Temendo desgastes com servidores, Bolsonaro é aconselhado a recuar do reajuste a policiais

Guedes orienta Bolsonaro a vetar reajuste para policiais

Guedes foi contra o reajuste, mas Bolsonaro decidiu conceder

Andréia Sadi
G1 Brasília

Diante da pressão de outras categorias por reajuste salarial, além de ameaça de paralisações e greves , o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem sido aconselhado por integrantes do Ministério da Economia a recuar do reajuste salarial prometido a policiais no final de 2021.

Segundo o blog apurou, o ministro Paulo Guedes tem repetido a políticos bolsonaristas, que defendem o reajuste como gesto à categoria que é vista como base do presidente, que não é hora de dar reajuste salarial a ninguém.

JUDICIALIZAÇÃO – Inclusive, ministros do Supremo Tribunal Federal têm conversado com integrantes do governo e avaliado que o reajuste específico, se for adiante, certamente será judicializado e que, diante do avanço da ômicron e de incertezas na economia, “não faz sentido” discutir aumento salarial para servidor público em momento de crise.

O próprio centrão foi contra o reajuste apenas para policiais desde o começo da discussão — mas Bolsonaro pediu a Guedes que arrumasse espaço fiscal para conceder o aumento.

O Congresso acabou aprovando um valor de R$ 1,7 bilhão para essa finalidade, que ficou abaixo dos R$ 2,8 bilhões propostos pelo Ministério da Economia. De acordo com a pasta, o aumento salarial para a categoria ocorreu por uma “decisão do presidente da República”.

LÍDER DISCORDA – O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), declarou ao blog que desde o final de 2021 vem dizendo que, em sua avaliação, seria melhor não dar reajuste a ninguém pois a “confusão era esperada”, referindo-se à reação de outras categorias.

Mas ressalvou que a decisão política é do presidente e agora o governo discute uma solução para a questão.

“Não estou me opondo ao reajuste, eu sempre disse que achava melhor não dar reajuste a ninguém. Mas a decisão política foi tomada e agora o governo está discutindo qual a melhor solução”.

REAÇÃO NA PF – No fim de 2021, Bolsonaro mandou Guedes centralizar o reajuste na categoria de policiais para fortalecer sua base de apoio de olho em votos para 2022.

No entanto, diante da indefinição a respeito do reajuste, integrantes da Polícia Federal têm reagido nos bastidores e avisaram ao ministro da Justiça, Anderson Torres, que haverá desgastes para a imagem do presidente junto à corporação se o governo recuar de sua promessa.

Outras categorias exigem reajustes. Nesta semana, fracassou a reunião do ministro da Economia com o presidente do sindicato nacional dos auditores fiscais da Receita Federal, categoria que também pressiona. Não houve qualquer avanço e os auditores farão greve de advertência.

4 thoughts on “Temendo desgastes com servidores, Bolsonaro é aconselhado a recuar do reajuste a policiais

  1. Quem tem conta pirata em Bancos Piratas com milhões de dólares que sabe-se lá de onde conseguiu, não precisa se preocupar com a Poupança da Caixa, com rendimentos que beiram a zero.

    “O dólar está muito baixo, precisa aumentar um poquinho”…..

    Poupança tem pior rendimento em três décadas no último ano
    Dados mostram que investimento obteve retorno negativo de 6,37% após inflação atingir 10% em 2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.