Temer desiste de nomear inimigo da Lava Jato para ministro da Justiça, novamente

Resultado de imagem para Antonio Mariz Oliveira

Amigo pessoal de Temer, o advogado Mariz foi descartado

Jorge Bastos Moreno

O presidente Temer desistiu de indicar o nome de Antônio Mariz Oliveira para o ministério da Justiça pelos mesmos motivos que o fizera no início do governo: sua total idiossincrasia com a Lava-Jato, o que hoje teria uma repercussão muito mais negativa do que antes. Como precisa fundamentalmente da Câmara para aprovar suas duras reformas, é provável que Temer escolha um deputado para o cargo.

Entre os cotados estão Osmar Serraglio e Rodrigo Pacheco, ambos da bancada do PMDB. Por ter disputado contra o líder Lúcio Vieira Lima, Srraglio não tem o apoio integral da bancada, ao contrário de Pacheco, ex-presidente da OAB de Minas, cujo nome está crescendo na bolsa de apostas.

10 thoughts on “Temer desiste de nomear inimigo da Lava Jato para ministro da Justiça, novamente

  1. Olha o nosso $$ ai…
    Vamos pegar de volta ?

    ” PUBLICADO EM 09.02.2017 – 16:15

    TCE aponta irregularidades em operações financeiras de R$ 18,3 bi do Rioprevidência

    Aporte de R$ 6,6 bilhões gerou dívida de R$ 18,3 bilhões para os combalidos cofres do Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Rioprevidência). O Tribunal de Contas do Estado (TCE) identificou que foram feitas vendas de ativos dos royalties do petróleo para Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e instituições internacionais. As operação começaram a partir de 2013 e foram colocadas sob suspeitas pelos auditores responsáveis por inspecionar os documentos.

    Para operar em Delaware, nos Estados Unidos, o Rioprevidência criou empresas. Os contratos foram feitos com cláusulas exorbitantes e comprometimento de até 60% dos royalties do petróleo até 2020.

    O órgão não identificou os critérios para a escolha da Planner Trustee Distribuidora de Títulos e Valores Imobliliários Ltda, investigada na Lava Jato, e da norte-americana National Wilmington Os responsáveis pela empresa norte-americana não foram identificados. Chama atenção ainda contrato assinado pelo governador Luiz Fernando Pezão em iglês, sem tradução juramentada em português, como determina a lei. Um único escritório de advocacia recebeu R$ 16 milhões, mas não tem documentos sobre a prestação do serviço ao fundo.

    O relatório do conselheiro José Graciosa coloca em xeque a solidez do fundo e futuros dos aposentados. Em sessão plenária, pela manhã, foi decidido a notificações do ex-governador Sérgio Cabral, que inicio o processo de descapitalização do fundo, e do atual governador Pezão, do ex-diretor presidente do Rioprevidência e atual secretário de Estado de Fazenda, Gustavo Barbosa, e do atual presidente do Fundo, Reges dos Santos. ”

    Link

    http://blogs.odia.ig.com.br/justicaecidadania/2017/02/09/tce-aponta-irregularidades-em-operacoes-financeiras-de-r-183-bilhoes-do-rioprevidencia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *