Temer e a bancada manifestam solidariedade a Eduardo Cunha

José Carlos Werneck

O vice-presidente Michel Temer declarou no Twitter que não participa de “movimento contra o presidente da Câmara”, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cunha foi citado no depoimento de Júlio Camargo,um dos delatores do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, que o acusa de ter recebido R$ 5 milhões em propina.

O presidente da Câmara nega a acusação, mas pode vir a ser denunciado pelo Procurador-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal.

Michel Temer foi enfático e afirmou: “Não participo de movimento contra o presidente da Câmara. As relações entre governo, Câmara dos Deputados e PMDB devem ser institucionais, tendo em vista os interesses do país”.

Logo depois, mensagem do vice-presidente da República foi compartilhada no Twitter, por Eduardo Cunha.

A BANCADA, TAMBÉM

A bancada do PMDB na Câmara Federal também se solidarizou com o presidente da Casa, declarando que não aceitará “especulações que visem a enfraquecer a autoridade institucional do presidente da Câmara”.

Na mensagem da bancada peemedebista, os parlamentares ressaltam que a democracia prevê o direito à ampla defesa e criticam a especulação sobre a participação de Cunha no esquema baseada apenas nas informações do delator. “Na democracia, diferentemente das ditaduras, todos os cidadãos, sem exceção, estão sujeitos a investigação, não importa quanto poder ou riqueza possuam. É isso o que ora assistimos no país. Mas a democracia prevê também o direito à ampla defesa. Não existe julgamento sumário”.

One thought on “Temer e a bancada manifestam solidariedade a Eduardo Cunha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *