Somente o salário atualizado pode assegurar o crescimento do consumo

Resultado de imagem para aumento salarial charge

Charge do Bruno Galvão

Pedro do Coutto

O governo Michel Temer, através do Ministério do Planejamento está estudando a criação de um estímulo ao consumo à base da liberação de recursos do FGTS, inclusive a trabalhadores que pedirem demissão do emprego. Reportagem de Geralda Doca, O Globo deste sábado, destaca o assunto em relação ao qual surgiram logo críticas à descapitalização do Fundo de Garantia. Uma das alternativas em foco seria o saque para pagar o crédito consignado em folha. Uma contradição.

Aqueles que pudessem levantar parte do FGTS poderiam zerar o crédito consignado. Mas em seguida estariam habilitados para realizar nova consignação, o que manteria o problema social que envolve uma das faces da redução de vencimentos. A outra face reside no fato de os salários perderem a corrida quanto a inflação real e assim os trabalhadores não conseguiriam sustentar de forma permanente o aumento do consumo objetivado pelo governo.

CAPITAL E TRABALHO – A questão continua sempre a mesma: o conflito entre o capital e o trabalho, sem estabelecer uma linha de verdadeiro equilíbrio entre os dois polos. É preciso acentuar que a inflação, como sempre digo, antecede o reajuste salarial, não o contrário.  Assim os valores do trabalho estão sempre atrasados em relação aos preços, somente os alcançando no final de uma jornada de doze meses.  E isso se a reposição das perdas não ficar abaixo da verdadeira inflação registrada.

O fato dominante é que as empresas possuem meios de elevar os preços de seus produtos, enquanto as classes assalariadas não podem automaticamente elevar os vencimentos que recebem.

Mas o governo está empenhado em ampliar o consumo. Não conseguirá se o estímulo projetado tornar-se episódico. A elevação do consumo em escala permanente depende do poder de compra contido na massa salarial. Indispensável lembrar também que a massa salarial brasileira está gravemente alvejada pela taxa de desemprego, que é a maior fonte de retração do consumo e de diminuição da receita do INSS. Afinal de contas os 13 milhões de desempregados deixaram de recolher suas mensalidades, o mesmo acontecendo com as contribuições devidas pelos empregadores que os demitiram.

QUEDA RECEITA – Importante destacar que a contribuição dos empregadores ao INSS é de 20% sobre as folhas de salário sem limite. A contribuição dos empregados está limitada a 11% sobre o teto de 5.500 reais, valor máximo das aposentadorias. O deputado Rodrigo Maia afirmou, defendendo a reforma previdenciária, que ela se destina a acabar com privilégios existentes, por intermédios dos quais os mais pobres asseguram vantagens aos de melhores vencimentos. Falso. Se o Presidente da Câmara referiu-se aos funcionários públicos, equivocou-se. Pesquisa recente, comentada neste site revelou que apenas 15% dos servidores públicos recebem acima de 5.500 reais, teto do INSS.

Além disso, os funcionários contribuem com 11% sobre o total de seus vencimentos. Estabelece-se, assim, uma disparidade entre as contribuições dos empregados celetistas e a dos funcionários públicos. Rodrigo Maia precisa estudar melhor a questão, pois demonstrou não se encontrar bem informado da realidade. Bem informado está o ministro Henrique Meirelles, embora oculte as despesas com o pagamento de juros sobre a dívida interna, na verdade o maior desembolso do governo e responsável pelo desequilíbrio entre receita e despesa do país.

12 thoughts on “Somente o salário atualizado pode assegurar o crescimento do consumo

  1. Trata-se de uma equação por demais complexa. Melhoria salarial, daquele cidadão que deveras trabalha: bate de frente com os programas sociais parasitas (bolsa família, Fies, empréstimos bancários pagos com calotes, benefícios previdenciários às pessoas inúteis etc). Consumo, no mundo inteiro, é o vilão maior da degradação ambiental: porque ele é estimulado pela ganância competitiva de quem produz e pelo “conforto” ou pela “vaidade” de quem usufruir.
    Quando se leva em conta, isoladamente, essa relação: renda/família, a primeira coisa que vem à mente é a forma irresponsável como as parcelas pobres e miseráveis se proliferam de tantos filhos, pululam mais que coelhos. E depois querem transferir a conta para quem nada tem a ver com a desgraça construída por eles mesmos.

  2. A cada mes, sob a rubrica ENGARGOS SOCIAIS, o governo TUNGA o equivalente ao que o trabalhador recebe.

    Somente o salário (total ) entregue ao trabalhador (seu dono) pode assegurar o emprego, o crescimento do consumo e a aposentadoria.

  3. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO vai a raiz do problema: Somente o Salário atualizado e operando num forte contexto de Demanda por Trabalhadores, pode sustentadamente assegurar o crescimento do Consumo.

    Pode-se e deve-se também turbinar o Consumo criando-se um clima Otimista com redução constante e acelerada do Desemprego, baixa da Inflação, expansão do Crédito e aumento de Investimento Público.

    Geralmente em ano de Eleições, a Massa Salarial ( Nº de Assalariados/Aposentados X Salário Médio) cresce mais do que a Inflação e o US$ Dollar. Em ano não Eleitoral, geralmente acontece o contrário. Então, 2018 não será diferente, e se o Candidato Sr. HENRIQUE MEIRELLES (72) PSD em cima disso, prometer para 2019 um SALARIAÇO, será também um forte Candidato.

  4. Estas medidas tem efeito momentâneo, o pais paga mal e arrecada muito, os impostos são um absurdo, mais a corrupção, não tem país que aguente, eles só sabem procurar benesses para eles, mas para o povo os serviços são uma porcaria, apesar de funcionários procurarem melhorar a já precária saúde do Brasil, gastam-se bilhões de reais e o povo continua doente, é preciso prevenção, o país não tem política habitacional, é muita favela, a segurança não dá mais conta da bandidagem, preferem construir presídios do que escolas, os filhos de quem está no poder, estudam em escolas particulares de excelência, mas tudo pago pelo povo que não tem a mesma educação, este é um país super desigual, não cuidam dos filhos do país, mas sim de seus filhos.

  5. Vejo em frente a um edifício em acabamento aqui em Piedade, Jaboatão dos Guararapes, uma carreta com um container da Hamburg Sud, com materiais para serem implementados na obra.
    Pelo chão, resto de caixas, com made in China; até a construção civil não usa mais bicas, e etc. fabricado no Brasil, vem tudo de fora, resta a nós, mandarmos para os países produtores, nossas matérias prima, e, como queremos ter empregos.
    Nós estamos “TOTALMENTE” dominados, vejam a tripulação do navio que transportou o container, vejam a bandeira do navio.
    Na entrega de mais alguns sites petrolíferos nas bacias de Campos e Santos, duramente prospectada pelos guerreiros nacionais da Petrobrás, um dos canalhas, falou que com isto abririam-se muitos postos de trabalho.
    A P-67, está sendo feita na China e muitas outras em outros países, e não me venham com a ladainha de que somos caros e não respeitamos prazos.
    Se formos trabalhar como eles, tenham a certeza de que manteremos prazos e $, perguntemo-nos porque não conseguimos e não mandar fazer em outro país; esta é a conversa dos incautos, ignorantes, mal intencionados e vendilhões da pátria.
    Se conseguimos pagar juros de 5% ao ano em cima de 3500000000000,00(três e meio trilhões de Reais), não podemos implementar a indústria que queremos?!!!
    Estamos totalmente dominados; bancada ruralista (quanto da bancada representa o capital externo), bancada industrial (quanto da bancada representa os interesses externo)????!!!!
    Até a minha esperança se desvaneceu com a omissão das Força Armadas estamos totalmente dominados, mas, vejam bem: Até um Coronel comandante de um batalhão importante na cidade do Rio de Janeiro, foi atingido pela consequência destes descalabros.
    Tenho irmãos, sobrinhos/as, filhos, netos/as e muitos e muitos amigos aí no Rio de Janeiro e rezo e rezo muito por todos eles.
    Dei exemplo do RJ, mas, SP, POA, etc, não devem nada em violência ao RJ.
    Que Deus nos proteja e abra a sensibilidade dos omissos.

  6. Comentários bem feitos e muito realistas com a situação dos que recebem o salário mínimo, então eis a minha colaboração:

    Decididamente não seria pelo valor do salário que se mediria a dignidade do ser humano, mas é pelo que ele ganha que se pode aferir como o seu trabalho é reconhecido, então os valores devem ser também dignos!

    Os proventos dos parlamentares estão muito acima da dignidade que possuem, pois corruptos, desonestos, incompetentes, vagabundos, estelionatários, mas as quantias recebidas seriam dignas se repassadas aos trabalhadores que desenvolvem esta nação, e que se encontram demasiadamente inferiorizados neste particular, configurando essa diferença como a maior injustiça que o Estado comete contra o povo!

    O reajuste do salário mínimo para 2018 é ultrajante, ofensivo, que eu o qualifico como deboche do governo para o brasileiro.

    Com esta quantia, evidente que a demanda fica reprimida ao extremo.
    Quem recebe o salário mínimo – a maioria da população ativa e aposentada – precisa explicar como consegue viver!
    De que forma pode organizar a sua vida para poder pagar aluguel, transporte, alimentos, remédios, roupas, sapatos, laser … não tem como.
    Com muito esforço compra apenas comida, e se alimenta de carne uma vez por mês e olha lá!

    Pior ainda são os cálculos de quem recebe o salário e tem mulher e filhos para sustentar, então a mágica é surpreendente.
    No entanto, se não tem a tal varinha de condão, o resultado é a miséria, a pobreza, a vida indigna, e na razão inversamente proporcional à existência opulenta dos parlamentares, ladrões, riquíssimos, e impunes!!!

    Se existe um problema e gravíssimo para ser corrigido neste país, indiscutivelmente as diferenças salariais precisam ser revistas e com urgência.

    Os vencimentos dos magistrados, por exemplo, com relação aos professores são tão absurdos que os mestres tendem a desaparecer com o tempo, pela falta absoluta de ganhos dignos, que valorizem a profissão, e que ainda são pagos EM PARCELAS E COM ATRASO em vários Estados do Brasil!!!

    Agora, pagarmos salários milionários para o legislativo, que nos devolve danos e prejuízos, roubos e explorações, que permanece impune pelos crimes que comete, e o governo acena com R$ 30,00 reais de reajuste para o cidadão HONESTO E TRABALHADOR, exatamente o oposto do parlamentar, que este congresso NÃO OUSE aumentar os seus ganhos ano que vem, pois está pedindo, implorando, clamando, para ser efetivamente trucidado pelo povo, arrasado, abatido de todas as formas possíveis!

    E que o poder Judiciário tenha um mínimo de consciência com relação ao momento que o país se encontra, de extrema dificuldade, a menos que saiba que os problemas econômicos e financeiros são manipulados, que pode aumentar os ganhos dos juízes conforme reivindicações, apesar de estar agindo com o mesmo desprezo pelo cidadão como tem feito o governo.

    O salário é o nosso problema maior, a Caixa de Pandora, que o dia que for aberta pelos escassos ganhos da população, salve-se quem puder!

  7. Renato,

    Importante o que disseste, mas muito antes dessas poupança e investimento vem o consumo, a geladeira cheia, os armários com arroz e feijão, farinha e açúcar …

    Depois a poupança, uns trocados guardados para imprevistos e, mais tarde, os tais empreendimentos ou investimentos.

    Acho que a escalada financeira e econômica deve ser assim, a meu ver, claro.

    Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *