Supremo vai decidir se Dirceu volta para prisão domiciliar

Advogado diz que a nova prisão de Dirceu é desnecessária

Deu no Correio Braziliense

A defesa do ex-ministro José Dirceu entrou com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que ele volte a cumprir prisão domiciliar em Brasília. Condenado a 7 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa no esquema do mensalão, Dirceu foi preso novamente no início do mês na 17ª fase da Operação Lava Jato e levado a Curitiba.

Os advogados do ex-ministro questionam a decisão do ministro do STF Luís Roberto Barroso que autorizou a transferência de Dirceu de Brasília, onde cumpria a pena do mensalão em prisão domiciliar, para o Paraná.

Na ocasião, Barroso entendeu “que a concentração dos atos de apuração criminal no foro do Juízo que supervisiona o inquérito é perfeitamente justificável, na medida em que é lá que se encontram em curso as investigações envolvendo as condutas imputadas ao sentenciado”.

O questionamento da defesa contra a decisão do ministro deve ser levado ao Plenário do STF. Antes disso, no entanto, a Procuradoria-Geral da República (PGR) deve se manifestar sobre o pedido em parecer.

PRESO DUAS VEZES

Roberto Podval, advogado do Dirceu, afirmou que não há precedente de alguém já preso por determinação do STF que tenha sido preso novamente. Ele alega que o retorno a Brasília é justificável diante da “falta de necessidade” da transferência de Dirceu para outra prisão.

Em Curitiba, o ex-ministro divide uma cela com dois contrabandistas, na Custódia da Superintendência da Polícia Federal na cidade, base da Operação Lava Jato. Ele é investigado por corrupção e lavagem de dinheiro por meio de sua empresa, a JD Assessoria e Consultoria, já desativada. (Ag. Estado)

4 thoughts on “Supremo vai decidir se Dirceu volta para prisão domiciliar

  1. Circulando na rede:

    Outro trem da alegria
    É como se fosse um outro tipo de trem da alegria: até o final de setembro, Dilma Rousseff e Michel Temer combinaram acertar com todos os aliados a instalação em cargos-chave da administração federal direta, autarquias, fundações e empresas de seus indicados.

    Será uma festa de nomeações para o segundo escalão e quem vem se dedicando a esse novo mapa de loteamento é o ministro Eliseu Padilha (Aviação), um dos fundadores do PMDB.

    O objetivo é conseguir assegurar mais de 200 deputados para a base aliada, de olho no impeachment.

    Festa de nomeações
    Para quem não tem idéia: de 1º de janeiro de 2003 até o primeiro trimestre deste ano, os governos petistas contrataram 130 mil pessoas, uma média de 40 novos servidores a cada dia útil.

    São dados do Ministério do Planejamento.

    Mais: entre Lula e Dilma, a folha de pagamento cresceu na proporção de cinco contratações por hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *