Temer consegue levar ao ponto máximo a desmoralização da política brasileira

Resultado de imagem para temer charges

Charge do Alpino (Yahoo Notícias)

Carlos Newton

A definição atual é de que a política seria “a arte ou a ciência de governar, que trata da formação, direção e ordem das funções do Estado e do disciplinamento das suas relações internas com o grupo social e externas com os outros Estados”. A definição do filósofo grego Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.) é muito mais precisa. Ensinava o mestre de Alexandre Magno que “a política é a ciência que tem por objetivo a felicidade humana e divide-se em ética (que se preocupa com a felicidade individual do homem na Cidade-Estado, ou pólis), e na política propriamente dita (que se preocupa com a felicidade coletiva)”.

No Brasil, porém, os políticos desmoralizaram essa genial definição aristotélica. Mais de 2.300 anos depois, eles inventaram a política que trata exclusivamente de interesses pessoais ou de grupos, desprezando por completo os interesses coletivos.

JOGO SUJÍSSIMO – É inacreditável o que está acontecendo em Brasília. Dos 33 membros efetivos da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, 20 já foram substituídos pelas lideranças partidárias, com a finalidade específica de inocentar o presidente Michel Temer, sem levar em conta se existem ou não evidências ou provas contra ele.

Simultaneamente, devido à incessante pressão exercida pelo Planalto, três dos maiores partidos da base aliada tentam aprovar uma medida para obrigar os deputados a votarem contra a denúncia apresentada contra o presidente da República. Quem desrespeitar o chamado fechamento de questão poderá sofrer punições que chegam à expulsão do partido, como ocorreu no ano passado com parlamentares do PDT que votaram a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

RECURSO AO SUPREMO – Nesta terça-feira, a oposição apresentou ao Supremo um mandado de segurança visando a desfazer a substituição de deputados na CCJ. Vai perder seu tempo, porque o STF rejeitará o recurso, sob alegação de que o Legislativo é um Poder independente e não pode sofrer interferências externas, salvo em caso de ilegalidade.

A oposição tem apresentado sucessivos recursos ao Supremo para reverter decisões do Legislativo, sempre sem sucesso. Desta vez, o máximo que pode conseguir é o ministro-relator afirmar que se trata de uma indignidade, mas nada se pode fazer, porque o Regimento Interno da Câmara não impede que haja substituição de membros das comissões técnicas.

FECHAR QUESTÃO – PMDB, PP e PR marcaram reuniões para esta quarta-feira (dia 12), destinadas a definir o chamado fechamento de questão a favor de Temer, para determinar que todos os deputados das legendas têm de acompanhar a orientação do Planalto na votação.

Juntos, PMDB, PP e PR têm 148 deputados. Temer precisa de 172 votos no plenário para que a denúncia seja rejeitada, evitando a abertura de um processo criminal contra ele no Supremo Tribunal Federal. Como o presidente da Câmara pode se abster de votar, na verdade Temer só precisa de 171 votos, um número bastante sugestivo em relação ao curriculum vitae do presidente da República, que está se transformando numa folha corrida, como se diz na linguagem judicial.

###
PS
A política se insere no âmbito das ciências práticas, que buscam conhecimento como meio para a ação. No caso do Brasil, a teoria política foi para o espaço e só sobrou a prática, que se resume a atos tenebrosos. Portanto, continua prevalecendo o desabafo do genial arquiteto Oscar Niemeyer: “Projetar Brasília para os políticos que vocês colocaram lá, sem dúvida, foi como criar um lindo vaso de flores para vocês usarem como penico”. (C.N.)

5 thoughts on “Temer consegue levar ao ponto máximo a desmoralização da política brasileira

  1. A colocação está incorreta. Não é Temer que precisa de 171 votos e sim a oposição é que precisa de 342 votos. A oposição não terá esses 342 votos. Aliás, mesmo acreditando que Temer pode estar metido no meio da corrupção que o PT e o Lula escancararam no Brasil, qualquer principiante em Direito sabe que a tal prova (gravação feita pelo Joesley) é totalmente ilícita. E nós, os brasileiros do bem e do trabalho, apelidados de coxinhas pelos mortadelas-esquerdopatas-bandidos queríamos é arrancar os petralhas do poder. Agora, vem o Rodrigo Maia, com ataque de vaidade, fazer reuniões clandestinas e aventar a possibilidade de entregar 4 Ministérios ao grande carrasco do povo brasileiro, o PT. Ora, aí sim, é que vai ter guerra civil. Petralha no poder nunca mais. Lula na cadeia já.

  2. Quando Deus exigiu que em Sodoma existissem pelo menos uns três justos para não a destruísse,não encontrou.
    Na política brasileiro atual, quantos justos existem em condições de assumir a presidência da república? A quase totalidade deles é investigada na justiça.
    Os partidos que apoiam o Temer, tem é que fechar questão mesmo, isso sempre foi feito, porque com o Temer seria diferente?
    Quanto a substituição de deputados, é permitido, portanto é legal, o líder pode fazer a troca que desejar, porque então a gritaria e até recursos ao supremo, que esta negando todos?
    Sempre foi comum inclusive a dispensa de ministros parlamentares para reassumir o mandato e votar a favor do governo, isto nos governos petistas era normal e depois de dois dias reassumiam o cargo. Ninguém reclamava.
    Se não querem que estas coisas aconteçam, o caminho é simples, mudem a lei.
    Dizer que é legal, mas não é moral, é balela, a lei é a norma de conduta e o que não é proibido, é permitido.
    Portanto o que esta acontecendo com o Temer, é pura perseguição e jogo bancado pelo PT, que quer voltar ao poder de qualquer jeito.
    O Rodrigo Maia que veja bem o que vai fazer, após a derrubada do Temer, ´sera ele que entrará na alça de mira do petismo.
    Enquanto eles não voltarem ao poder, não haverá trégua para ninguém.

  3. Todos desmandos que vem sendo cometidos por criminosos no poder tem um fator positivo , mostrar o lixo que é a negaça que chamamos de constituição e das instituições incumbidas de aplica – la .

  4. O CÂNCER DO APARELHAMENTO PARTIDÁRIO DAS INSTITUIÇÕES, e a guerra tribal, primitiva, permanente e insana do partidarismo-eleitoral, do golpismo-ditatorial e dos seus tentáculos, velhaco$, por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, na cara dura, a moda tudo para elle$ e o resto que se dane, com tudo e todos sendo obrigados a girar em torno dos interesses delle$, já foi fonte demais, já ultrapassou e muitos os limites do humanamente suportável. Até a reforma delle$ não passa de blefe, de mais 171 para manter tudo como dantes no velho quartel de Abrantes, como soe acontecer há 127 anos.

  5. Recentemente, a T.I. publicou um artigo de Augusto Nunes, no qual ele afirmava:

    “A gestação do deserto começou com a mudança da capital para Brasília. Se o Congresso ainda funcionasse no Rio, por exemplo, bastaria que os renans, jucás, collors e eunícios dessem as caras na Avenida Rio Branco para sentir na pele o que o povo pensa do desempenho da turma.”

    Augusto Nunes tem total razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *