STF decide se torna Aécio Neves réu por corrupção e obstrução de Justiça

Resultado de imagem para aecio neves charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Renan Ramalho
G1, Brasília

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir nesta terça-feira (17) se recebe denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o torna réu por corrupção e obstrução de Justiça. A decisão caberá aos cinco ministros que compõem a Primeira Turma da Corte: Marco Aurélio Mello (relator do caso), Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Alexandre de Moraes e Rosa Weber.

A sessão está marcada para as 14h, mas não será transmitida ao vivo pela TV Justiça – as sessões de turmas só podem ser acompanhadas de dentro do STF.

Se a maioria aceitar a denúncia, Aécio passa a responder ao processo penal na condição de réu e poderá contestar a acusação com novas provas. Só ao final da ação poderá ser considerado culpado ou inocente, num julgamento a ser realizado pelo mesmo colegiado.

PROPINA – Aécio foi acusado em junho do ano passado, em denúncia da Procuradoria Geral da República, de pedir propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, em troca de favores políticos; e também de tentar atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato.

A defesa diz que o senador foi “vítima de uma situação forjada, arquitetada por criminosos confessos” e que “inexiste crime ou ilegalidade na conduta do senador”. Na conversa gravada com Joesley, Aécio diz que usaria o dinheiro para pagar advogados.

Junto com o parlamentar, são acusados pela PGR a irmã dele, Andréa Neves da Cunha, o primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrela (MDB-MG), todos por corrupção. A primeira teria pedido o dinheiro a Joesley e os outros dois teriam recebido e guardado quatro parcelas de R$ 500 mil em espécie.

OBSTRUÇÃO – Segundo a PGR, o senador também tentou embaraçar as investigações ao tentar aprovar nova lei contra abuso de autoridade com o suposto objetivo de punir juízes e procuradores; aprovar anistia a crimes de caixa 2 – doações não declaradas de campanha; e tentar interferir na escolha de delegados para conduzir investigações da Lava Jato.

Em entrevista a jornalistas nesta segunda (16), Aécio se disse vítima de um “enredo armado” pelos delatores da JBS. O parlamentar disse ainda que não houve uma investigação dos fatos e que, se as acusações tivessem sido apuradas, as denúncias se desmontariam como um “castelo de cartas”.

“Um enredo pré-determinado por um cidadão que recebeu benefícios. […] Foi uma construção feita pela defesa do senhor Joesley Batista, com membros do Ministério Público”, acrescentou o tucano, cuja defesa pediu acesso às provas já produzidas nas investigações.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A gravação mostra um trêfego, boquirroto e desbocado parlamentar a pedir dinheiro a um grande empresário. Aécio Neves pode dar a explicação que bem entender, mas é isto que aparece na gravação. E foi ele quem ligou para o empresário. Além disso, Aécio é um homem muito rico, não precisa pedir dinheiro a ninguém. (C.N.)

21 thoughts on “STF decide se torna Aécio Neves réu por corrupção e obstrução de Justiça

  1. Porquê este protecionismo da justiça para Aécio Neves, foi pego em gravação pedindo R$ 2 milhões a JBF, que justiça é esta que juga a uns e ignora a outros, ele também já deveria ter sido julgado e condenado, assim como o sr. Michel Temer.

  2. Natural de Belo Horizonte, Aécio é graduado em economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

    Aécio estudou.

  3. Temer nasceu e foi criado no interior paulista. Em 1963, graduou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), onde atuou ativamente na política estudantil. Ao longo da década de 1960, trabalhou como advogado trabalhista, como oficial de gabinete de José Carlos de Ataliba Nogueira e num escritório de advocacia. Também lecionou na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e na Faculdade de Direito de Itu (FADITU). Em 1974, concluiu um doutorado em direito público na PUC-SP.

    Temer estudou.

  4. Etelvina, conhecida como Teté, era minha colega de trabalho na Previdéncia Social. Foi empregada doméstica de Juscelino, de Prefeito de BH a Presidente. Gostava muito de papear com ela.

    Certa vez li uma resposta de Bias, o filósofo, quando lhe perguntaram qual o mais perigoso animal: dos bravos o tirano, dos mansos o bajulador. Então perguntei à Teté, qual o maior bajulador do Presidente JK. Resposta sem pestajenar: Tancredo Neves

    Aócio teve a quem puxar

  5. Falsa essa questão do que é melhor, estudar ou não. O mais elementar bom senso faz crer que estudar é importante. Ruim com o estudo, muito pior sem ele. Ou vamos negar acesso a escola às crianças brasileiras porque temos doutores corruptos? Vamos orientar os pais a tirarem seus filhos da escola porque estudar não vale nada? Seria um absurdo completo, obviamente, já basta o atraso em que nos encontramos hoje.

  6. A revisão da lei sobre abuso autoridade foi proposta por uma comissão presidida pelo Gilmar Mendes e entregue para a Câmara em 2013, pois a atual foi feita na época da Ditadura, bem antes da Lava Jato. Foi aprovada na Câmara e agora a PGR diz que o Aécio agiu sozinho para aprovar a lei????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *