Temer quer fim do sigilo e diz não recear a Lava Jato. E agora, Fachin?

Resultado de imagem para michel temer

“Minha preocupação é zero”, disse Temer a Noblat

Ricardo Noblat
O Globo

Se dependesse do presidente Michel Temer, o ministro Edson Fachin, novo relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), suspenderia o mais breve possível o sigilo em torno das delações dos 77 executivos da construtora Odebrecht. Fachin substituiu o colega Teori Zavascki, morto em um desastre de avião em Paraty, Rio de Janeiro.

— Seria melhor para todos que as delações fossem logo divulgadas, e de uma vez — disse Temer em uma conversa informal de mais de uma hora no fim de semana.

Em dezembro passado, durante um encontro no Palácio do Planalto com Rodrigo Janot, procurador-geral da República, Temer adiantou para ele a mesma opinião. Não houve discordância. Foi a pedido de Janot que a ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, apressou-se a homologar as delações na semana seguinte à morte de Zavascki.

— Imagine o que poderia acontecer se as delações demorassem a ser divulgadas. Ou se fossem divulgadas aos poucos, uma por semana, digamos. Seria muito ruim para o país e, é claro, para o governo — calcula o presidente.

E OS OUTROS? – E se o conteúdo das delações produzirem estragos na imagem do governo? Afinal, alguns dos atuais ministros e o próprio Temer são citados em mais de uma delas. Temer responde:

— Quem for atingido pelas delações que se explique e que se defenda. Depois avaliaremos o que fazer. Quanto a mim, minha preocupação com isso é igual a zero.

Temer foi citado 43 vezes no documento do acordo de delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht. Em 2014, Temer pediu R$ 10 milhões a Marcelo Odebrecht, então presidente da empresa, para a campanha eleitoral do PMDB naquele ano.

— Não foram R$ 10 milhões. Marcelo doou pouco mais de R$ 11 milhões. O dinheiro foi depositado na conta do PMDB e pagou despesas de vários candidatos pelo país. Há comprovantes de tudo — garante Temer.

43 CITAÇÕES – Ele conta que teve a curiosidade de ler com atenção a íntegra da delação de Melo Filho vazada para a imprensa.

— Quem se limita a ler apenas os títulos das matérias publicadas a respeito pode ficar com a impressão de que fui citado por envolvimento em 43 negócios. Mas não. Fui citado 43 vezes porque está escrito ali: Aí Temer me convidou para conversar. Aí Temer me recebeu na sala. Aí Temer perguntou se eu aceitaria um café… Para contar uma única história, meu nome foi mencionado 43 vezes — explica Temer, e até acha graça nisso.

Como presidente do PMDB, uma de suas tarefas era arranjar dinheiro para financiar campanhas. E ele não nega que o tenha feito.

— Isso nada tem a ver com caixa dois ou com a troca do dinheiro por favores do governo — registra. Quanto ao julgamento pela Justiça Eleitoral das contas de campanha da chapa Dilma-Temer na eleição de 2014…

INFRAÇÃO PENAL – A propósito, Temer revela que ganha corpo entre juristas que acompanham as investigações das contas a tese de que pode ter havido ali alguma infração penal, mas eleitoral, não. Se penal, o caso seria arquivado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dele se ocuparia a Justiça comum.

— Estou muito tranquilo, pelo que ouço dos meus advogados — afirma o presidente.

O fato é que 2016 terminou – se é que terminou – deixando a impressão em muita gente que Temer não concluiria o resto de mandato herdado da ex-presidente Dilma Rousseff.

SEM SURPRESA – Em conversas com políticos em Brasília, mesmo entre aqueles que apoiam o governo, diversas previsões foram feitas a respeito de seu futuro: Temer poderá ser vítima da lentidão do processo de recuperação da economia… A Justiça Eleitoral não tem como separar as contas de Dilma e de Temer, e ele poderá ter que sair… Tem emenda à Constituição no Congresso que, se aprovada, resultará em eleições diretas para presidente ainda em 2017…

Salvo um fato surpreendente, em um país acostumado a conviver com surpresas, Temer completará o mandato de Dilma. Ele não enxerga nenhuma surpresa capaz de desestabilizar seu governo – mas se enxergasse não seria surpresa. E concorda que o pior para ele já passou. Passou o discurso do golpe. Passaram as manifestações de ruas. A economia começou a reagir, embora menos do que ele gostaria. É vida que segue.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A entrevista a Ricardo Noblat mostra claramente que Temer sabe que não será atingido pela delação do Odebrecht, porque pediu e recebeu doação oficial. E agora ele defende a quebra do sigilo para se livrar de quem esteja realmente envolvido.  Essa posição ficou clara e confirma o que temos publicado sobre a disputa de poder que está ocorrendo dentro do Planalto, em meio ao cinismo e à hipocrisia que caraterizam a prática política. Quanto ao fim do sigilo, a bola está com o novo relator Edson Fachin. Só depende dele. (C.N.)

12 thoughts on “Temer quer fim do sigilo e diz não recear a Lava Jato. E agora, Fachin?

  1. A coisa ai da foto se ” esqueceu ” de dizer que foi citado 43 vezes em apenas uma das 5 delações da Odebrecht.
    Ele também foi citado pelo Machado, Pedro Corrêa e Delcídio….

  2. -Ora, Jornalista, O QUE É UMA DELAÇÃO A MAIS PARA QUEM JÁ ESTÁ TODO DELATADO? Não tem significado nenhum!
    -Significaria se ele fosse presidente de um país onde ser ladrão fosse motivo de vergonha.

    Provavelmente os nomes mantidos em “sigilo” são os mesmo que estiveram nos roubando desde os tempos do Sir Ney, dos Anões do Orçamento, da Anaconda, do Banestado, do Boi Barrica, da Privatização, do Econômico, da Reeleição, do Banespa, do Banco Rural, … e por aí vai.
    São os mesmos bandidos de sempre, abençoados pela nossa impunidade e promiscuidades existente entre os três poderes consequente à absoluta falta de Justiça.

  3. Alô Noblat!
    O Egrégio Imperador D. Renan XII mandou avisar que quer dar uma entrevista igualzinha a essa para você, e quer uma matéria sobre ele com mesma dose de sabujice……Só não vale perguntar como ele conheceu a Monica Veloso….kkkkkkkk

  4. Tem tido tantos Hamlet na TI que, se vivo fosse, Shakespeare estaria pagando royalties.

    Ainda não atinei por que motivo tantos príncipes da Dinamarca por aqui.

    Tem até Édipo!

    Não li, Virgulino. Manda de novo pra TI? Seu amigo Dr. Béja te avisa. Vocês são unha e carne.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *