Surge mais uma tentativa para enfraquecer e inviabilizar a Zona Franca de Manaus

Resultado de imagem para zona franca de manaus

A Zona Franca é um polo de indústrias limpas e sem chaminés

Vicente Limongi Netto

O Amazonas reage, integralmente, repudiando ações nefastas de pregoeiros do caos do governo federal, empenhados em solapar a zona franca de Manaus. Desta feita, o alvo sorrateiro é o polo de concentrados de refrigerantes. A ordem é liquidar com o segmento. Nessa linha, Bolsonaro garantiu que a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados( IPI) será de 8% . Em 3 anos, frisou, deve retornar a 4%.

A medida paliativa não agradou políticos do Amazonas nem dirigentes empresariais. De acordo com o vice-presidente da Federação das Indústrias, Nelson Azevedo, o anúncio presidencial coloca a zona franca no “corredor da morte”.

MORTE LENTA – No entender de Azevedo, na prática é uma forma “de acabar, lentamente, com o modelo zona franca”. O polo de concentrados não cria somente empregos, diretos e indiretos no polo industrial de Manaus. Mas, também, no interior do Amazonas. Segundo Azevedo, o setor ajuda a desenvolver a cultura do plantio do guaraná, da cana de açúcar, entre outros insumos necessários para a produção de refrigerantes.

Nesse sentido, o presidente do Centro da Indústria do Amazonas, Wilson Périco, lembra a importância da arrecadação.

RENÚNCIA FISCAL – Wilson Périco salienta que a Constituição autoriza renúncia fiscal para aplicações  no crescimento do Amazonas.

“O Amazonas comparece no bolo da arrecadação fiscal do Norte com 50% de todos os impostos federais”, diz o líder empresarial, ironizando: “As empresas do polo de Manaus podem ilustrar seus acertos e denunciar que o poder público  confisca para outros fins a riqueza gerada e que deveria ser aplicada no Amazonas”.

Realmente, é uma verdade que precisa ser conhecida.

16 thoughts on “Surge mais uma tentativa para enfraquecer e inviabilizar a Zona Franca de Manaus

  1. Que tal oportuna Zona Franca também em São Francisco do Sul, ou Itajaí, ou Navegantes-SC, ou mesmo em Paranaguá-PR?
    PS. Porque, essa tão longa dirigida exclusividade?

  2. A Zona Franca de Manaus é uma imensa aberração, todo o sistema tributário do resto do país tem que ser ruim pra justificar a existência dessa monstruosidade. Em outros países Zona francas são direcionadas a exportação e por isso tem isenção tributária. O Brasil é um único pais que tem uma ZF virara pra dentro! E que só sobrevive se o resto da economia do país ficar submetida ao caos tributário.

    Pior que não se produz nada de interesse técnologico, não há nenhum desenvolvimento, sendo as industrias da ZN meras apertadoras de parafusos. Os produtos são enviados para lá para serem apenas montados e embalados e depois voltam para os lugares onde foram desenvolvidos.

    E toda fez que se fala em uma reforma tributária ou redução de impostos gerais, vem o povo defensor dessa porcaria reclamar que isso “vai destruir a ZF”. Oras que se acabe então! Se o custo de manter essa estrovenga for manter o resto do país na “bagunça tributária” então é preciso acabar o mais rápido possivel com esse imenso parasita.

  3. Olha a piada, as indústrias da ZF são limpas e sem chaminés por que não criam nada, simplesmente montam o que vem de fora em CKDs. Para apertar parafuso e embalar não precisa realmente de chaminés.

  4. Mais um GOLAÇO de Bolsonaro!

    Presidente Bolsonaro determina criação do Conselho da Amazônia
    Objetivo do conselho será atuar em prol da preservação e desenvolvimento da região
    Diario do Poder

    O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta terça-feira (21) a criação do Conselho da Amazônia, que será coordenado pelo vice-presidente, Hamilton Mourão. Também será criada a Força Nacional Ambiental que atuará em prol da defesa da Amazônia.

    Por meio de seu perfil no Twitter, Bolsonaro fez o anúncio da criação e explicou que será utilizada a própria estrutura da vice-presidência. Segundo o presidente, objetivo da criação do conselho é coordenar as diversas ações em cada ministério voltadas para a proteção, defesa e desenvolvimento sustentável da Amazônia.”Dentre outras medidas determinadas está também a criação de uma Força Nacional Ambiental, à semelhança da Força Nacional de Segurança Pública, voltada à proteção do meio ambiente da Amazônia”.

    O anúncio ocorre após cinco meses, quando houve o ápice das queimadas na Amazônia, algo que ocorre todos os anos, mas que em 2019 tomou uma grande proporção internacional e negativa para a imagem do Brasil.

    • -Acho incrível como a esquerda brasileira gosta de uma escora! Onde entra, em qualquer área de atuação, procura logo uma escora.
      -Parece até pé de tomate!

  5. Duarte, declarações e argumentos valiosos e oportunos, podem e devem ser considerados e recordados. O ponto central, novo ataque a zfm é atual, Não tem nada a ver com seminário da FSP, que à época contou com figuras do Amazonas. Qual o problema? Bebeu ou enlouqueceu?

  6. comentários toscos e recalcados de quem não conhece o modelo zona franca de Manaus.O que o governo federal pretende fazer, agora, com a zona franca, é ultrajante. Estudem o modelo. façam comentários sensatos, sem ranços de imbecilidades.

  7. É, no mínimo, curioso!
    -Você compra um televisor ou um celular e vê lá, escrito, “produzida na Zona Franca de Manaus”.
    -Agora fico sabendo que lá não existem chaminés; então como é que derreteram o plástico da carcaça, como fizeram os encapamentos e o cobre dos fios internos e como fabricaram a bateria e a tela de LCD, se não foi produzida nenhuma fumaça ou poluição?
    -Não sairia mais barato para o pobre brasileiros se o eletrônico fosse fabricado perto da fonte de matéria-prima e mais próximo dos consumidores finais?

  8. A intenção de ser criada a Zona Franca de Manaus era a oferta de empregos em uma região tradicionalmente carente neste aspecto.

    Dados de 2019, portanto recentes, afirmam que 500.000 pessoas trabalham na Zona Franca, indicando que o empreendimento atendeu plenamente os objetivos traçados.

    Em 2018, o faturamento atingiu a cifra de 85 bilhões de reais ou quase 20 bilhões de dólares!
    Comparando o movimento da Zona Franca com o produto nacional que mais exportamos, a soja, em 2019 este alimento nos trouxe 33 bilhões de dólares!

    Enfraquecer o parque de Manaus será uma medida injusta e inexplicavelmente contrária à necessidade que temos de vagas para os desempregados.
    Se, nos grandes centros urbanos, o desemprego atinge percentuais alarmantes, o que dirá no Norte do Brasil!!

    Detalhe:
    A população de Manaus é de 1,8 milhão de pessoas.
    A Zona Franca absorve 500.000 pessoas, logo, 1/3 do povo manauara.
    A ideia de enfraquecê-la aumentará mais ainda a pobreza e a miséria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *