“Sou contra a Morte e nunca hei de morrer”, diz Suassuna, em seu poema mais desesperador

Ariano SuassunaPaulo Peres
Poemas & Canções

O dramaturgo, romancista e poeta paraibano Ariano Vilar Suassuna (1927-2014), no soneto “Abertura Sob Pele de Ovelha”, explica as razões que o levavam a nunca envelhecer.

ABERTURA SOB PELE DE OVELHA
Ariano Suassuna

Falso Profeta, insone, Extraviado,
Vivo, Cego, a sondar o Indecifrável:
e, jaguar da Sibila – inevitável,
meu Sangue traça a rota desse Fado.

Eu, forçado a ascender, eu, Mutilado,
busco a Estrela que chama, inapelável.
E a pulsação do Ser, fera indomável,
arde ao Sol do meu Pasto – incendiado.

Por sobre a Dor, Sarça do Espinheiro
que acende o estranho Sol, sangue do ser,
transforma o sangue em Candelabro e Veiro.

Por isso, não vou nunca envelhecer:
com meu Cantar, supero o Desespero,
sou contra a Morte e nunca hei de morrer

4 thoughts on ““Sou contra a Morte e nunca hei de morrer”, diz Suassuna, em seu poema mais desesperador

  1. 1) Grande escritor, e também poeta.

    2) Utilizando uma palavra que o saudoso Chicão Bendl gostava de referir-se à TI…

    3) Suassuna, incomparável (eis o termo do meu amigo Francisco) ser humano.

    4) Por falar em Francisco, hoje é Dia De São Francisco de Assis, incomparável ser humano que fundou uma Ordem Espiritual. A famosa Prece de São Francisco é uma poesia que os tempos adotaram.

    5) Hoje também é Dia da Ecologia, Santo Chico de Assis sempre dizia “Os animais, nossos irmãos”, “a fauna e a flora, nossos irmãos”.

  2. Prezado colega Paulo Peres (serventuário de justiça aposentado considero-me, honradamente, seu colega), leitor diário de sua coluna, há tempos sugeri que indicasse em que obra do autor está inserida a publicação: título do livro, data, editora etc. Como sei que o colega domina o assunto, certamente não lhe trará dificuldade alguma e facilitará a seus leitores as referências básicas sobre a obra. Parabéns pelas publicações. Abraço.

    • Prezado Lafaiete De Marco, obrigado por gostar da minha coluna aqui na Tribuna da Internet e pela sua sugestão, a qual tentarei escrever futuramente.Todavia, saiba que tenho uma lista em ordem alfabética de inúmeros poetas e letristas da MPB.
      Abraço, Paulo Peres

  3. Obrigado pela atenção. Vez por outra leio aqui sábias e belas palavras de Abgar Renault, com quem tive orgulho e honra de conviver desde minha infância. Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *