Tesouro fala da dívida pública, mas não cita reservas internacionais

Mauro Santayana

O Tesouro Nacional anuncia, a Agência Brasil copia, e a imprensa espalha estrondosamente aos quatro ventos, que a dívida pública chegou a 2.716 trilhões em Novembro, aumentando pouco mais de 2% com relação ao Outubro.

Mas nem o Tesouro, nem a Agência Brasil, nem o Governo explicam que o Brasil tem quase 370 bilhões de dólares em reservas internacionais, ou o equivalente a 1.45 trilhões de reais, em dólares, guardados.

Se esse dado – assim como o relacionado à dívida líquida pública, de aproximadamente 35% do PIB – não é considerado relevante para o Palácio do Planalto, mesmo assim deveria ser divulgado, porque implica fortemente na real situação do país e nas expectativas econômicas e de investimento.

TEM VERGONHA?

Como brasileiros, pregando no deserto pela milionésima vez, seria o caso de nos perguntarmos: o governo federal tem vergonha das reservas internacionais do país, e da condição do Brasil de terceiro maior credor internacional externo dos EUA, ou é só – para não usar outra palavra mais forte – incompetência estratégica mesmo?

27 thoughts on “Tesouro fala da dívida pública, mas não cita reservas internacionais

    • Prezada Mara, é isso mesmo. O governo colocava títulos do tesouro a venda para adquirir
      dólares e depositar nos EUA na conta das reservas cambiais. Só que recebemos, se não me engano, 2% de juros das reservas cambiais e pagamos 14,15 (taxa selic) de juros pela dívida
      interna.

  1. Francisco Bendl dezembro 30, 2015 12:04 pm

    SUGESTÃO URGENTE!!!
    POR QUE A TRIBUNA NÃO CONTRATA O DR.BÉJA E ENTRA COM O MANDADO DE SEGURANÇA, no STF?!
    Por que não podemos dar início a medidas que contestem o descalabro que aconteceu dia 16 de dezembro, no STF?
    Por que não podemos ser os primeiros cidadãos – os comentaristas da Tribuna, seu mediador e articulistas – a ingressar com este remédio contra os males de decisões injustas e, principalmente, irregulares?!
    POR FAVOR, NEWTON E DR.BÉJA, ENTREM PARA A HISTÓRIA, SEJAM MANCHETES NACIONAIS EM PROL DE UM BRASIL QUE SE ENCAMINHA CÉLERE À RUÍNA, PELO AMOR DE DEUS!
    E, contem comigo, plenamente.
    Abraço a ambos.
    Saúde e Paz!

  2. 2016 é ano eleitoral, na boquinha majoritariamente deficitária, mas com capitais importantes no bolo, dos municípios.

    Hora de capitalizar ganhos políticos para si enquanto se socializa as perdas econômicas.

    Vamos alardear bastante o reativo (indispensável, mas falso alívio) “aumento” em 11,68% do salário mínimo, que alcançará R$ 880,00 em 2016.

    A questão é a inflação que consome rapidamente e vai mais fundo no tempo do que esse falso alívio que funciona como se fosse um gatilho indexador em meio à espiral inflacionária também retroalimentada.

    A oferta de mão-de-obra tem aumentado continuamente, com elevados índices de desemprego, enquanto a produtividade do trabalho no Brasil tem descido ladeira abaixo.

    Pedalada descarada da pedalada pelada é pagar dívidas com ainda mais dívidas e com reservas emergenciais, tentando esvaziar o contexto e passar por cima da ladeira do impeachment também pela bicicletinha de rodinha e sem marcha.

    Juros que a desgraça toda terá sido causada pelo dólar e pelo “imprevisível” ciclo das commodities.

    PT surfou na alta, agora se afoga na baixa. Mas os tubarões não morrerão nesta praia de ressaca, apesar de todos os dejetos.

  3. Certamente o governo (para ser mais preciso: OS PETRALHAS desgovernantes) devem estar escondendo essa informação por dois grande motivos:

    1ª – Já não exista, pois já se encarregaram de se APODERAR dela, lá do estrangeiro, em suas contas em paraísos fiscais ! ! !
    2ª – Estão ainda estudando uma forma de conseguir realizar a 1ª hipótese acima ! ! !

  4. Mais uma asnice ! Para fazer essa reserva, captamos a uma Selic de 14,25% e recebemos 0,5% a/a.
    Assim os EUA podem emitir sem inflacionar. Não foi à toa que o Obama, falou para o Brahma : Esse é o cara !

  5. Santayana, isto é o que o governo tinha. TINHA, e não o que tem. São dois números diferentes pois uma grande quantidade, quase 100 bi já foram vendidos.

    • Caro Tamberlini,
      Apesar do conteúdo ser realista sob alguns enfoques, é imprescindível ´ler´ qualquer coisa que seja escrita por essa revista, pelo Wall Street Journal, etc, com extrema reserva e interpretação subjetiva dos objetivos a serem alcançados por seus editores (a The Economist pertence em parte à ´famiglia´Rothschild e defende os interesses predatórios através de induções ao mercado através de notícias plantadas!)

        • Exato! Se tiver acompanhado os artigos da The Economist por algum tempo, verificará que inúmeros artigos publicados pela revista são carregados de sensacionalismo indutor, com objetivos muito mais manipuladores do que de análise econômica responsável! Traduzem muito ‘o sentimento da população´ dando ênfases aos enfoques onde visualizam potenciais de espólio (onde possam tirar algum proveito se a ´ideia colar´)!

          Referente ao artigo do pagamento das pedaladas, é realmente um mistério! Teriam convertido parte das reservas em dólar para pagamento dos valores das pedaladas? Sem arrecadação e mantendo os mesmos níveis de despesas de sempre, de onde terá saído essa grana toda? Daqui a pouco vamos ficar sabendo de qual cartola tiraram esse coelho!

          De qualquer forma, o valor real das pedaladas quitadas de 2015 foram de R$ 72,4 bilhões, e não de 724 como o seu link acabou apresentando por questão de restrição de utilização de vírgulas nas URLs de páginas da internet! (ESSE MONTANTE, ABSURDO, APRESENTADO NO LINK, ME OBRIGOU A IR CONFERIR NO LINK, QUE O ARTIGO REALMENTE INFORMAVA.)

  6. Esse tal de Santayana deve ser um assalariado do governo, tais como: Brasil 247, Paulo henrique Amorim, Nassif, etc. Para defender esta cambada de ladrões.

  7. Sr. Carlos Newton:
    Infelizmente, não tive a oportunidade de encontrar o Sr. pessoalmente, teria prazer em conversar sobre os grandes temas, que, modéstia à parte, conheço. O Sr. que demonstra ser educado, cosmopolita, com vasta educação. Quando falo em educação, não me refiro sobre escolaridade, pois a educação é fruto de toda uma vida,além dos diplomas.
    Na minha modesta opinião, homens como o Sr. Mauro Santayana, o Sr. Leonardo Boff, são seres deletérios, defendem as empulhações petistas que estão destruindo o Brasil. São personagens menores, que amesquinham o debate, pois apresentam formulas vencidas, na teoria e na prática. São intelectuais orgânicos, que deprezaram a razão em nome da Causa.
    O Sr.Santayana foi agente comunista na cortina de ferro, em todos os seus artigos destila ódio ferrenho contra o Ocidente. Deveria voltar para o Leste Europeu, encontraria os seus pares.
    Leonardo Boff é um mistificador, pregador da Teologia da Libertação, um mero estupro do verdadeiro Cristianismo.
    Leonardo Boff e Santayna são enchedores de latrina, produtores de lixo cultural.
    Cordiais Saudações.
    Davi Lima de Araujo

    • Prezado Davi,
      Concordo com suas opiniões a respeito dos personagens, mas discordo, em parte, de sua sugestão, pois, apesar da proposta despoluir o entendimento básico da moral e da ética cristã e os morais defendidos (precariamente, é certo) pelas sociedades que adotaram as ´reformas´ propostas pela Revolução Francesa, . . . a supressão dessas verdadeiras “peças do folclore do surrealismo oportunista-manipulador” do nosso convívio poderá leva-los novamente a desaparecer aos corredores sombrios do submundo para servirem mais uma vez de ‘fomento’ aos manipuladores sempre de plantão, para novas investidas com revoluções e desarranjos futuros!

      Melhor que continuem falando e fazendo suas trapalhadas quiméricas à luz do dia, do que serem forçados a “desaparecer” por um período, para em seguida, devidamente instruídos e articulados pelas forças ‘internacionalistas´, voltem com novas estratégias de assalto para espoliar a nação, em nome e financiados pelos interesses ´alienígenas´ que sempre estão presentes e conspirando alguma forma de ´dividir-nos´ para conseguirem abocanhar mais alguma fatia de nossas riquezas!

      Enquanto esse marginais ideológicos não entenderem que não é através da desapropriação, do assalto e do assassinato em massa (genocídio), que a justiça poderá ser atingida, é melhor deixa-los bem próximos e empenhados no convencimento de mais pares às suas ideologias pilhadoras, do que escondidos se articulando para tomar o país de assalto, como já tivemos a infeliz experiência durante esses nossos 13 longos últimos anos!

      Como disse Millôr Fernandes (tendo Chico Buarque como referência): “DESCONFIO DE TODO IDEALISTA QUE LUCRA COM SEU IDEAL” ! E, portanto, é muito importante acompanhar de perto sua trajetória, para não sermos surpreendidos!

  8. Sr. Mauro.
    As reservas internacionais do Brasil, como são totalmente financiadas por Capital Estrangeiro, elas não podem ser “abatidas/diminuídas/descontadas” do total da Dívida Interna; ao contrário, os recursos usados para comprar os ativos que compõem essas reservas foram obtidos com emissão de títulos da dívida pública… Esse é o mundo real, muito diferente do mitológico usados nas campanhas políticas!

  9. Caro Zaratrusta:
    Antes de tudo, desejo-lhe um próspero Ano Novo, se for possível.
    Vivemos dias negros, sombrios, desesperançosos, no Brasil.
    Uma sequencia de ações estúpidas, promovidas por ineptos, destruíram a economia brasileira. Teremos longa crise que afetará a todos.
    A ciência sinaliza para a humanidade um futuro promissor, o físico japonês Michio Kaku, em sua obra Física do Futuro, mostra que temos possibilidades concretas de chegarmos a um alto nível de civilização planetária. O grande problema, na minha visão, são os políticos, os engenheiros sociais que emporcalha o mundo. Só acredito do no poder das ideias, na força dos argumentos.
    Cordiais Saudações.
    Davi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *