Temer não divulga os extratos bancários, porque indicam enriquecimento ilícito

Resultado de imagem para sigilo bancario de temer charges

Charge do João Bosco (Arquivo Google)

Carlos Newton

Depois de ter sido a Mancada do Ano que nem começou, o anúncio de que o presidente Michel Temer iria dar à imprensa “total acesso” a seus extratos bancários virou Piada do Ano. Na verdade, Temer jamais ofereceu transparências às suas contas. Quando o ministro Luís Roberto Barroso mandou quebrar o sigilo bancário do presidente, na semana passada, a Assessoria do Planalto imediatamente procurou Temer para saber o que declarar. E ele disse que a quebra de sigilo não lhe trazia preocupações. Os assessores não entenderam o espírito da coisa e então anunciaram que o próprio Temer daria à imprensa “total acesso” a seus extratos bancários.

Questionado pela jornalista Andréia Sadi nesta segunda-feira (dia 12), o Palácio do Planalto informou que ainda “não há definição” sobre o assunto, a divulgação à imprensa está “sob exame, em análise” e o presidente Temer “agora reavalia o que fará com seus extratos bancários”.

EXTRATOS – Após tomar conhecimento de que o ministro Barroso autorizara a  quebra do sigilo bancário, Temer requisitou aos bancos os extratos de suas contas bancárias. Agora, para ganhar tempo e embromar, os assessores do Planalto dizem que, antes de definir o que fará, Temer quer conversar com o advogado Antônio Claudio Mariz – já que irá a São Paulo nesta terça-feira – e aproveitar para fazer um “detalhamento” das suas contas. Mas é tudo conversa fiada, porque Temer já conversou a respeito com Mariz na semana passada.

O fato concreto é que o atual presidente- ficou muito rico na política. Deu uma casa luxuosa a cada uma das três filhas do primeiro casamento. Sustenta a mãe e o filho de sua segunda relação e já garantiu o futuro do filho mais novo, Michelzinho, já tendo passado para o nome dele a casa de quase 600 metros quadrados em São Paulo e dois conjuntos de salas, um patrimônio imobiliário avaliado em mais de R$ 5 milhões.

ENRIQUECIMENTO – Comparando-se as declarações de bens nas eleições presidenciais de 2010 e 2014, as aplicações financeiras de Temer tiveram aumento de 150% em quatro anos. Em 2010,  declarou patrimônio total de R$ 6 milhões ao TSE em 2010. Já em 2014, os bens somavam R$ 7,5 milhões.

O aumento patrimonial de 25% se deveu a investimentos financeiros de baixo risco. Em 2010, Temer possuía cerca de R$ 1,475 milhão em depósitos na poupança e aplicações de renda fixa (CDB, RDB e outras). Quatro anos depois, esses mesmos investimentos já totalizavam R$ 3,7 milhões. E apenas um CDB no banco Santander, com valor de R$ 551 mil em 2010, subira para R$ 2,28 milhões. Nada mal.

###
P.S. 1 –
Vale lembrar que as declarações ao TSE não refletem o valor real dos bens, mas apenas o valor histórico pelo qual foram adquiridos, sem correção. Esta regra da Receita Federal vale para todos os contribuintes e dificulta a noção exata do patrimônio, em valores atualizados.

P.S. 2 – Aproxima-se a eleição e o presidente terá de apresentar nova declaração de bens ao TSE. Será constatado que o enriquecimento prossegue. É justamente por isso que Temer jamais exibirá à imprensa seus extratos bancários. (C.N.)  

4 thoughts on “Temer não divulga os extratos bancários, porque indicam enriquecimento ilícito

  1. A TRIBUNA DA INTERNET faz uma “divertida” competição chamada PIADA DO ANO, porém, a hora que criarem PIADA DO SÉCULO ou do MILÊNIO, terá como forte candidato o TSE (com sua DECLARAÇÃO DE PATRIMÔNIO DOS CANDIDATOS, isso sim é uma piada…kkkk). Deveria também serem aceitas DECLARAÇÕES DOS LARANJAS…kkkkk.

  2. Cabe lembrar que fazem parte da tal casta da lista vip da mesma Receita Federal que a cada dia nos exige mais e mais informações, cruzam dados e se torna o mais invasiva possível, políticos, juízes e etc. Nosso presidente com toda e a mais absoluta certeza, não goza dos mesmos “privilégios” de seus governados, que sequer merecem a correção da tabela do IR. O exemplo de nossas autoridades é tudo que não deve ser seguido. Talvez por falta de uma sociedade decente para que a palavra “exemplo” faça algum sentido nestas terras.

  3. A maioria dos políticos enriqueceu na política, os mais pobres enriqueceram e os mais ricos ficaram mais ricos.
    A política no Brasil é o caminho mais rápido para o enriquecimento. Os deputados,tem pouca chance de enriquecer rápido, mesmo assim, entram na política como classe média e alguns anos depois alguns apresentam um patrimônio acima de 10 milhões e ainda colocam os filhos no caminho do enriquecimento,
    .Brasil o paraíso dos políticos..

  4. Uma dúvida me vem à cabeça: se a quebra de sigilo só pode vir como consequência de uma investigação por que com Temer a ordem foi invertida?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *