Tirem as crianças da sala! O Congresso criou novos programas de partidos políticos na TV

AINDA ESPANTADO: agosto 2012

Charge do Luscar (Arquivo Google)

Vicente Limongi Netto

De volta o medonho e patético espetáculo do rádio e televisão, o famigerado horário político. Teremos de tirar as crianças da sala, para evitar contaminação. É uma glamourizada pantomima de lorotas, promessas ocas e desfile de calhordas e canastrões. Não poupam a paciência do eleitor. Mentem e pedem votos com cinismo e cara lambida.

O cidadão recordará, entre indignado e envergonhado, por exemplo, no cardápio dos horrores, personagem diluviana flagrado pela polícia federal com dinheiro na cueca, assim como o filósofo do muro baixo,  “eu te ajudo e você me ajuda”, ensinando as mumunhas das “rachadinhas”.

01 EM CENA – Veremos também o ensaboado e achocolatado filho 01 do sábio de proveta, outro craque no mesmo ramo das rachadinhas, que enricou comprando e vendendo imóveis em dinheiro vivo, exibindo agora a mansão que comprou por 6 milhões de reais, depois da lavagem do dinheiro na loja da Kopenhagen.

Nesses filmes de terror, também surgirá um ex-ministro dando aulas de como se paga tapioca com cartão corporativo, além de um balaio de sorridentes e finórios parlamentares com dicas como viajar para o exterior, para não produzir nada em benefício da coletividade. Tudo à custa do bondoso erário.

O show de patetices que invade os lares brasileiros, costuma deixar pontas de esperanças para figuras surrealistas com qualidades além da política. Serve também para inspirar humoristas, figurantes de novelas e astros e estrelas de pornochanchadas.

PARA NADA – O empresário e ex-senador Paulo Octávio foi o anfitrião do senador Rodrigo Pacheco, no almoço do Lide (LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, criado por João Doria antes de entrar na política), que reuniu cerca de 100 empresários no Brasília Palace.

Evento simpático, farta distribuição de medalhas e discurseira manjada e surrada. Presença inútil e evasiva de Rodrigo Pacheco, do ponto de vista político-eleitoral. Ou seja, não foi nada, não serviu nem acrescentou nada mesmo. 

 

2 thoughts on “Tirem as crianças da sala! O Congresso criou novos programas de partidos políticos na TV

  1. Vejo este R Pacheco exatamente como descrito acima:”Não foi nada, não é nada e não serviu nem acrescentou nadica de nada mesmo.
    Abraço V. Limongi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *