Temer exige e a Câmara aprova a urgência para reduzir direitos trabalhistas

Proposta foi aprovada um dia depois de não ser aprovada

Pacote de maldades tramitará em alta velocidade

Deu em O Tempo

Após manobra do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os deputados federais aprovaram o regime de urgência para a votação da reforma trabalhista, um dia depois da proposta ser recusada em plenário. A proposta foi recolocada após forte pressão do governo federal sobre a Câmara, que convocou uma sessão extraordinária. Na noite desta quarta-feira (19), a proposta foi novamente colocada em pauta e obteve 287 votos a favor, 30 a mais que o necessário entre os 513 parlamentares.

Na terça-feira, foram 163 votos contrários e 230 a favor. Segundo interlocutores, o presidente Michel Temer (PMDB) ficou bastante irritado quando a proposta não foi aprovada nesta terça. Ele telefonou para Maia e articulou com alguns líderes a nova votação.

TEMER IRRITADO – Segundo interlocutores, o presidente Michel Temer ficou bastante irritado quando a proposta não foi aprovada nesta terça. Ele telefonou para Maia e articulou com alguns líderes a nova votação.

Ao colocar a questão novamente  em votação, Maia foi duramente criticado pela oposição no plenário. Os parlamentares contrários fizeram uma questão de ordem, recusada pelo presidente, que também ignorou um recurso apresentado pelos deputados.

Diversos parlamentares da oposição então subiram à mesa de Maia gritando “Golpe, Golpe”, o que deu início a um longo bate-boca, enquanto deputados da base gritavam “Voto, Voto”.

CUNHA, DE NOVO…A oposição ameaçou ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a nova votação. Eles também seguravam cartazes com a frase “Cunha de novo não” em referência à prática do ex-presidente da Casa em refazer votações perdidas.

Visivelmente exasperado, Maia culpou a própria oposição pela falta de um acordo para que essa votação ocorresse em 3 de maio. “O PT impediu o acordo. Se o PT não quer votar, não vai ‘esculhambar’ a votação no plenário. Se a base tiver voto, ganha. Se não tiver, perde”, completa.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Temer está jogando na lata do lixo o que resta de sua biografia (se é que já teve alguma).  Já conseguiu aprovar a terceirização radical, que vai acabar liquidando a arrecadação da Previdência, devido à diminuição dos direitos trabalhistas, à queda dos salários e à isenção da contribuição previdenciária das empresas, que passam a contabilizar a terceirização como “gastos operacionais” e não como salários. Agora, Temer quer dar seguimento ao pacote de maldades. E exige urgência. Que presidente é esse, minha gente? Está se tornando o grande algoz do trabalhador. (C.N.)

13 thoughts on “Temer exige e a Câmara aprova a urgência para reduzir direitos trabalhistas

  1. Concordo com a Nota do Redação dizendo que Temer está jogando no lixo o que resta dele. Está perdendo a chance de mostrar serviço. Ele quer ouvir “Fora Temer”!

  2. Tem caroço nesse angu. O Brasil precisa de reformas, mas antes a política e o fim do foro. Antes também o enxugamento e auditoria nas contas públicas. A pressa ensandecida nas outras reformas chega a ser insana. Muito, muito estranho isso

  3. Pois é, prezado Newton, o Brasil acabou.
    Agora, mais que nunca, precisamos ir às ruas, com URGÊNCIA URGENTÍSSIMA, para tirar essa corja de lá, pela orelha, com chutes duros e precisos, nos traseiros túrgidos e imundos que nos afrontam!
    Forças Armadas: como permitem isso? Não adianta esperar pelo Judiciário, não! Daqui a duzentos anos, quando eles terminarem os processos, já não restará mais nada!
    Nada!
    Aos que ainda se iludem com 2018, anotem isso: até lá, será tarde demais.
    Saudações,
    Carlos Cazé.

    PS: A orquestra segue o maestro. Como a orquestra “pedirá demissão” se, indiferente e sem ser incomodado, o maestro segue acelerando o Titanic?

  4. Lei Trabalhista está na Constituição

    http://mundovelhomundonovo.blogspot.com.br/2017/04/lei-trabalhista-esta-na-constituicao.html

    Lei Trabalhista está na Constituição
    “Todo o Homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social”.
    Declaração Universal dos Direitos do Homem.

    Mudanças dependem de Congresso

    Executivo executa

    Legislativo legisla

    Judiciário julga

    Simples assim?

    A CLT já era?

    A Lei Trabalhista de Temer respeitará a CF em vigor?

    Acordo entre patrões e empregados terá força de lei?

    Mudanças anunciadas dia 22/12/2016, cria Programa de Seguro-Emprego

    Medidas afetam juros do cartão de crédito

    Propostas dependem de aprovação do Congresso para vigorar

    DE VARGAS A LULA: CAMINHOS E DESCAMINHOS DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NO BRASIL

  5. Dia 28, Greve geral, é preciso, Temer, é alma trevosa, a comandar, um congresso podre, Infelizmente a Justiça, do STF, que está stf, é convente, A cada dia, vemos a podridão dos 3 poderes, aumentar, O Cidadão trabalhador, está escravizado, nessa Senzala chamada Brasil,
    Deus Pai, nos ajude a sair desse Pântano..

  6. As obras feitas pelos escritórios de engenharia, pelas construtoras, não utilizam mão de obra próprias, são terceirizados pedreiros, eletricistas, ajudantes e outros.
    A maioria dos condomínios também contratam empresas terceirizadas para segurança, limpeza, jardinagem.
    Muitas empresas em datas sazonais contratam terceirizados para atenderem às suas demandas.
    Atividades fins? O que são os médicos cubanos no país? Não são terceirizados?
    Muitos que hoje gritam contra a terceirização e direitos, sonham em ir trabalhar nos EUA, Austrália, e outros países.
    Num primeiro momento pode acontecer um achatamento salarial sim, mas temos mais de 12 milhões de desempregados que precisam ter um sustento. E não é dando bolsa família que isso vai resolver. E mais à frente cabe também às pessoas buscarem aperfeiçoamento, qualificação para evoluírem em suas profissões e nos seus ganhos.
    Há empresas que descumprem os direitos adquiridos dos trabalhadores, e devem ser punidas terceirizando mão de obra ou não.
    Na justiça do trabalho em 2016 entraram pedidos de mais ou menos 3 milhões de ações, e nem todas pode-se creditar à erros das empresas. Quem trabalha sabe que existem muitos funcionários que não cumprem suas obrigações trabalhistas, encostam o corpo e quando dispensados a primeira coisa que fazem é entrarem com uma ação trabalhista. Só a VW em 2015 teve 30 mil ações contra si. Ações contra a empresa, por exemplo, exigindo que esta lave os uniformes dos funcionários.
    Acho que esta nova lei de terceirização pode minorar também esta situação.
    Engraçado que quando O PT e Lula eram oposição, o discurso era a negociação direta entre patrões e empregados. Hoje o discurso é outro; os sindicatos é que sabem o que é mais importante para os funcionários. Sem eles nós não somos ninguém. Somos frágeis de porcelana em mãos terríveis dos patrões.
    Durante todos estes 14 anos o que ouvimos é o discurso de que sem o Estado ciceroneando nossa vida nós não somos nada. Você não precisa estudar, porque um ser que se gaba de não ler livros e veio do nada virou Presidente.
    Alteraram para menos os valores que designam as classes sociais para pobres poderem virar classe média e melhorar sua auto estima.
    Nossa única obrigação era continuar votando neste projeto, largamente difundido nas escolas, imprensa, igrejas.
    Acho que passou da hora de sairmos desta matrix. Pensar fora do quadradinho, estarmos abertos a novas situações e retomarmos a vida nas mãos.

  7. Toda essa situação era prevista desde a divulgação do documento Ponte para o futuro. Com apoio da elite que importa, a elite financeira, nada pode ser feito para derrubar Temer. Não há Moro, ou generais, ou manifestações, que possam barrar os retrocessos sociais e a corrupção desenfreada que dilapida e vende na bacia das almas o patrimônio público. Nossa única esperança são as eleições em 2018, se é que vão deixar isso acontecer. Pois, se houver qualquer risco de Lula voltar ao poder, a elite financeira vai apertar o botão e adiar as eleições de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *