Temer diz ser “provável” que alguns ministros queiram sair do cargo

Resultado de imagem para temer e ministros charges

Charge da Myrria (Charge Online)

Elizabeth Lopes e Thaís Barcellos Estadão

O presidente Michel Temer afirmou que alguns ministros podem deixar voluntariamente o governo, tendo em vista as revelações das delações da Odebrecht, que colocaram oito ministros de seu governo como alvos de inquéritos autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin. “É muito provável que alguns ministros fiquem desconfortáveis e peçam para sair do cargo”, disse o presidente. A afirmação foi feita em entrevista concedida à Rádio Jovem Pan na manhã desta segunda-feira, 17.

Temer reforçou, no entanto, que só vai afastar temporariamente os ministros se houver denúncia formal do Ministério Público. Já o afastamento definitivo só acontecerá no caso de os citados se tornarem réus. “Não vou demitir simplesmente porque alguém falou, é preciso provas robustas. Se vier a denúncia, não significa culpabilidade completa, mas terá fortíssimas indicações de que essa delação é correta”, disse.

NO ANO QUE VEM – O presidente ainda disse acreditar que dificilmente as eventuais denúncias vão demorar para serem apresentadas. “A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) está entrando com representação hoje para acelerar as investigações. Por isso, não creio que as denúncias venham só no ano que vem. Acho que virão rápido. E o governo está interessado em que tudo seja feito da forma mais rápida possível”, afirmou.

Temer também admitiu que de fato as delações são estarrecedoras e preocupantes, principalmente porque transmitem uma imagem ruim do Brasil para o exterior. “Sob esse ponto de vista é péssimo.” Mas ele disse que o País precisa seguir em frente. “O Brasil não pode parar. Temos reformas pela frente. Então (as delações) são estarrecedoras, mas não podem ser fator de paralisia. Agora precisamos deixar o Judiciário trabalhar”, reforça.

SEM ACORDÃO – Sobre um possível acordão para paralisar com a Operação Lava Jato entre ele e os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso, Temer negou mais uma vez sua participação em qualquer pacto desse tipo.

“Não tem conversa na direção de um possível acordão, FHC já negou. Fazer acordão para problema que está no Judiciário é inviável. Não participo e nem promovo”, disse.

### NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGTemer pode negar à vontade, porque o acordão não deu certo, fez água e soçobrou. Traduzindo: todos terão de se explicar – Lula, FHC e Temer, mas não necessariamente nesta ordem, é claro. (C.N.)

7 thoughts on “Temer diz ser “provável” que alguns ministros queiram sair do cargo

  1. CN,

    Isto nao e’ fala de um presidente da republica q tenha caracter.

    E’ papo de butequim!

    Esta figura nao nivel nem p fofoqueira tipo a antiga Candinha.

    Comente, por favor!

    Abracos,

    Cleber

  2. O presidente afirma que talvez haja ministros que queiram sair, vejam só. Ele, o presidente, se tivesse um pouco de testosterona nas veias já teria parado de esgrimir com os dedos e feito alguma coisa condizente com a sua responsabilidade.
    Vou dizer sinceramente: a princípio eu pensei que o Temer seria um bom presidente tampão, mas me enganei: ele é um alguma coisa que rima com ão.

  3. Ora senhor Newton, deixemos de ser tão educados.

    Esse panaca, Temer, não é um fraco, é um tremendo banana, desprovido de coragem e respaldo para agir como um homem.

  4. Sei não…

    Parece que ele está no aguardo de que seus ministros tenham a coragem que ele não teve até agora… inclusive, também ´é muito ruim ao buscar argumentos e alternativas para o convencimento do distinto público.
    O negócio dele é se segurar no trono….

  5. Os parlamentares envolvidos na lista de Fachin, e muitos de seus colegas abandonaram o Congresso!

    Desde o surgimento das denúncias citando dezenas de deputados e senadores, o plenário está às moscas, e projetos importantes não estão sendo discutidos e aprovados.

    Ora, não há a necessidade mais de provas contra os acusados, eles confirmaram que são criminosos pelo fato de deixarem seus serviços sem a devida licença e PERCEBENDO SEUS PROVENTOS NORMALMENTE!

    No mínimo estão roubando de seus patrões um dinheiro que deveriam receber “trabalhando”, mas não ausentes de seus gabinetes, comissões e plenário, ou seja, roubam do povo, mesmo havendo a interrupção das propinas obtidas com os assaltos contra a Petrobrás, comissões das obras oficiais, vários outros tipos indevidos de enriquecimento ilícito!

    A índole do político brasileiro é má, traiçoeira, corrupta e desonesta.

    Ele rouba e explora de todas as formas, razão pela qual não se pode esperar que deste meio surjam quaisquer soluções para os graves problemas nacionais, muito pelo contrário.

    Assim, a conduta dos ministros também acusados na Lava-Jato, se tivessem qualquer resquício de ética e moral renunciariam aos seus cargos.

    Não é o que acontece e que o Temer deveria fazer!

    Seus assessores fazem as ginásticas mais mirabolantes para ser guindados ao foro privilegiado e, o presidente, os atende como cúmplice absoluto e indiscutível de comportamentos criminosos de seus amigos e partidários.

    Não há solução para o país com este Legislativo, Executivo e ministros do atual STF, atrelados aos dois outros poderes de forma política, conveniente e interesseira.

    O povo está só, abandonado e à mercê da violência dele contra ele mesmo, e da violência dos poderes, que lhes roubaram recursos imprescindíveis e vitais para as áreas da saúde, educação e segurança!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *