Tradução simultânea de “Lula recusa convite para ministério”

Celso Serra

Em reportagem de Andrea Jubé e Lucas Marchesini, o jornal Valor Econômico publicou uma reportagem noticiando que “a presidente Dilma Rousseff determinou que ministros petistas convidassem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir um ministério. O convite foi formulado a Lula pelos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Jaques Wagner (Defesa) e Edinho Silva (Comunicação Social), que se reuniram com o ex-presidente em São Paulo na sexta-feira. Lula rejeitou a oferta porque acredita que sua missão, no momento, é viajar o país para defender o governo, o PT, e o seu legado”.

Na tradução simultânea, a realidade não é bem assim. Semana passada os petistas achavam que precisavam blindar Lula por temerem o juiz Moro na Lava-Jato e pensavam que ele nomeado “ministro” teria direito a prerrogativa de foro, sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Mas foram informados que o STF vem entendendo que ministros de Estado não gozam de prerrogativa de foro e que a Lei de Improbidade se aplica a essas autoridades em primeira instância. Portanto, , se for envolvido na operação Lava-Jato, mesmo se for nomeado ministro, Lula da Silva terá encarar a vara do juiz Sérgio Moro.

 

8 thoughts on “Tradução simultânea de “Lula recusa convite para ministério”

  1. jornal virtual JUS BRASIL:

    Prisão de Lula? “Impeachment” de Dilma?

    Publicado por Leonardo Sarmento – 6 meses atrás

    Denúncias feitas por ex-sócios da Petrobras ao Ministério Público e veiculadas pelo Jornal da Band, da TV Bandeirantes, apontam que Lula e Dilma teriam conhecimento a respeito da compra de uma petroquímica pelo triplo do preço, quase R$ 3 bilhões de reais além do correspondente na Bolsa de Valores. Segundo o empresário que protagoniza a denúncia, Paulo Roberto Costa estaria sob o comando de Lula, sendo o seu “operador”, assim como Dilma Rousseff. Lula teria, ainda, debochado da Justiça, afirmando que “Poder Judiciário não vale nada. O que vale são as relações entre as pessoas”. Lula, em verdade, parece sentir-se agasalhado por uma blindagem que o transformaria em um Super-Homem e nestes termos estaria acima da justiça dos homens.

    Nesta senda, a depender das provas carreadas ao Ministério Público, temos mais uma causa suficiente para o pedido do impeachment de Dilma Rousseff e para o pedido de prisão de Luiz Inácio Lula da Silva. Está na hora do Ministério Público demonstrar que sua independência insculpida nos lindes da Carta republicana de 1988 não encontra barreiras implícitas de ordem política, mas sim que o Ministério Público é um fiel efetivados das normas constitucionais e não prevarica em suas funções ministeriais quando sofre pressões.

    Lula, conforme dispusemos em artigo precedente, nega-se a depor junto à Polícia Federal à respeito de outros inquéritos abertos e mantidos sob sigilo, que sob o controle do Governo Federal, sem a independência funcional que conta o MP, recalcitra usar da coerção no objetivo de ouvi-lo.

    Novamente, conforme já interpretamos também em artigo anterior, novamente integralmente aplicável a Teoria do Domínio do fato, tanto em relação ao ex-presidente como em relação a atual mandatária para que respondam na esfera penal.

  2. jornal DN Globo, de Portugal (disponível na internet):

    MENSALÃO”
    Valério entregou provas de acusações contra Lula
    por Lusa, publicado por Luís Manuel Cabral13 dezembro 20121 comentário

    O empresário Marcos Valério, condenado por ser o executor do “mensalão”, afirmou que entregou ao Ministério Público documentos que provam as suas acusações de envolvimento de Lula da Silva no esquema, segundo a “Folha de São Paulo”.
    Ao ser questionado sobre as refutações ao seu depoimento, feitas por líderes do Governo e do Partidos dos Trabalhadores, no poder, Valério afirmou que o Ministério Público “não tocou nos papéis” que entregou.
    O diário informa que, entre os documentos, está um depósito de 98,5 mil reais (36,3 mil euros ao câmbio atual) usados, segundo o empresário, para pagar despesas do ex-Presidente, na posse de Lula da Silva na Presidência e no início de Governo.
    O empresário foi condenado a mais de 40 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal pelo seu envolvimento no “mensalão”, o esquema de compra de votos de parlamentares durante o Governo de Lula da Silva.
    O conteúdo do depoimento de Valério, feito em setembro, foi divulgado nesta semana pelo “Estado de São Paulo”. Segundo o diário, o empresário afirmou que o ex-Presidente deu seu aval aos empréstimos com os bancos brasileiros que financiaram o “mensalão”.
    Ainda segundo Valério, Lula da Silva teria negociado diretamente com Miguel Horta e Costa, então presidente da Portugal Telecom, um pagamento da operadora portuguesa para o seu partido.
    Horta e Costa afirmou que as novas denúncias do caso do “mensalão” são uma “questão de política interna brasileira”, e sublinhou que já prestou, anteriormente, “todos os esclarecimentos” solicitados.
    De Paris, onde participou num seminário, Lula da Silva disse que as informações eram mentirosas. A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, também saiu em sua defesa, e afirmou que as declarações eram uma tentativa “lamentável” de desgastar a sua imagem.

  3. Será, mesmo, que o STF nega prerrogativa de foro a ministros de estado? Por que, então, Edinho Silva foi contemplado com cargo de ministro, assim que vazou um bilhete de Ricardo Pessoa no qual constava dever ele, Edinho, estar preocupadíssimo com verbas de má origem supostamente patrocinadoras da campanha da detestável presidente?

  4. Portanto, , se for envolvido na operação Lava-Jato, mesmo se for nomeado ministro, Lula da Silva terá encarar a vara do juiz Sérgio Moro.

    Muito boa essa! Como diria o jornalista Agamenon Mendes Pedreira, “com duplo sentido, por favor!”
    HA! HA! HA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *