum “jornalista isento” reclamava de ameaça à Democracia.

    Democracia é uma droga

    E democracia presidencialista é pior ainda.

    Por isso que EUA não é uma democracia.

    Possuem um sistema eleitoral que impede a ditadura da maioria.

    Porque a maioria, obedecendo a uma das leis de Nelson Rodrigues, é idiota.

    Já a unanimidade é burra.

    O Brasil cresceu muito mais nos períodos sem democracia presidencialista ( 1 e 2 reinado; 15 anos da ditadura Vargas, que não ousava dizer ser nome; Regime Militar)

    Jornalista gosta é de dinheiro.

    Por dinheiro talvez digam até a verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *