Também no futebol, o problema é outro

Tostão (O Tempo)

Houve novidades, mas nenhuma grande surpresa na convocação de Felipão. Com exceção de Neymar e Thiago Silva (contundido), há vários bons jogadores, no mesmo nível, em todas as outras posições. Cada técnico tem sua preferência. Entre Kaká e Ronaldinho, Felipão escolheu Ronaldinho.

A seleção tem agora um típico centroavante (Fred ou Luís Fabiano). Felipão vai escalar apenas Paulinho e Ramires no meio-campo ou vai colocar mais um na marcação (Hernanes ou Arouca)? Neste caso, não haveria lugar para Oscar, Lucas e Hulk. O ataque teria Ronaldinho na ligação, mais Neymar e um centroavante. Felipão admitiu ainda que poderá usar, como opção, David Luiz de volante.

FALSO POSITIVO

Aprendi, na medicina, com alguns mestres, que se um exame para definir um diagnóstico tem 50% de falso positivo (50% das pessoas com exame positivo não terão a doença) ou 50% de falso negativo (50% com exame negativo terão a doença), esse exame não serve para nada.

Lembrei disso porque Arnaldo Tirone, então presidente do Palmeiras, disse, na semana passada que Riquelme tinha 50% de chances de jogar no clube. É o mesmo que dizer que há 50% de chances de chover.

Seedorf, acostumado a jogar para grandes plateias, não consegue entender, mesmo muito bem informado sobre o futebol brasileiro, o número tão pequeno de pessoas no estádio. Ele também não compreende porque o mesmo clássico tem mais rivalidade no Estadual que no Brasileirão, se a segunda competição é mais importante.

LIBERTADORES

São Paulo e Grêmio começam hoje a Libertadores. Ney Franco barrou Ganso, com razão. Jadson é hoje melhor e não tem estilo para atuar pela direita, no lugar de Lucas. Entra Aloísio. Nenhum grande time do mundo joga com dois meias, como Ganso e Jadson.

Ao contrário do que diz a maioria, os grandes armadores, do passado e do presente, atuavam em uma posição distinta da de Ganso, como Didi, Gerson, Xavi, Iniesta e outros.

SELEÇÃO SUB-20

A não classificação da seleção sub-20 para o Mundial fará bem a esses jogadores, para aprenderem a ter autocrítica. Entre dez participantes sul-americanos, o Brasil ficou em nono lugar, só à frente da Bolívia. Pior, esta é a base da seleção olímpica sub-23 para 2016.

Emerson Ávila disse que faltou comprometimento aos jogadores. Essa é uma antiga desculpa, que serve para diminuir a responsabilidade do técnico e encobrir outros problemas, como o péssimo futebol coletivo mostrado pela seleção. A deficiência não é apenas de Emerson. É dos técnicos brasileiros. O time não trocava três passes.

O Brasil muitas vezes ganha, em todas as categorias – isso tem sido menos frequente -, porque possui alguns jogadores especiais, e porque se ganha e se perde de várias maneiras, até com chutões e correria desorganizada.

CALENDÁRIO

No passado, adorava quando chegavam as férias de fim de ano. Tinha 30 dias de folga. Fazia o que queria, sem sentimento de culpa. Ficávamos ainda uns 20 dias nos preparando para voltar às competições. É o que acontece hoje na Europa. É um direito de todo cidadão ter 30 dias de férias. Minas é o estado com o melhor calendário. Os times têm duas semanas a mais de treinamento antes da estreia no Estadual. Isso é importante para o Atlético na Libertadores.

Os Estaduais não podem acabar, mas precisam ser mais curtos, para não diminuir as férias e para sobrar mais datas para outras competições. Devem servir de preparação. Por isso, não faz nenhum sentido dispensar técnicos por maus resultados.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *