TCU atende ao governo e adia julgamento sobre gestão do general Pazuello na Saúde

Charge do Duke *domtotal.com)

Jéssica Sant’Ana
G1 — Brasília

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu nesta quarta-feira (26) adiar por 60 dias o julgamento de um processo sobre a gestão do general Eduardo Pazuello à frente do Ministério da Saúde.

O adiamento atendeu a um pedido da Advocacia Geral da União (AGU). Com isso, a AGU terá mais 30 dias para se manifestar no processo, e os ministros do tribunal, mais 30 dias para analisar o caso.

APLICAÇÃO DE MULTAS – A área técnica do tribunal pediu a aplicação de multas ao ex-ministro da Saúde e a seus principais assessores na pasta por descumprimento de recomendações sobre testagem e assistência farmacêutica a estados e municípios.

General da ativa do Exército, Pazuello comandou o Ministério da Saúde entre maio de 2020 e março de 2021. Ministro mais longevo da pasta durante a pandemia, Pazuello teve a gestão marcada por uma série de polêmicas, como sucessivos recordes no número de mortes por Covid e recomendação do uso de cloroquina, remédio cientificamente comprovado ineficaz contra a doença.

Diante desse cenário, Pazuello foi convocado e prestou depoimento por dois dias à CPI da Covid, no Senado. Nesta quarta, a comissão decidiu convocar novamente o ex-ministro. Integrantes da CPI, como o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), avaliam que Pazuello mentiu no primeiro depoimento.

JULGAMENTO NO TCU – Em abril, o relator do caso, ministro Benjamin Zymler, votou por abrir processos em separado para apurar aplicação de multa a Pazuello e a seus assessores à época. Os ministros Bruno Dantas e Vital do Rêgo, no entanto, votaram pela aplicação imediata da multa.

Diante da divergência, os ministros Jorge Oliveira e Augusto Nardes pediram vista do processo, isto é, mais tempo para analisar o caso.

Em maio, Zymler afirmou que o advogado-geral da União, André Mendonça, ligou para ele e pediu mais tempo para se manifestar no processo. Segundo o ministro do TCU, Mendonça disse que precisava de tempo porque o caso demanda o acionamento de vários órgãos do governo. O pedido da AGU, então, foi levado para discussão no plenário do TCU nesta quarta-feira. Por unanimidade, os ministros decidiram adiar o julgamento, por 60 dias.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Os ministros fizeram um favor enorme a Bolsonaro e Pazuello. Se o TCU tivesse condenado o general logístico a pagar multa, ficaria configurada sua culpa nos desmandos da Saúde, facilitando os trabalhos d CPI.  (C.N.)

7 thoughts on “TCU atende ao governo e adia julgamento sobre gestão do general Pazuello na Saúde

  1. Mais uma manchete elucidativa da mediocridade dos nossos representantes:

    “De o oantagonista: Girão usa morte de Nelson Sargento para questionar Coronavac.”

    Ora, um cientista explicou que a vacina não é o elemento que ataca o virus, mas um vetor que estimula o nosso sistema imunológico para combater o virus.
    Nas pessoas de idade bem avançada o sistema imunológico pode não responder ao estímulo da vacina eficientemente.
    Portanto, seu Girão, primeiro vá aprender para depois tentar ensinar. É um saco escutar medíocres.

    • O Girão chegou a ser cômico, de tão estúpido…
      Foi repelido com classe, conhecimento científico teórico, empírico e, principalmente, com uma educação simplesmente brilhante do excelente, Dr. Dimas Covas.
      O Pangaré devia dar um girão e desaparecer, como em um passe de mágica, tamanha a imbecilidade e despreparo que demonstrou como um representante do cansado e descrente povo deste País dos Papagaios…
      Sujeitinho insignificante !
      Credo !

  2. IVERMECTINA supera vacinas: mais de 83% de eficácia contra a Covid-19, revela a ciência
    Sociedade: IVERMECTINA supera vacinas: mais de 83% de eficácia contra a Covid-19, revela a ciência – Um estudo do Reino Unido revela que a ivermectina promove uma taxa de sobrevivência acima de 83 por cento contra o coronavírus Covid-19

    https://www.coletividade-evolutiva.com.br/2021/03/ivermectina-supera-vacina-mais-de-83por-cento-de-eficacia-conta-a-covid.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *