Sonho do golpe militar acabou e agora Bolsonaro tem de enfrentar a realidade

Charge compartilhada por Rogéria, ex-mulher de Bolsonaro

Carlos Newton

Para suavizar e anestesiar, o golpe militar estava sendo apelidado de “ruptura institucional” ou “intervenção constitucional”. Porém, mudar a denominação significa apenas dourar a pílula, como se dizia antigamente, não muda nada nem resolve os gravíssimos problemas do país. Mas o importante é que o sonho do golpe militar acabou, simplesmente porque as Forças Armadas não o aceitam e defendem uma saída democrática para a crise política.

Bolsonaro e seus fanáticos adoradores precisam entender que o Brasil não precisa de golpe militar, nossa necessidade básica hoje é de um governo sério e capaz, que possa nos conduzir em meio à maior crise socioeconômica da História recente, pior do que a Grande Depressão de 1929.   

MOMENTO DE TRÉGUA –  No caso das loucuras de Bolsonaro, estamos tendo hoje apenas um momento de trégua, causado pela severa intervenção da ala militar do Planalto, que ganhou maior peso desde o desembarque do general Braga Netto na Casa Civil. Nitidamente, ele está lutando para fazer o governo sair do imobilismo, inclusive atropelando o outrora todo-poderoso ministro da Economia, Paulo Guedes, que hoje é apenas um fracasso ambulante.

O problema é que Bolsonaro não governa e ainda atrapalha. A reunião ministerial do dia 22 de abril, por exemplo, tinha como finalidade o lançamento do plano anticrise arquitetado por Braga Netto, mas o vídeo gravado mostra apenas um presidente descontrolado, a provocar então o ministro Sérgio Moro, para exigir interferência na Polícia Federal para defender a família e os amigos, em suas próprias palavras.

O importantíssimo plano anticrise foi pouco falado. mas teve destaque o pronunciamento a respeito que fez o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que deve ser considerado o melhor ministro da atualidade.

NÃO TEM CONDIÇÕES – Está mais do que claro que Bolsonaro não tem condições de governar. Por isso, desta vez a ala militar agiu com o rigor que se esperava desde a posse. Enquadrou Bolsonaro, os filhos e o guru Olavo de Carvalho, que agora deve se acalmar com o socorro financeiro da “rachadinha” com seu aluno Abraham Weintraub, segundo rola na central de boatos de Brasília.

Foi louvável e absolutamente necessária essa intervenção da ala militar, que significa a última chance para Bolsonaro passar a agir como presidente, abandonando o demagógico papel de eterno candidato, estilo outrora adotado por Jânio Quadros, e todo mundo sabe que não funcionou.

###
P. S. –
Resta saber quanto tempo Bolsonaro aguentará, antes de explodir. Ele e os filhos não foram calados e contidos por livre e espontânea vontade. Aqui na trincheira democrático da TI, calculamos essa trégua em 15 dias, dos quais já se passaram cinco. Vamos aguardar. Posso estar errado, é claro, com Bolsonaro transformado num novo Itamar Franco, mas receio que isso não possa acontecer. E la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)     

9 thoughts on “Sonho do golpe militar acabou e agora Bolsonaro tem de enfrentar a realidade

  1. “Alcolumbre avisa Supremo sobre ‘manobra’ do governo Bolsonaro para vender ativos da Petrobrás.

    Presidente do Congresso afirma que Executivo estaria criando subsidiárias para burlar decisão da Corte que proíbe a alienação de empresas-mães sem aval do Legislativo” (Estadão)

    Paulo Guedes também está calado, tramando contra o país.

    • Carlos Newton, se o sonho do golpe militar acabou, então vamos deixar os sonhos e encarar a realidade. Como você enxerga a realidade dos capas-preta ali da charge? A começar pelo ilustre presidente deles, a quem, segundo veiculado na mídia, a odebretch chamava, na lista, de “o amigo do amigo do meu pai”? Como seria a sua real visão a respeito dos presidentes da Câmara e do Senado? Você também enxerga a maioria dos congressistas vivendo uma crise de abstinência, como o Roberto Jeferson descreveu? Lembra que o Sergio Cabral confessou que era viciado em dinheiro? Dessa sua “trincheira democrática” chamada TI, como enxerga o atual estado dos outros 2 poderes? Há futuro para a nossa “democracia”? Que Deus nos abençoe e nos dê mais alguns anos, ou melhor, mais algumas décadas de liberdade! Adeus

  2. História sem rumo. Como é que Bolsonaro, eleito pelo voto e agora querido até pelos sertanejos, vai querer ser ditador? Só se fosse idiota ou forçado a isso. Graças a Deus não conseguiram forçá-lo. E nem conseguiram abalar, minimamente, o sossegado Mourão.

  3. Muito bem, caro CN … o Dr. está analisando como se estivéssemos em 46 ou 64 … quando não havia quem defendesse a Democracia.

    Em 88 … os históricos do MDB promulgaram a diferenciação … coisa que não acontece em nenhum outro país, até hoje – pelo que pesquisei (sic).

    O Legislativo dispõe sobre todos os assuntos da União;
    O Executivo, procurando executar seu Programa de Governo, aprovado pelas urnas, busca no Legislativo o dispor necessário;
    O Ministro da Justiça auxilia o Presidente a cumprir o que foi disposto pelo Congresso.
    O Advogado-Geral da União dá Consultoria e Assessoria a todo Executivo … visto que o Presidente tem o Ministro da Justiça, né???

    A Defensoria Pública atende aos necessitados.

    O MP fica de olho em todo mundo … incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis … ou seja, verifica se o Programa de Governo, se seu dispor pelo Congresso, se sua execução … estão dentro da Lei, da Democracia e respeita os interesses sociais e individuais indisponíveis.

    Temos também Estado de Defesa e de Sítio na Defesa do Estado e das Instituições Democráticas … sendo que nossas FFAA fazem parte deste Título V.

    Sds.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *